1 1 1 1 1 Pontuação 5.00 (1 Votos)

Visita de estudo dos alunos do Mestrado de Bioquímica Aplicada da Universidade da Madeira ao LQA

À semelhança de anos anteriores, os alunos da disciplina “Práticas Laboratoriais de Diagnóstico” do Mestrado de Bioquímica Aplicada da Universidade da Madeira (UMa), acompanhados pela Professora Doutora Irene Câmara Camacho, coordenadora do mesmo, visitaram no passado mês de março, os Laboratórios de Virologia, Bacteriologia, Micologia, Nematologia e Entomologia, da área da Fitopatologia da Divisão de Qualidade Agrícola (DQA) do Laboratório de Qualidade Agrícola (LQA), na Camacha.

  1 visita UMa LQA
Fig. 1 - Colheita de amostras

Nos terrenos do LQA, foi simulada uma colheita de amostra (Fig. 1), tendo-se explicado o procedimento de colheita para análise fitopatológica, bem como o preenchimento das respetivas Fichas de Pedido de Análise Fitopatológica, que devem acompanhar sempre cada amostra. Referiu-se ainda o procedimento do seu registo na DQA e a distribuição das mesmas pelos diferentes laboratórios.

No Laboratório de Virologia, foi mostrado como se realiza o teste ELISA (Enzyme-Linked Immunosorbent Assay), técnica utilizada para deteção de vírus, e explicou-se sucintamente a análise molecular por PCR clássico realizada neste Laboratório.

  2 visita UMa LQA
Fig. 2 - Isolamento em meio cultura pura
no Laboratório de Micologia

No Laboratório de Micologia, foram explicadas as principais técnicas para o isolamento e identificação de fungos fitopatogénicos, nomeadamente, a técnica da câmara húmida e o isolamento em cultura pura. Foi dado a conhecer como se processa a identificação dos fungos à lupa binocular e ao microscópio ótico. Explicou-se ainda, muito sucintamente, como se efetuam as análises moleculares por PCR dos fungos de quarentena Os alunos tiveram oportunidade de executar a técnica de câmara húmida e o isolamento em cultura pura (Fig. 2).

No Laboratório de Bacteriologia, foi dado a conhecer as técnicas que se aplicam para o diagnóstico e identificação de bactérias fitopatogénicas, como a observação dos sintomas, a preparação das amostras para análise e o isolamentos em meio de cultura.

  3 visita UMa LQA
Fig. 3 - Isolamento em meio de cultura
para identificação de bactérias fitopatogénicas

Foi referido ainda, que para identificar as bactérias fitopatogénicas, efetua-se estudos morfológicos, bioquímicos, fisiológicos e moleculares. Após a explicação, os alunos realizaram isolamentos em meio de cultura da amostra colhida (Fig. 3). Por fim, observaram alguns crescimentos de colónias bacterianas de amostras em análise.

 
  4 visita UMa LQA
Fig. 4 – A introdução à temática da nematologia

A visita ao Laboratório de Nematologia iniciou-se com uma breve introdução aos nemátodes em geral e aos fitoparasitas em particular, onde foram abordados os prejuízos causados por algumas espécies em várias culturas, quer agrícolas, quer florestais, e as estratégias que podem ser utilizadas para minimizar os seus impactos negativos (Fig. 4).

Foram explicadas as características morfológicas que distinguem os nemátodes de vida livre dos nemátodes parasitas das plantas, assim como os métodos de identificação das diferentes espécies.

5 visita UMa LQA
Fig. 5 – Extração de nemátodes
de uma amostra de solo

Na parte prática, os alunos aprenderam a extrair nemátodes de uma amostra de solo (Fig. 5) e, posteriormente, procederam à sua observação à lupa binocular, assim como de outros nemátodes existentes no laboratório, concretamente o nemátode-da-madeira-do-pinheiro (Bursaphelenchus xylophilus), quistos de Globodera sp. e Meloidogyne sp. em raízes de tomateiro coradas.

No Laboratório de Entomologia foram abordados os principais métodos de preparação dos insetos bem como as várias formas de observação dos mesmos (observação visual, à lupa e ao microscópio ótico) e a sua posterior identificação. Os alunos tiveram a oportunidade de conhecer a coleção entomológica do Laboratório, constituída por cerca de 30 000 exemplares de insetos colhidos na RAM, nomeadamente, pragas e auxiliares associados a culturas agrícolas, ornamentais e florestais e ainda outros insetos (Fig. 6), o que permitiu que se inteirassem da diversidade existente na Madeira no que diz respeito a esta classe de artrópodes.

  6 visita UMa LQA
Fig. 6 – Coleção entomológica do LQA

No final foi explicado como eram elaborados e emitidos os boletins resposta de análise fitopatológica, com os resultados a serem enviados aos clientes.

Foi referida a importância da aplicação das boas práticas culturais no campo e envio de amostras para análise e diagnóstico das doenças e pragas logo que sejam detetados os primeiros sintomas/estragos nas culturas.

 

Laboratório de Qualidade Agrícola
Direção Regional de Agricultura

Tem alguma questão? Coloque-a aqui:

Código de segurança
Atualizar