1 1 1 1 1

Meteorologia agrícola
A informação técnica semanal ao seu dispor!

apuramentos meteorologicos 25a31 agosto (LEGENDA)

De acordo com os apuramentos meteorológicos no período compreendido entre 6 e 12 de outubro (ver quadro), verificamos não ter havido, muitas alterações relativamente à semana anterior, ou seja, os valores de precipitação com algum significado no norte da Região, as temperaturas a baixar paulatinamente.

As regas continuam ainda a ter muita importância nesta época do ano, principalmente no sul da Região, ver no quadro, os indicadores da Precipitação (P) e Evapotranspiração potencial (ETP) que evidenciam ainda esta necessidade. Por este motivo, deveremos estar muito atentos às necessidades hídricas das culturas.

Nas previsões climáticas para a próxima semana (até 22 de outubro), são esperadas algumas alterações, ou seja, presença de nebulosidade em toda a região, precipitação esperada para toda a região, a partir do fim de semana, acontecendo com maior intensidade a norte, temperaturas médias a cair gradualmente. Agendar com extremo cuidado as operações culturais previstas, de acordo com este quadro meteorológico.

Controlo Biológico de doenças e pragas

microrganismos
 Figura 1- Microrganismos usados para combater pragas e doenças

Na atualidade estima-se que nos países industrializados aproximadamente 25% do total da produção possa ser desperdiçado devido a pragas e a doenças que ocorrem tanto no campo como durante o armazenamento, o transporte e a comercialização.

Nos últimos anos, a comunidade científica mundial tem-se dedicado intensivamente ao estudo de diversas estratégias de biocontrolo, como alternativa ao uso excessivo dos produtos fitossanitários de síntese, usados tradicionalmente no controlo de doenças de pós-colheita. Procura-se assim, reduzir o uso de substâncias químicas prejudiciais para a saúde pública e o ambiente, assim como evitar o surgimento de estirpes patogénicas resistentes.

Recentemente, a crescente dificuldade na homologação de novos Produtos Fitofarmacêuticos (PF), a iminente proibição legal, pela UE, do uso dos que ainda existem no mercado, e a carência de qualquer outra solução técnica, acrescentaram urgência a necessidade de encontrar alternativas mais ecológicas, para salvaguarda da saúde humana, da preservação ambiental e para valorização económica da fileira frutícola.

Em resposta a esta problemática, nos últimos anos, tem havido uma maior dedicação ao estudo do controlo biológico de doenças e de pragas. Muitas abordagens biológicas têm sido investigadas, nomeadamente, utilização de agentes antagonistas, substâncias naturais com propriedades antimicrobianas, tratamentos físicos e sais orgânicos ou inorgânicos. Um maior destaque será dado à utilização de microrganismos antagonistas dos agentes patogénicos, uma das metodologias mais promissoras como alternativa aos químicos, e que mais tem contribuído para a redução das doenças de pós-colheita em muitos hospedeiros.

Os microrganismos antagonistas manifestam capacidade supressiva para determinadas doenças das plantas, que pode, em algumas situações, permitir a sua utilização na proteção das plantas contra doenças.

Trichoderma

Trichoderma spp., conhecido por trichoderma, compreende fungos de vida livre, que se reproduzem assexuadamente, presentes com mais frequência em solos de regiões de clima temperado e tropical. Esses fungos também colonizam madeira, onde a fase sexual teleomorfa (género Hypocrea) é frequentemente encontrada.

Muitas linhagens não possuem ciclo sexual conhecido, sendo classificadas na sub-divisão Deuteromycotina. Os deuteromicetos são caracterizados pela produção de conídios (Figura 2).

trichoderma
 Figura 2 – Ciclo de vida assexuada de trichoderma adaptado de Kruger e Bacchi (1995)
 

previsoes meteorologicas 1a10 setembro (NOTA)

Uma das características dos fungos do género Trichoderma é a sua capacidade de produzir compostos que inibem o crescimento quer de outros fungos quer de bactérias existentes no solo.

Fungos do género Trichoderma apresentam potencial para o controle de microorganismos fitopatogénico. Pesquisas com diferentes culturas comprovam essa capacidade e agregam informações sobre os mecanismos de ação desses bioagentes.

Atualmente estão a ser testados outros fungos fitopatogénicos, de forma a promover o controlo biológico das doenças de plantas, reduzindo o recurso aos fitofármacos e contribuindo para a proteção do ambiente e da saúde pública.

Beauveria bassiana (Fungo específico de insetos)

Beauveria bassiana é um fungo que existe naturalmente nos solos de todo o mundo. Causa uma doença fatal em vários insetos agindo como um parasita; pertencendo deste modo ao grupo de fungos entomopatogênicos.

Normalmente a temperatura ideal para o seu desenvolvimento é de 20-30ºC, porém isso varia de acordo com o estágio de desenvolvimento e espécie-alvo.  A penetração ocorre por contato direto entre o inseto e o fungo.

insecto coberto fungo 1 insecto coberto fungo 2
 Figura 3 -Insetos coberto pelo fungo

Os esporos ligam-se à cutícula do inseto, os conídios germinam na superfície, após germinação as hifas penetram o tegumento e coloniza internamente o hospedeiro (figura 3).

Bacillus thuringiensis

É uma espécie microbiológica da família Bacillaceae. Foi descoberto em 1911 por Ernst Berliner na província de Thuringia, Alemanha. Passou a ser utilizado como inseticida na França em 1938 e nos Estados Unidos da América na década de 1950.

Bacillus thuringiensis
 Figura 4 – Imagem microscópica da bactéria - Bacillus thuringiensis

O Bacillus thuringiensis é uma bactéria de solo (figura 4) presente em todos os continentes.

Tanto na sua fase vegetativa quanto na esporulação, estas bactérias produzem proteínas que têm efeito inseticida. Para desenvolver a sua ação inseticida, o Bacillus tem de ser ingerido pelas larvas. Por isso, é necessário aplicá-lo quando nascem as primeiras larvas. Se o voo se prolongar, convém renovar o tratamento 10 dias depois da primeira aplicação.

Os inseticidas biológicos à base de Bacillus têm uma persistência de ação de cerca de 10 dias, na ausência de chuva. São degradados pelos organismos do solo em 3 ou 4 dias e pela luz 10 a 12 dias após a aplicação, não deixando resíduos. Nas análises dos produtos agrícolas tratados com Bacillus, não aparecem resíduos.

A partir da cultura industrial da bactéria Bacillus thuringiensis, preparam-se alguns inseticidas biológicos com muito interesse no combate à traça da uva, a lagartas e roscas das couves, à mineira das folhas do tomateiro, à traça da batateira, ao bichado das pomóideas, à traça do tomateiro, à traça do buxo e a outras pragas.

Estão homologadas em Portugal diversas especialidades à base de Bacillus thuringiensis: COSTAR WG, DIPEL DF, SEQURA, TUREX.

Miguel Teixeira
Divisão de Assistência Técnica à Agricultura/DSDA
Direção Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural

Para mais informação relativamente à prevenção e/ou tratamento, deverá contactar o seguinte serviço da Direção Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural:

Direção de Serviços de Desenvolvimento Agronómico /DSDA
Divisão de Assistência Técnica à Agricultura /DATA
Correio eletrónico: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Telef.: 291 211 260

Comentar

Código de segurança
Atualizar