1 1 1 1 1

100% da NOSSA Terra SEM desperdícios - cana-de-açúcar ou cana sacarina

abóbora DICAs

Cana-de-açúcar ou cana sacarina

Descrição botânica

Nome científico: Saccharum officinarum

Variedades mais utilizadas: "POJ 2725" de cor roxa e a "NCO 310" de cor verde-rosada, e variedades regionais: "Yuba" e “Canica"

Família: Poaceae

Origem: Ásia (Índia, Polinésia, Bornéu ou Malásia) ou Nova Guiné

Ciclo de vida: 12 a 14 meses, em média, até à colheita.

Plantação: No sul da ilha, de fevereiro a maio e, no norte, de abril a junho

Colheita: entre meados de abril e meados de julho

Ciclo biológico: perene (3 a 5 anos ou mais)

Curiosidade: a cana-de-açúcar é uma das espécies agrícolas com maior relevância na história da Madeira. A sua cultura remonta ao século XV, tendo sido a Madeira um grande fornecedor de açúcar para toda a Europa. Foi introduzida em 1425 pelo Infante D. Henrique, importada da Sicília.

Na Madeira, a cana-de-açúcar tem as melhores condições de cultivo na costa sul até aos 300 metros de altitude e até aos 150 a 200 metros no norte.

Encontra-se sobretudo nos concelhos da Ponta do Sol, Calheta, Ribeira Brava, Machico e Santana.Deve ser instalada em terrenos com boa capacidade de retenção e pH entre 5 e 8.

Nutrientes

Apresenta, em média, 70% de água e um elevado teor de açúcar (40 a 50% de açúcares na matéria seca), sendo em média 230 kcal/300 ml. O principal componente é a sacarose.

Vitaminas: C e do complexo B.

Sais minerais: ferro, cálcio, potássio, sódio, fósforo, magnésio e cobre.

Os produtos obtidos a partir da cana-de-açúcar, como o sumo e o mel, apresentam compostos (flavonoides e ácido cumárico) com ação antioxidante que ajudam a retardar o envelhecimento. Devido à sua riqueza em ferro, atuam na prevenção da anemia. Além disso, melhoram o rendimento e a recuperação de quem pratica atividade física regular.

 

 

Sugestões de utilização

A cana-de-açúcar pode ser cortada em pequenos pedaços e consumida em cru ou extraído o sumo (guarapa), que pode ser tomado ao natural.

Nos Engenhos, a cana é transformada em mel e/ou aguardente.

O mel de cana é um dos ingredientes essenciais na confeção do tradicional bolo de mel e broas de mel, especialidades típicas do Natal madeirense.

É uma alternativa saudável ao açúcar refinado, podendo ser substituto em vários produtos de doçaria. É usado para adoçar iogurtes, café e chá. Pode ser também utilizado no pão, cereais, fruta, malassadas e sonhos, rabanadas, inhame, batata-doce, panquecas, assados no forno, etc.

A aguardente de cana é uma bebida quase transparente, quando produzida há relativamente pouco tempo, ou de cor mais escura, caso tenha sido produzida há mais tempo. É resultante da fermentação alcoólica do sumo da cana sacarina. Pode ser utilizada em várias bebidas como a "poncha" e os licores.

O bagaço de cana, subproduto dos engenhos que produzem mel de cana e aguardante, pode ser utilizado na agricultura em “mulching” e/ou como substrato na produção de cogumelos.

A vinhaça, subproduto dos engenhos que produzem aguardante, é gerada após a destilação fracionada do caldo de cana-de-açúcar fermentado para a obtenção de aguardente. Pode ser reutilizada como fertilizante, no setor pecuário e na produção de metano.

cana de acucar 5 subprodutos


Natália Silva
Divisão de Inovação Agroalimentar

 

------------------

Veja também:

Anona

- Banana

- Cereja

 

 

Comentar

Código de segurança
Atualizar