1 1 1 1 1

Meteorologia agrícola
A informação técnica semanal ao seu dispor!

apuramentos meteorologicos (LEGENDA)

CLIMATOLOGIA

Segundo os apuramentos meteorológicos de 19 a 25 de fevereiro (ver quadro), mantiveram-se dum modo geral as condições do estado do tempo, ou seja, clima ameno. Nebulosidade esporádica, precipitação nula e temperaturas médias acima do normal para a época. Esta estação continua atípica.

Atenção à frequência das regas, uma vez que os níveis de precipitação têm sido baixos para a época. Ver no quadro, os indicadores da Precipitação (P) e Evapotranspiração potencial (ETP).

A previsão do estado do tempo para os próximos dias (até 7 de março), com poucas alterações, fraca nebulosidade, temperaturas máximas a baixar muito pouco e ainda a manter-se a ausência de precipitação.

Uma vez que se verificam temperaturas médias altas para esta época do ano, podemos antecipar algumas monitorizações por forma a prevenir e estar preparado para o aparecimento de algumas pragas.

Aranhiço vermelho na macieira (Panonychus ulmi)

aranhico vermelho 1 aranhico vermelho 2

Até ao início da primavera fim de março, é possível proceder à estimativa do risco de ataques de primavera de aranhiço vermelho, na perspetiva e na prática da Proteção Integrada.

Procedimento

1. Colher 60 raminhos com 2 gomos opostos (2 raminhos por árvore em 30 árvores espalhadas pelo pomar);

2. Contar os ovos de inverno presentes em cada gomo e na base do gomo (é necessária uma lupa);

 

previsoes meteorologicas (NOTA)

3. Se tiver dificuldade na realização desta estimativa, recolha a amostra e envie-a para o Laboratório Agrícola da Madeira – Entomologia, o quanto antes. Também poderá solicitar uma folha de cálculo Excel para introdução dos resultados da contagem e estimativa rápida do risco;

4. Se o total de ovos nos 60 raminhos for igual ou maior que 1000 (mil), há risco de ataques significativos e será necessário prever a aplicação de um óleo de verão o mais próximo possível da eclosão dos ovos (fim de fevereiro).

Há que ter em conta que uma limitação duradoura das populações de aranhiço vermelho só pode ser conseguida com a prática de uma proteção racional (integrada) contra os outros principais inimigos da cultura da macieira. Assim, deve ser tomado um conjunto de medidas simultâneas:

• Na luta contra as doenças, utilizar fungicidas que tenham efeito repulsivo sobre os ácaros (por ex.: enxofre);

• No controlo do bichado, utilizar meios de luta mais específicos contra esta praga (confusão sexual, vírus da granulose – bio-inseticida, Bacillus thuringiensis);

• Reduzir ao mínimo a aplicação de inseticidas contra afídeos e outras pragas;

• Ponderar muito bem as aplicações de acaricidas, no caso de necessidade de intervenção direta contra o aranhiço vermelho (risco ou presença de populações muito elevadas);

• Ter em conta todas as práticas que possam poupar os insetos auxiliares e contribuir para a sua manutenção e expansão no pomar. Insetos e ácaros auxiliares têm um papel fundamental no controlo do aranhiço vermelho, mantendo-o em níveis insignificantes.

Para mais informação relativamente à prevenção e/ou tratamento, deverá contactar o seguinte serviço da Direção Regional de Agricultura:

Direção de Serviços de Desenvolvimento da Agricultura /DSDA
Divisão de Assistência Técnica à Agricultura /DATA
Correio eletrónico: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Telef.: 291 211 260

Tem alguma questão? Coloque-a aqui:

Código de segurança
Atualizar