1 1 1 1 1

Meteorologia agrícola
A informação técnica semanal ao seu dispor!

apuramentos meteorologicos 25a31 agosto (LEGENDA)

De acordo com os apuramentos meteorológicos do período, compreendido entre 29 de setembro e 5 de outubro (ver quadro), verificamos não ter havido muitas alterações relativamente à semana anterior, ou seja, os valores de precipitação apenas aumentaram na costa norte da Região, com as temperaturas a baixar paulatinamente.

As regas continuam ainda a ter muita importância nesta época do ano, na Costa sul da Região, ver no quadro, os indicadores da Precipitação (P) e Evapotranspiração potencial (ETP) que evidenciam ainda esta necessidade. Por este motivo, deveremos estar muito atentos às necessidades hídricas das culturas por forma a evitar eventual stress hídrico.

Nas previsões climáticas para a próxima semana (até 15 de outubro), não são esperadas muitas alterações, ou seja, continuação de nebulosidade em toda a região podendo alternar com céu limpo e/ou aguaceiros, temperaturas médias a cair gradualmente, precipitação pouco significativa a sul e acontecendo com alguma intensidade a norte da região.

Lesmas e caracóis

lesma
 Foto 1 – Lesma

As lesmas são moluscos gastrópodes da sub-ordem Stylommatophora, que andam sobre o abdômen e que possuem respiração cutânea. Distinguem-se dos restantes gastrópodes, em particular dos caracóis, pela inexistência de concha externa proeminente.

O corpo das lesmas é constituído por manto, pé e cabeça com um par de tentáculos óticos e um par de tentáculos sensoriais, ambos retrácteis. São bastante sensíveis à desidratação e algumas também são sensíveis à luz.

As lesmas são seres hermafroditas. O seu tempo de maturidade sexual varia entre as várias espécies e pode ser até três anos.

Estes moluscos são um problema sério em várias culturas, hortas, pomares e jardins. Alimentam-se de uma grande variedade de plantas, devorando tanto as raízes quanto a parte aérea, sempre no período da noite. Sabe-se que o local está infestado por lesmas pela observação dos rastros de muco que ficam no chão cimentado.

caracol
 Foto 2 – Caracol

O nome "caracol" vem do latim cochleolus, é usado principalmente para as espécies terrestres, enquanto as espécies aquáticas são chamadas caramujos.

As diversas espécies de caracóis distinguem-se especialmente pela concha que é, na verdade, o esqueleto externo do animal. Essa concha é feita de calcário, e pesa pouco mais de um terço do peso total.

Os caracóis não têm audição e utilizam especialmente os sentidos do tato e do olfato que se situam em todo o corpo, mas principalmente nas antenas, a visão é reduzida, os olhos estão situados nas pontas das antenas maiores.

Ao lado da boca fica o aparelho genital e a entrada e saída do ar dos pulmões, o pneumóstoma, que fica por baixo da concha. Os caracóis podem dormir, até três anos, ou seja, 10% de todo o seu tempo de vida.

É comum encontrarmos caracóis terrestres nos jardins, hortas e pomares, pois alimentam-se de diversos tipos de plantas. Os caracóis terrestres são encontrados em ambientes de solo húmido, não encharcado e são difíceis de ser observados durante o dia, uma vez que grande parte de suas atividades ocorrem durante a noite.

 

previsoes meteorologicas 1a10 setembro (NOTA)

Os caracóis são animais hermafroditas incompletos, ou seja, cada um possui os 2 sexos, mas precisam de um parceiro para realizar a cópula ou acasalamento e a fecundação.

Formam casais e copulam em média 4 vezes por ano num contato que pode durar até 10 horas. A gestação dura cerca de 16 dias quando então cada parceiro procura um lugar húmido, limpam a superfície e cavam com a cabeça de 5 a 10 cm para aí colocarem os ovos. Cada um deposita, em média, 100 a 400 ovos, dependendo da espécie.

Os ataques mais importantes de lesmas e caracóis ocorrem no outono, quando as condições de humidade lhes são muito favoráveis. Reproduzem-se em grande quantidade, chegam a depositar cerca de 400 ovos cada.

Lesmas e caracóis têm numerosos inimigos naturais:

• insetos do solo - como os carabídeos;

• mamíferos – como os ouriços cacheiros;

• aves - como os melros;

• são grandes consumidores de lesmas e caracóis.

A luta contra as lesmas e caracóis deve basear-se sobretudo em medidas preventivas:

• rotação de culturas;

• eliminação dos restolhos e de outros restos de cultura;

• utilização de estrumes e compostos bem curtidos;

• controlo cuidadoso das ervas nas culturas e à volta das parcelas, de forma a eliminar todos os abrigos potenciais nas proximidades da parcela ou dentro das estufas;

• proteção dos animais auxiliares.

Como facilmente se verifica a principal medida a tomar, é a limpeza o seu jardim/horta. Esses animais adoram locais mais escondidos para habitar e se reproduzirem. Assim, retire do seu terreno todos os objetos que lhes possibilitem isso como garrafas, pedaços de madeira, tijolos, pedras, etc.

Sempre que possível observar suas culturas na tentativa de encontrar esses animais e removê-los manualmente.

Os trabalhos mecânicos, como as sachas e gradagens podem perturbar a reprodução, dispersando os ovos e expondo-os ao ar, diminuindo acentuadamente as populações.

Armadilhas

Com o recurso a armadilhas, poderemos eliminar grande parte desta praga. Existem vários exemplos de armadilhas. Coloque cerveja num recipiente, tipo bacia. Escavando um buraco, coloque o recipiente na terra, permitindo que fique ao nível da superfície do solo. Em vez da cerveja, podemos utilizar meia colher de sopa com leveduras e mel, misturados com uma colher de sopa com água e açúcar.

Utilizando cascas de carvalho e ovos de galinha, conseguimos elaborar outra armadilha, colocando-os à volta das plantas funcionam como repelentes.

Sendo animais muito sensíveis à desidratação, poderão morrer se aplicarmos sal. Tal fenômeno é devido à propriedade de higroscopia do cloreto de sódio, isto é, a capacidade deste composto de "atrair" a água. Como a pele não é estratificada, então ocorre facilmente a osmose, popularmente isto é visto como uma espécie de "derretimento" deste molusco.

Por fim, deixamos uma última dica. Coloque um vaso (ou um objeto do mesmo gênero) no seu jardim, virado para baixo, tocando na superfície apenas num dos lados, numa espécie de abrigo, os que aí se abrigarem, poderão facilmente ser eliminados.

Luta química

Apenas em casos de mais difícil controlo, podem ser utilizados moluscicidas, numa luta direta contra estes inimigos das culturas (aplicação de produtos fitossanitários à base de metaldeído e fosfato férrico).

As aplicações precoces, no início da cultura (sementeira ou plantação), dão melhores resultados. A aplicação no decurso do seu ciclo biológico, quando as culturas estão em desenvolvimento, é menos eficaz e permite apenas limitar os prejuízos já declarados.

No Modo de Produção Biológico, além das medidas preventivas acima enumeradas, é permitido o uso de moluscicidas à base de acetato de ferro (FERRAMOL, SLUXX, SMART BAYT).

Miguel Teixeira
Divisão de Assistência Técnica à Agricultura/DSDA
Direção Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural

Para mais informação relativamente à prevenção e/ou tratamento, deverá contactar o seguinte serviço da Direção Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural:

Direção de Serviços de Desenvolvimento da Agricultura /DSDA
Divisão de Assistência Técnica à Agricultura /DATA
Correio eletrónico: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Telef.: 291 211 260

Comentar

Código de segurança
Atualizar