1 1 1 1 1

Meteorologia agrícola
A informação técnica semanal!

apuramentos meteorologicos (LEGENDA)

Da análise dos apuramentos meteorológicos de 10 a 16 de outubro, verifica-se que, conforme previsto, os dias foram de muito calor. Os valores da intensidade média do vento continuam a permitir, de modo geral, a realização de todas as operações culturais, em particular a aplicação de produtos fitofarmacêuticos, devendo haver, no entanto, um especial cuidado para não realizar estas aplicações nas horas mais quentes do dia. Relativamente às regas, continua a necessidade de efetuá-las, apesar de já ter ocorrido alguma precipitação, de acordo com as necessidades hídricas das culturas.

A previsão do estado do tempo para os próximos dias (até 26 de outubro) reserva-nos alguma nebulosidade na costa sul, podendo ocorrer precipitação fraca, em particular no próximo sábado. A norte, o IPMA prevê a possibilidade de chuva forte até domingo, passando a períodos de chuva fraca até dia 26 do corrente mês.

Uma chamada de atenção para quem tem mata de castanheiros (soutos):

galhas peciolo folhas Na erradicação da Vespa das Galhas do Castanheiro (Driocosmus kuriphilus), a aplicação de inseticidas é absolutamente ineficaz, razão pela qual não está autorizado em Portugal qualquer inseticida contra esta praga. Assim, a venda e aplicação de inseticidas ou de outros produtos similares, com suposta ação contra a vespa das galhas do castanheiro, é também ilegal.

 

previsoes meteorologicas (NOTA)

O controlo da vespa das galhas do castanheiro tem única e somente um modo de luta autorizado, a luta biológica, que é realizada exclusivamente através da introdução de um inseto parasitóide específico, o Torymus sinensis.

Nos locais onde foram feitas largadas do parasitoide Torymus sinensis e nas proximidades, não deve cortar ramos nem galhas, nem aplicar qualquer inseticida.

A vespa das galhas do castanheiro é o mais perigoso inimigo do castanheiro até agora conhecido e continua em expansão na Região Autónoma da Madeira, pelo que a introdução e fixação na região do parasitoide Torymus sinensis é a única possibilidade de controlo da vespa das galhas do castanheiro.

A fixação deste parasitoide é difícil, sobretudo no primeiro ano. No entanto, se puder desenvolver-se em boas condições, poderá dispersar- se anualmente até 4 km do local das largadas, colonizando o território e controlando, a médio prazo, a vespa das galhas. Por isso, não deve fazer nada, senão deixar a natureza seguir agora o seu curso.

Para mais informação relativamente à prevenção e/ou tratamento deverá contactar o seguinte serviço da Direção Regional de Agricultura:

Direção de Serviços de Desenvolvimento da Agricultura /DSDA
Divisão de Assistência Técnica à Agricultura /DATA
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. 
Telef.: 291 211 260

Tem alguma questão? Coloque-a aqui:

Código de segurança
Atualizar