1 1 1 1 1

“Reagir às problemáticas da cultura da cerejeira na Madeira” no Jardim da Serra

Face aos problemas que têm vindo a se verificar na cultura da cerejeira na Região Autónoma da Madeira, nomeadamente armillaria sp. e drosophilla suzukii, aliadas à falta de frio e consequente falta de abrolhamento, uma situação atípica e que levou a uma redução drástica na produção na campanha de 2020, a Secretaria Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural (SRA), através da Direção Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural (DRA), organizou nos dias 14 e 15 de julho do corrente ano umas jornadas técnicas com o tema “Reagir às problemáticas da cultura da cerejeira na Madeira”.

Estas jornadas técnicas contaram com a presença de umas maiores especialistas da cultura em Portugal, a Dra. Berta Macedo, Professora Auxiliar do Departamento de Biologia e Ambiente (DeBA) da Escola de Ciências da Vida e do Ambiente (ECVA), da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD).

palestra reagir as problematicas da problematic JS 1
Visita aos pomares de cereja na freguesia do Jardim da Serra 

Estas jornadas técnicas iniciaram-se com visitas a explorações agrícolas produtoras de cereja na freguesia do Jardim da Serra, seguida de um simpósio no auditório da SRA, em que se procedeu à apresentação do evoluir da cultura da cerejeira na RAM pela signatária deste artigo e à intervenção da Dra. Berta Macedo, tal como foi tornado notícia no DICAs anterior.

palestra reagir as problematicas da problematic JS 2.1
Palestra com os produtores de cereja do Jardim da Serra 

Ao fim da tarde, foi ainda promovida uma palestra com os produtores de cereja do Jardim da Serra, que contou com uma grande afluência, mais de 100 agricultores.

Esta atividade revelou-se muito importante, pois não só se discutiu os principais problemas que afetam os pomares de cerejeiras na RAM, como também se apresentou soluções, nomeadamente:

 

1 - Armillaria sp.:

• Erradicar todas as plantas mortas existentes nos pomares;
• Cumprir com as boas práticas agrícolas, a exemplo de análises de solo, de modo a corrigir o pH (uma vez que pH’s ácidos favorecem o desenvolvimento do referido fungo) e incorporar matéria orgânica, para aumentar a micro fauna do solo;
• Os terrenos onde se detetou este fungo deveriam estar alguns anos sem instalação de frutícolas, mas, caso tal não seja possível, as futuras plantas devem ser plantadas na entrelinha, mas com porta-enxertos mais tolerantes, sendo estes encomendados até dois anos antes, num viveirista certificado.

2 - Drosophilla suzukii:

• Colocação de armadilhas;
• Utilização de produtos químicos homologados;
• Em alternativa às recomendações anteriores, a utilização de uma rede de cobertura para as cerejeiras, que tem como vantagens a proteção contra a chuva e o granizo e o aumento da temperatura de 1,5 a 2,5ºC, e, como desvantagens, o custo inicial elevado, a colocação depende da topografia do terreno e a renovação das redes depende, entre outros, da taxa de incidência dos raios ultravioleta, um dos principais fatores de degradação dos plásticos.

3 - Falta de frio:

• Controlar o vigor, efetuando podas;
• Porta-enxertos ananicantes ou semi-ananicantes;
• Rega deficitária (o que já acontece);
• Gestão do azoto (N);
• Aplicação de produtos recomendados (por exemplo: bioestimulantes e extrato de alho);
• Utilização de outras variedades menos exigentes em horas de frio.


Para finalizar, foram apresentadas aos agricultores algumas estratégias para melhorar a qualidade da cereja, nomeadamente a cobertura das cerejeiras, a aplicação de bioestimulantes, glicina-betaína e CaCl2, de modo a diminuir os stresses abióticos, reduzir a incidência de doenças, melhorar a performance fisiológica das plantas e aumentar a qualidade nutricional dos frutos, revelando-se mais resistentes à colheita e ao armazenamento.

No final, houve ainda um período de debate, por sinal bastante participado.

Na sequência destas jornadas e após debate entre os técnicos da DRA, está a ser elaborado um Plano de Ação para a cultura da cereja, com o objetivo de promover esta cultura na RAM, em particular no Jardim da Serra.


Aurélia Sena
Direção Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural

Comentar

Código de segurança
Atualizar