1 1 1 1 1 Pontuação 1.00 (1 Votos)

Laboratório Regional de Veterinária e Segurança Alimentar (LRVSA) mantém a acreditação pelo IPAC, no âmbito flexível para os ensaios acreditados

LRVSA 1 O Laboratório Regional de Veterinária e Segurança Alimentar (LRVSA), estrutura adstrita à Direção de Serviços dos Laboratórios Agrícolas e Agroalimentares (DSLAA) da Direção Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural, recebeu no passado mês de fevereiro a informação, por parte do Instituto Português de Acreditação (IPAC), da decisão de manutenção da acreditação para os ensaios nas áreas das análises veterinárias, microbiologia alimentar e resíduos de pesticidas.

Desde 2010 que o LRVSA é sujeito a auditorias anuais, por parte daquela Instituição, para avaliação da conformidade para lhe ser atribuída e mantida a qualificação de Laboratório Acreditado. Estamos, por esta data, no final do terceiro ciclo de acreditação, o qual teve início em 2017.

Refira-se que o processo da acreditação é voluntário, porém obrigatório para os controlos oficiais, sendo que os Laboratórios participantes são avaliados in loco e de maneira periódica.

A avaliação das condições de funcionamento dos Laboratórios que pretendem a acreditação, as suas metodologias de diagnóstico e o desempenho dos seus trabalhadores e do seu Sistema de Gestão é feita anualmente pelo IPAC, com recurso a auditores designados pelo referido organismo, para cada área laboratorial acreditada (veterinária, microbiologia alimentar e resíduos de pesticidas) e para o Sistema de Gestão (SG).

A Acreditação é um processo que visa averiguar o correto desempenho das entidades por meio de órgãos avaliadores competentes (em Portugal é o IPAC), baseado em normas reconhecidas.

O intuito é que nas mesmas seja demonstrada a sua imparcialidade, competência, desempenho e capacidade para realizar determinados ensaios laboratoriais. Assim, a acreditação configura-se como uma ferramenta que, em escala internacional, é utilizada para gerar confiança nos serviços prestados pelos laboratórios, inclusivamente nas análises de controlos oficiais em que é obrigatória, como referido acima.

Neste processo, a norma de referência usada na acreditação destas organizações é a NP EN ISO/IEC 17025:2018, a qual dispõe sobre os “Requisitos gerais para a competência de laboratórios de ensaio e calibração”. Esta norma assegura que um Laboratório acreditado está apto para produzir dados confiáveis, rastreáveis e reprodutíveis.

Assim, nos passados dias 7 e 9 de outubro de 2020, uma equipa auditora composta por três especialistas nestas áreas, nomeados pelo IPAC, verificaram o grau de implementação da nova norma NP EN ISO/IEC 17025: 2018 no LRVSA e respetiva conformidade. Depois de dois dias de avaliação minuciosa, os auditores entregaram o relatório ao Representante do Gestor de Topo do Sistema de Gestão, o Diretor Regional de Agricultura, na pessoa da Diretora de Serviços dos Laboratórios Agrícolas e Agroalimentares, contendo as constatações e pontos a melhorar, que prontamente foram analisadas pelos Responsáveis Técnicos e pelo Gestor do Sistema de Gestão, de modo a darem cumprimento ao normalmente exigido nestes casos, tendo sido preparado um plano de ações, que juntamente com as respetivas evidências foram enviados ao IPAC em dezembro de 2020.

 

Após análise das mesmas, o IPAC, informou no supra referido e-mail que: “Na sequência da análise do relatório referente à avaliação de acompanhamento realizada ao vosso Laboratório em 9 de outubro de 2020, bem como da respetiva resposta, vimos pelo presente informar V/ Exas. que em Reunião de Decisão de 2021-02-19, por decisão do Vice-Presidente do Conselho Diretivo se concluiu manter a vossa acreditação.”

O Anexo Técnico e a respetiva Lista de Ensaios sob Acreditação Flexível (LEAF) encontram-se disponíveis no site do IPAC no endereço http://www.ipac.pt/ no sítio das entidades acreditadas para alimentos, agroalimentar e veterinária.
Neste momento o LRVSA está acreditado para a realização de 365 ensaios nas áreas das análises veterinárias (4 ensaios), microbiologia alimentar (31 ensaios) e resíduos de pesticidas (330 ensaios), que pode vir a ser aumentado, sempre que seja pertinente e sem custo adicional ao solicitar ao IPAC, atendendo a que este tipo de acreditação (acreditação flexível) assim o permite.

Graças à acreditação do LRVSA, a DSLAA e a DRA cumprem na medida do possível, e, o objetivo de dar resposta, na Região Autónoma da Madeira, às necessidades do setor agrícola e agroalimentar indo de encontro às crescentes exigências que se deparam na sociedade, no âmbito da segurança dos alimentos.

LRVSA 2
LRVSA 3

Desta forma, o LRVSA pode demonstrar aos seus clientes que as análises oferecidas nas áreas de veterinária, microbiologia alimentar e resíduos, são de confiança e qualidade.

Com esta manutenção da acreditação o LRVSA demostra ser um serviço de sucesso, que se coloca num lugar de destaque no panorama regional, nacional e internacional, cada vez mais exigente.

Apesar dos constrangimentos atuais existentes, sobretudo em contexto de pandemia, com todas as limitações existentes e por via do esforço em aumentar a sua eficiência e produtividade, tem sido possível ao Laboratório crescer sob o ponto de vista de oferta analítica, cada vez mais suportada na operacionalidade e disponibilidade dos recursos disponíveis.

Todo este mérito se deve, sem dúvida, para além de todo o envolvimento e empenho da Gestão de Topo, o Diretor Regional, ao grande envolvimento e trabalho árduo dos trabalhadores da DSLAA, desde o seu Diretor de Serviços ao Gestor aos Responsáveis Técnicos e Técnicos das áreas analíticas, Técnicos das áreas administrativas e restantes, e não menos importantes, serviços de apoio, que procuram no seu dia-a-dia melhorar, continuamente, pela eficácia e o bom nome da Instituição.

Por último, referimos que em cada ciclo de acreditação os Laboratórios são sujeitos a avaliações de acompanhamento anuais, sendo que no fim de cada ciclo, para continuar a manter os seus ensaios acreditados, os Laboratórios devem formalizar esta intenção junto ao IPAC, pelo que o SG irá proceder a esta formalização no ano corrente.

Por tal, em 2021, este empenho irá continuar, mais resiliente nesta pandemia e com os seus atuais constrangimentos, para na próxima avaliação, Avaliação de Renovação da Acreditação, agendada para outubro p. f., desta vez ainda mais exigente e mais minuciosa, conseguirmos continuar a manter esta qualificação de Laboratório Acreditado para um novo ciclo 2022-2025.


Zita Vasconcelos
Direção Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural

 

Comentar

Código de segurança
Atualizar