1 1 1 1 1
maracujá in vitro

Maracujazeiro in vitro

O maracujazeiro é uma planta trepadeira do género Passiflora e da família Passifloreaceae.

As espécies de Passiflora são originárias dos trópicos americanos e encontram-se amplamente dispersas geograficamente, sobretudo nos países tropicais e subtropicais.

Existem várias espécies de maracujá, sendo as mais cultivadas para exploração industrial a Passiflora edulis var. flavicarpa Denerger (maracujá amarelo) e a Passiflora edulis Sims. (maracujá roxo).

A cultura in vitro de maracujazeiro oferece a possibilidade de multiplicação de material vegetal em grande escala, ultrapassando os métodos convencionais de propagação vegetativa (sementeira, estaquia, mergulhia e enxertia), obtendo assim um elevado número de plantas, de clones selecionados de variedades com interesse comercial, num curto espaço de tempo e isentas de doenças.

A cultura in vitro de maracujazeiro é efetuada a partir dos gomos axilares dos rebentos jovens, que são divididos em estacas caulinares, sendo posteriormente desinfetadas numa solução de lixívia comercial.

A desinfeção dos tecidos vegetais é essencial para garantir as condições de assepsia e assim a produção de plantas isentas de doenças.

Após a desinfeção, os gomos axilares são cultivados num meio de cultura e dão origem a um tecido indiferenciado, denominado de callus, o qual é induzido através dos reguladores de crescimento (auxinas e citocininas) a se diferenciar e a formar rebentos.

Os rebentos diferenciados são transferidos para um meio livre de hormonas, de modo a promover o seu alongamento. Quando atingem a altura de 1,5 a 2 cm são transferidos para o meio de enraizamento, ao qual é adicionado um regulador de crescimento para induzir a formação de raízes.

Durante este processo, as culturas são mantidas numa sala de cultura à temperatura diurna e noturna de 28º C e 25ºC, respetivamente, e com o fotoperíodo de 16 horas.

Quando as plântulas têm as raízes desenvolvidas e 7 cm de altura são transferidas para substrato e são mantidas num fitoclima programado, permitindo o controlo da temperatura, luz e humidade relativa. Ao fim de 2 meses, as plantas podem ser cultivadas em cultura ao ar livre.

O Núcleo Microlab propaga in vitro o maracujá roxo e um híbrido que resulta do cruzamento do maracujá roxo com o amarelo, o qual é mais tolerante ao vírus PWV.

maracujestacacaulinar maracujdesenvolvdecallus maracujdesenvolvderebentos maracujinvitro
Estaca caulinar Desenvolvimento de callus

Desenvolvimento de rebentos

a partir do callus

Plântula com raízes e

7 cm de altura

 Isabel Nunes Freitas

Tem alguma questão? Coloque-a aqui:

Código de segurança
Atualizar