1 1 1 1 1

Meteorologia agrícola
A informação técnica semanal ao seu dispor!

apuramentos meteorologicos (LEGENDA)

CLIMATOLOGIA

Entre os dias 25 de agosto e 1 de Setembro estão previstos dias com nebulosidade, exceptuando domingo (dia 28 – céu limpo). Aguaceiros a acontecer serão de forma muito esporádica e apenas no norte da ilha. Manter regas diárias de acordo com as necessidades das culturas (ver indicadores precipitação (P) e evapotranspiração potencial (ETP), no anexo).

Segundo estas previsões, as condições do estado do tempo serão boas para o desenvolvimento de atividades na exploração agrícola, nomeadamente, práticas culturais (monda de frutos, eliminação de focos de pragas, substituição periódica do atrativo nas garrafas mosqueiras, recolha e destruição de frutos caídos no solo, etc…) que permitam diminuir as populações das principais pragas e evitar a aplicação sistemática de produtos fitofarmacêuticos.

TRATAMENTOS FITOSSANITÁRIOS

Na aquisição dos produtos fitofarmacêuticos deve informar-se claramente das finalidades dos mesmos, assim como quais as culturas para o qual está homologado, ou seja, para as quais está autorizada a sua aplicação. Não esquecer, que é uma obrigação, registar no caderno de campo, as utilizações dos produtos fitofarmacêuticos.

Respeite o Intervalo de Segurança (IS) que é o número de dias que decorre entre a aplicação e a colheita. Consulte sempre o rótulo do produto fitofarmacêutico.

Sempre que possível deverá alternar o uso dos produtos fitofarmacêuticos, por outros com a mesma finalidade e modo de ação diferente, por forma a não permitir o aparecimento de resistências.

Estas condições climáticas são particularmente favoráveis ao aparecimento de pragas e/ou doenças. Deveremos continuar com as observações às culturas por forma a detetar precocemente quaisquer sinais ou sintomas de pragas ou doenças, como tem sido recomendado nas semanas anteriores.

- Frutícolas

Com as boas condições do estado do tempo na costa sul, irá verificar-se um aumento na atividade da mosca da fruta (Ceratitis capitata), daí recomendarmos, dum modo geral, para todos os pomares vulneráveis à mesma, a colocação de garrafas mosqueiras (armadilhas de captura massiva), e proceder à substituição periódica (15 em 15 dias) do atrativo nessas garrafas, como uma medida complementar e não de substituição aos produtos fitofarmacêuticos autorizados. Em média colocar uma armadilha por cada três árvores.

- Citrinos

O rachamento dos frutos deve-se a fatores de natureza fisiológica e não a doenças. Acontece com frequência quando as árvores são sujeitas a deficiência de água no solo (stress hídrico), no período de crescimento ativo dos frutos (primavera/verão). Com as primeiras chuvadas de fim de verão e outono, as células do interior do fruto aumentam de volume, enquanto as da epiderme não conseguem acompanhar esse aumento e o fruto racha. Como medida preventiva, deve regar as árvores durante o verão, com regularidade mas sem excessos.

Condições climáticas favoráveis ao aparecimento de várias cochonilhas, tais como: cochonilhas-negra, cochonilhas-virgula, cochonilhas-algodão, etc. - são pragas frequentes em pomares de citrinos que causam prejuízos diretos ao sugarem a seiva das plantas e indiretos pela melada que excretam e fumagina que aí se desenvolve. A excreção de meladas pelas cochonilhas atrai formigas, que só vão apenas em busca de alimento e não prejudicam as árvores. Cuidados culturais como podas, adubações, regas equilibradas, aplicação de métodos de luta que protejam os insetos auxiliares (ex: joaninhas), diminuem o risco de desenvolvimento de grandes populações de cochonilhas nos citrinos. O tratamento com Óleo de Verão é eficaz, devendo apenas ser realizado se os frutos tiverem o tamanho superior ao de uma noz. Na véspera do tratamento deve fazer uma rega abundante e a sua aplicação deve ser feita fora das horas de maior calor.

- Anoneiras

Monitorizar as anoneiras na tentativa de detetar a presença da cochonilha algodão e caso se verifique a sua presença poderá aplicar o Imidan 50 WP (fosmete) numa concentração de 60g/hl.

- Abacateiro

Conveniente nesta altura do ano estar atento também, à atividade do percevejo do abacateiro – Pseudacysta perseae, para aos primeiros sinais da sua presença atuarmos de imediato com aplicação de Confidor O-TeQ (imidaclopride) numa concentração de 50ml/hl.

Neste momento, as condições climáticas e fenológicas do abacateiro são favoráveis ao ataque do aranhiço branco ou cristalino do abacateiro - Oligonychus perseae nas folhas. O ataque provoca a queda prematura das folhas, comprometendo a futura produção e expondo tanto os frutos como os ramos, a queimaduras pelo sol.

Assim, recomenda-se pulverizar os mesmos, molhando toda a copa, preferencialmente as páginas inferiores das folhas, devendo utilizar-se para tal:
O Vertimec 018 EC, numa concentração: 150ml/hl no máximo de 2 aplicações: 1.º tratamento - ao aparecimento dos primeiros sintomas e 2.º tratamento - três semanas depois, 14 dias será o intervalo de Segurança (período que deverá decorrer obrigatoriamente entre a aplicação e a colheita).

Observação: dever-se-á regar as plantas um dia antes da aplicação do produto.

 

previsoes (NOTA)

- Pomoideas e prunoideas

Prosseguir com os tratamentos preventivos e curativos contra o pedrado das macieiras e das pereiras e ainda lepra dos pessegueiros. O risco de aparecimento de infeções secundárias mantem-se elevado. Recomenda-se a proteção, com um produto de contacto de acção preventiva, apenas nos pomares onde existam manchas de pedrado. No Modo de Produção Biológico podem ser utilizados fungicidas anti-pedrado à base de cobre e de enxofre.

Como as condições se encontram favoráveis ao desenvolvimento do Bichado-da-Fruta considera-se necessário o tratamento fitossanitário. A fim de avaliar a intensidade de ataque no seu pomar, recomendamos a realização da seguinte metodologia de estimativa do risco: observação de 1000 frutos (20 frutos por árvore em 50 árvores), na bordadura e interior do pomar. Se contabilizar 5 a 10 frutos atacados deve proteger o seu pomar com um produto de ação larvicida.

Face às elevadas temperaturas registadas, recomendamos uma vigilância aos pomares para uma prospeção ao aranhiço vermelho. Observe 100 folhas do terço médio do ramo (2 folhas x 50 plantas) e, se registar 50 a 75% de folhas ocupadas com formas móveis deste ácaro, deve realizar um tratamento com um acaricida homologado.

A partir desta altura, deve iniciar os tratamentos no pomar contra as doenças de conservação nas macieiras. Nas variedades temporãs, deve aplicar um fungicida cujo intervalo de segurança se esgote até à colheita (fosetil-alumínio: 3 dias; tiofanato-metilo: 14 dias). Nas variedades de estação, destinadas a conservação, deve utilizar um fungicida de intervalo mais prolongado, à base de tirame: 35 dias.

No Modo de Produção Biológico podem ser utilizados fungicidas à base de cobre nos tratamentos preventivos de doenças.

- Hortícolas

No caso de deteção de ataques da traça (Tuta absoluta) no tomateiro, adotar as medidas adequadas, ou seja, realizar a aplicação de um inseticida específico para esta praga - Bacillus thuringiensis (BELTHIRUL, PRESA, SEQURA, TUREX); clorantraniliprol (ALTACOR); emamectina (AFFIRM); indoxacarbe (EXPLICIT WG, STEWARD); metomil (LANNATE L); spinosade (SPINTOR).

Como medida preventiva, em estufas, proteger muito bem as instalações com rede fina e duplas portas, que impeçam ou dificultem a entrada das borboletas de traça do tomateiro.

Modo de Produção Biológico

Quem tiver colocado armadilhas para monitorização da praga, se as capturas passarem de 3 a 4 por armadilha e por semana, deve instalar dispositivos de captura massiva, ou seja, armadilhas de água, com feromona específica da Tuta absoluta, colocadas à razão de 20 a 40 por hectare, de acordo com o grau de infestação da praga em cada local.

Os inseticidas homologados em MPB são à base de spinosade (SPINTOR) e de Bacillus thuringiensis (BELTHIRUL, PRESA, SEQURA, TUREX).

Para as hortofrutícolas mais comuns nesta época (morango, tomate, alface, pepino, abobrinha, feijão, milho, etc…) há condições favoráveis ao aparecimento e proliferação de pragas como aranhiços, tripes e afídios. Os agricultores deverão monitorizar com frequência o aparecimento destas pragas e quando atingido o nível económico de ataque realizar os tratamentos, utilizando os produtos fitofarmacêuticos menos tóxicos e respeitando as condições de utilização referidas no rótulo. Deverão ter sempre em atenção o respeito pelo intervalo de segurança, como já referido atrás.

OPERAÇÕES CULTURAIS

Preparar o terreno para sementeira e plantações do próximo outono. Na sucessão das culturas hortícolas (rotação), técnica cultural muito utilizada na Região, é de todo conveniente alternar com uma leguminosa, para que haja um equilíbrio de azoto no solo, retardando ao máximo o esgotamento do solo, neste nutriente.

Não se esqueça e tire o máximo partido das matérias fertilizantes produzidas na sua exploração, particularmente estrumes, chorumes e outros, constituindo os adubos minerais apenas o complemento necessário ao défice de nutrientes eventualmente existente.

Recomenda-se a limpeza das matas e evitar acumulação de resíduos vegetais facilmente combustíveis (madeira e folhagem), a fim de se evitarem eventuais incêndios, não faça fogueiras nem queimadas.

Para mais informação relativamente à prevenção e/ou tratamento deverá contactar o seguinte serviço da Direção Regional de Agricultura:

Direção de Serviços de Desenvolvimento da Agricultura
Correio eletrónico: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Telefone: 291 214 310

Tem alguma questão? Coloque-a aqui:

Código de segurança
Atualizar