1 1 1 1 1

Assembleia Geral da ONU proclama 2021 o Ano Internacional das Frutas e Legumes

AI frutas e legumes CARTAZ peq 2021 foi proclamado na 74.ª sessão da Assembleia Geral da ONU o Ano Internacional das Frutas e Legumes, dedicado à sensibilização sobre o importante papel das frutas e legumes na alimentação, saúde e segurança alimentar.

A FAO, a agência líder para, em colaboração com outras organizações, celebrar o ano lançou o ano com um evento virtual internacional, que se realizou no dia 15 de dezembro de 2020.

O Diretor-Geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), Qu Dongyu, descreveu a iniciativa como «uma oportunidade única para aumentar a consciencialização global» e afirmou que a pandemia COVID-19 desafiou as pessoas a encontrar novas formas de combater a fome e a desnutrição. Destacou ainda o papel das tecnologias digitais na melhoria da nutrição e das oportunidades de mercado. «Na atual crise de saúde que enfrentamos em todo o mundo, promover dietas saudáveis para fortalecer os nossos sistemas imunitários é especialmente apropriado», apelando ainda à produção alimentar mais saudável e sustentável, através da inovação e tecnologia, bem como à redução das perdas e desperdícios alimentares.

Ao mesmo tempo que registava os desafios na melhoria da produção e das cadeias agroalimentares, o Diretor-Geral da FAO encorajou os países a verem o Ano Internacional como uma oportunidade para melhorar as infraestruturas e práticas agrícolas, apoiando assim os pequenos agricultores. Acrescentou ainda que as frutas e legumes são uma boa forma de os agricultores criarem culturas de rendimento.

Na sua mensagem, o Secretário-Geral da ONU, António Guterres, apelou a uma abordagem mais «holística» da nutrição e sustentabilidade, assinalando que a Cimeira dos Sistemas Alimentares do próximo ano seria também uma oportunidade para considerar a fragilidade dos sistemas alimentares.

 

As frutas e vegetais são boas fontes de fibras alimentares, vitaminas e minerais e fitoquímicos benéficos. A FAO e a Organização Mundial de Saúde recomendam que cada adulto consuma diariamente pelo menos 400 gramas de frutas e legumes para prevenir doenças crónicas, tais como cancro, diabetes, doenças cardíacas e obesidade, bem como para combater deficiências de micronutrientes.

Com a pandemia da COVID-19, a necessidade de transformar e reequilibrar a forma como os nossos alimentos são produzidos e consumidos tem sido mais acentuada.

O Diretor-Geral da FAO observou que as perdas e desperdícios alimentares no setor das frutas e legumes continuam a ser um problema com consequências consideráveis e que «as tecnologias e abordagens inovadoras são de importância crítica», uma vez que «podem ajudar a manter a segurança e a qualidade, aumentando o prazo de validade dos produtos frescos e preservando o seu elevado valor nutricional».

Até 50% das frutas e legumes produzidos nos países em desenvolvimento perdem-se na cadeia de abastecimento entre a colheita e o consumo.

A defesa dos produtos frescos é consistente com o objetivo de reforçar o papel dos pequenos agricultores e agricultores familiares, e promove opções de mercado mais amplas para milhões de famílias rurais. As oportunidades de equidade de género são também dignas de nota, uma vez que as mulheres desempenham frequentemente papéis de liderança para as suas famílias tanto na produção como no consumo de fruta e legumes.

O Ano Internacional das Frutas e Legumes 2021 insere-se na Década de Ação da ONU sobre Nutrição (2016 - 2025) e na Década da Agricultura Familiar da ONU (UNDFF 2019 - 2028).

Fonte: AgroTec

Comentar

Código de segurança
Atualizar