1 1 1 1 1

Meteorologia agrícola
A informação técnica semanal ao seu dispor!

apuramentos DICAs 427 (LEGENDA)

meteorologia agricola DICAs 427

Os fatores e elementos climáticos

Os elementos são as grandezas meteorológicas que comunicam ao meio atmosférico as suas propriedades, características e peculiaridades.

Os principais elementos são a temperatura, a humidade, a precipitação pluvial (chuva), o vento, a nebulosidade e a pressão atmosférica, entre outros. Estes elementos variam no tempo e no espaço e são influenciados pelos chamados fatores climáticos, agentes causais que condicionam os elementos climáticos. Rigorosamente, uma distinção entre fator e elemento é, em muitos casos, artificial. Por exemplo, a radiação pode ser um fator que promove variações das condições atmosféricas, mas, considerando-a isoladamente, é também um elemento climático, dependente da latitude, altitude e época do ano.

Em escala global, os fatores físicos capazes de modificar o clima podem ser classificados como externos e internos.

Destacam-se os seguintes fatores externos:

• Flutuação na quantidade de energia solar emitida;
• Variações na órbita terrestre e no eixo de rotação;
• Aumento ou diminuição do dióxido de carbono atmosférico;
• Variação na quantidade de poeiras atmosféricas e;
• Modificações nas características da superfície dos continentes e dos oceanos.

Em escala regional ou local, outros fatores podem ser acrescentados: altitude, relevo, presença do mar (maritimidade), continentalidade, latitude, tipo de solo, rotação da Terra, estações do ano, vegetação, correntes oceânicas, etc.

Escala espacial dos fenómenos atmosféricos

A ocorrência dos fenómenos atmosféricos pode ser separada em três grandes categorias, ou seja, macro, meso e microescala. São elas:

1. Macroescala: trata dos fenómenos em escala regional ou geográfica, que caracterizam o clima de grandes áreas pelos fatores geográficos (altitude, latitude, etc.). Esta escala deve ser focalizada quando se discute mudança climática.

 

previsoes DICAs 427 (NOTA)

2. Mesoescala: refere-se aos fenómenos em escala local, em que a topografia (topo ou meso) condiciona o clima pelas condições de relevo local. A exposição do local (definida pelas coordenadas celestes E, S, E ou W), a configuração (vale, espigão, encosta) e a inclinação do terreno determinam o clima local.

3. Microescala: é aquela que condiciona o clima em pequena escala (microclima), sendo função do tipo de cobertura do terreno (solo nu, gramado, floresta, cultura rasteira, represa, etc.) e que determina o balanço local de energia. O fator principal é a cobertura do terreno e cada tipo de cobertura tem influência própria sobre o microclima.

De acordo com os apuramentos meteorológicos emitidos pelo IPMA para o período compreendido entre 13 e 19 de abril (ver quadro), as condições do estado do tempo melhoraram ligeiramente relativamente à semana anterior. A temperatura com valores primaveris, a velocidade do vento a fazer-se sentir de forma moderada e a precipitação a baixar significativamente.

A disponibilidade de água no solo depende do balanço entre a chuva e evapotranspiração. Verifica-se que os valores da precipitação estão sensivelmente equilibrados com os valores da evapotranspiração(ver quadro), o que permite suspender as regas.

Segundo as previsões do IPMA até 29 de abril (ver quadro), voltar-se-á a ter um agravamento nas condições do estado do tempo, com o aumento significativo da nebulosidade e aguaceiros em toda Região.

Com estas condições climáticas, há que observar atentamente as culturas, de modo a detetar os primeiros sintomas de doenças e, assim, poder agir de forma atempada, minimizando eventuais prejuízos. Os tratamentos preventivos contra os fungos devem ser equacionados e agendados e realizados em conformidade.

 

Miguel Teixeira
Divisão de Assistência Técnica Agronómica/DSDA
Direção Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural

Para mais informação relativamente à prevenção e/ou tratamento, deverá contactar o seguinte serviço da Direção Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural:

Direção de Serviços de Desenvolvimento Agronómico /DSDA
Divisão de Assistência Técnica Agronómica /DATA
Correio eletrónico: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Telef.: 291 211 260

Comentar

Código de segurança
Atualizar