1 1 1 1 1

Meteorologia agrícola
A informação técnica semanal ao seu dispor!

apuramentos meteorologicos semana52 (LEGENDA)

Segundo os apuramentos meteorológicos para o período, compreendido entre 26 de maio e 1 de junho (ver quadro), verificou-se pouca precipitação, alguns dias de céu limpo alternando com alguma nebulosidade, com as temperaturas a subir significativamente. Com estas condições climáticas, podemos planear todo o tipo de operações culturais, inerentes às boas práticas agrícolas, alguma reserva na aplicação de produtos fitofarmacêuticos, que apenas deverão ser aplicados nas horas de menor calor.

Devido à pandemia do coronavírus, convém lembrar sempre os cuidados acrescidos de segurança que se devem ter na execução de todas as tarefas na exploração agrícola (Ver DICAs n.º 374/2020 – ‘Medidas de higiene especiais a observar nos trabalhos agrícolas’).

Devemos dar importância máxima à necessidade de efetuar as regas, em toda a região, operação a ser efetuada, também, nas horas de menor calor. Ver no quadro, os indicadores da Precipitação (P) e Evapotranspiração potencial (ETP) que evidenciam a necessidade de encontrar os equilíbrios hídricos.

Algumas alterações nas previsões climáticas para a próxima semana, (até 11 de junho), alguma nebulosidade e precipitação em toda a região. Com estas temperaturas os insetos encontram condições para entrar em atividade, devemos monitorizar permanentemente as nossas culturas.

Traça do Tomate (Tuta absoluta)

tomateiro traca
 Foto 1 - A – Adulto; B – ovos; C – lagarta; D – pupa

A Tuta absoluta é um lepidóptero originário da América do Sul e foi detetada na Península Ibérica em 2006. Esta praga apresenta um enorme potencial reprodutivo, capaz de causar estragos avultados em algumas culturas hortícolas, destacando-se a do tomate (produzido tanto em estufa como ao ar livre). As fêmeas são em maior número que os machos e vivem, geralmente, mais tempo. Cada fêmea põe cerca de 260 ovos, principalmente nas folhas, mas pode também efetuar posturas nos caules e frutos. As larvas passam por quatro estádios durante os quais mudam o seu exoesqueleto e crescem, abrindo galerias cada vez maiores. Em cada galeria existe sempre um orifício de entrada e um de saída. As larvas podem sair da galeria várias vezes, voltando a introduzir-se na folha numa localização diferente. Cada larva escava uma galeria e é possível observarem-se várias galerias na mesma folha. Alimentam-se do mesófilo, deixando a epiderme intacta. As larvas deixam-se cair no solo, onde pupam debaixo de folhas caídas ou de uma pequena camada de terra; pode também acontecer que pupem na folha ou mesmo no interior da galeria. A praga pode ter 10 a 12 gerações por ano.

 

previsoes meteorologicas semana52 (NOTA)

A Tuta absoluta é extremamente rápida na colonização das culturas que ataca, nomeadamente, devido aos seguintes fatores:

- longevidade das fêmeas relativamente longa;

- deslocação aproveitando as correntes de ar;

- elevado número de hospedeiros disponíveis;

- possui um rápido ciclo biológico que se alia a uma elevada taxa de multiplicação.

Por todos os motivos apontados anteriormente, e pelas características que a praga apresenta, é de uma importância vital que, para além das medidas culturais e preventivas que possam ser tomadas para dificultar a instalação e propagação das pragas nas culturas, se controlem as populações com inseticidas eficazes e homologados para o efeito. (Ver site da DGAV – sifito.dgav.pt).

tomateiro traca estragos
 Foto 2 - Estragos causados pela Tuta absoluta nas folhas e no tomate

Instale uma armadilha para monitorização do voo da Tuta absoluta. À falta de armadilha, vigie o aparecimento de sintomas nas plantas. Não faça tratamentos desnecessários.

Como método de luta biotécnica, podem ser agora colocadas nas estufas ou ao ar livre, onde tenha sido detetada a praga, armadilhas de água para captura massiva de Tuta absoluta. Estas armadilhas podem ser improvisadas com pequenas bacias e tinas, fundos de bidão ou de garrafão plástico cortados, etc. Enchem-se com água com umas gotas de detergente ou de óleo, para quebrar a tensão superficial da água e permitir que as borboletas de Tuta absoluta se afundem. Em cada armadilha coloca-se uma feromona de Tuta, suspensa por cima da água. O método pode, por si só, diminuir as populações desta praga em mais de 80%.

Miguel Teixeira
Divisão de Assistência Técnica à Agricultura/DSDA
Direção Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural

Para mais informação relativamente à prevenção e/ou tratamento, deverá contactar o seguinte serviço da Direção Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural:

Direção de Serviços de Desenvolvimento da Agricultura /DSDA
Divisão de Assistência Técnica à Agricultura /DATA
Correio eletrónico: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Telef.: 291 211 260

Comentar

Código de segurança
Atualizar