1 1 1 1 1

Em prol da cereja da Madeira

cereja 2 640 A Secretaria Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural (SRA), através da Direção Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural (DRA), presta assistência técnica semanal aos agricultores, na Junta de Freguesia do Jardim da Serra, mantendo-se, assim, atualizada quanto aos desafios que a cultura da cereja apresenta.

Nos últimos anos, a cerejeira tem sido afetada por várias doenças e pragas, nomeadamente o fungo radicular Armillaria sp. e a mosca da asa manchada (Drosophila suzukii) e, mais recentemente, pelas alterações climáticas.

A DRA, tem, desde sempre, desenvolvido todos os esforços para minimizar os impactos das referidas doenças e pragas, mediante o desenvolvimento de um programa integral de intervenção. Assim:

• Realizou, nos últimos três anos, sete ações de sensibilização, em que participaram 162 agricultores. Seis destas ações abordaram a cultura da cerejeira, das quais destacamos “Boas práticas agrícolas na cultura da cerejeira”; “Divulgação e apresentação dos folhetos sobre a cultura da cerejeira”; “Apresentação do ensaio de avaliação de diferentes porta-enxertos no controlo da Armillaria mellea”; “Plantação e tratamento das cerejeiras”, esta última seguida de demonstração prática de máquinas agrícolas com a colaboração da FLORARAM;
• Publicou, desde 2013 até ao presente, vinte artigos neste Boletim (DICAs) sobre a cultura da cerejeira, que podem ser consultados acedendo ao respetivo arquivo, e que abordam os mais variados aspetos técnicos, desde a instalação dos pomares às boas práticas agrícolas, passando pelos problemas fitossanitários da cultura;
• Prestou apoio a 115 agricultores na realização de 5 302 enxertias e 244 podas;
• Promoveu, em colaboração com as empresas regionais de comercialização de produtos fitofarmacêuticos, a homologação para usos menores na cultura da cerejeira de pesticida para combate à Drosophila suzukii.

 

Por outro lado, a DRA, em colaboração estreita com a Junta de Freguesia do Jardim da Serra, através do Centro de Desenvolvimento e Inovação Sociocultural e Agroflorestal - CDISA Quinta Leonor, constituiu um grupo de trabalho com os principais produtores de cereja do Jardim da Serra, com os quais foram desenvolvidos os seguintes trabalhos:

• elaboração de folhetos informativos/técnicos, sobre o controlo de pragas e doenças na cultura da cerejeira, um em modo de proteção integrada e outro em o modo de produção biológico, que foram apresentados em ação de sensibilização realizada no Jardim da Serra e distribuídos aos agricultores das freguesias do Jardim da Serra e do Curral das Freiras;
• realização de ensaios agronómicos para testar/avaliar diferentes porta-enxertos e possíveis soluções, nomeadamente químicas, biológicas, físicas e biotecnológicas, para o controlo da doença Armillaria sp. na cultura da cerejeira;
• micropropagação de porta-enxertos de cerejeira brava regional no Microlab, para posterior utilização pelos agricultores;
• criação de bancos de germoplasma de todas as variedades regionais de cerejeira no Centro de Fruticultura Temperada de Santana, na Quinta do Santo da Serra e, brevemente, em outras zonas da Região, de modo a preservar este património genético e avaliar a aptidão de outras zonas a esta cultura face às alterações climáticas.

A DRA, igualmente, vem colaborando com a Junta de Freguesia do Jardim da Serra, através do CDISA Quinta Leonor, na organização do evento anual “Tempos de Hortifruticultura”, que decorre nos meses de fevereiro/março e integra várias atividades:

• iniciativas pedagógicas com os alunos da escola EB1/PE do Jardim da Serra;
• prática de podas e enxertias, com enxertadores e podadores disponibilizados pela DRA, o que tem contribuído para o rejuvenescimento dos pomares de cerejeiras.

Ainda com enquadramento neste evento anual, a DRA cede porta-enxertos de cerejeira aos agricultores, tendo, inclusive, disponibilizado este ano porta-enxertos de Marilland com filtro Adara, que se tem revelado um dos porta-enxertos conhecidos mais tolerantes à Armillaria sp. De referir que, neste caso específico, a sua evolução vem sendo monitorizada pelos técnicos da DRA, de modo a verificar a sua resistência à referida doença.

Aurélia Sena
Direção de Serviços de Desenvolvimento da Agricultura
Direção Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural

Comentar

Código de segurança
Atualizar