1 1 1 1 1

Meteorologia agrícola
A informação técnica semanal ao seu dispor!

apuramentos meteorologicos 24a30 setembro (LEGENDA)

CLIMATOLOGIA

Segundo os apuramentos meteorológicos de 19 a 25 de novembro (ver quadro), continuamos com alguma nebulosidade, com valores de temperaturas acima do normal para a época, assim como níveis baixos de precipitação, excetuando costa norte, onde os níveis de precipitação foram consideráveis. As condições climáticas continuam boas para a realização das tarefas agrícolas mais importantes inerentes à boa gestão da unidade de exploração, como por exemplo, cavas, fertilizações, calagens, sementeiras, mondas, pulverizações, colheita, etc.

As regas devem ser mantidas em particular na costa sul. Ver no quadro, os indicadores da Precipitação (P) e Evapotranspiração potencial (ETP) que indiciam claramente a necessidade de continuar com as regas. As regas a serem realizadas, deverão ser, apenas e só, de acordo com as necessidades hídricas das culturas.

As previsões para a próxima semana (até 5 de dezembro) mantêm-se, ou seja, na costa sul continuará a haver alguma nebulosidade e aguaceiros raros. Na costa norte, presença de muita nebulosidade com alguma precipitação.

Actinídea (Kiwi)

Chamada de atenção aos produtores de kiwi, para eventuais sinais/sintomas da presença doença - PSA, causada pela bactéria - Pseudomonas syringae pv. Actinídea.

bacteriose kiwi 1 bacteriose kiwi 2
Sintomas evidentes de PSA nos ramos (exsudado bacteriano) e folhas de kiwi (necroses castanhas circundadas com halo amarelo) 

Cuidados na colheita para prevenir a dispersão da doença

Antes da colheita, é necessário cortar e retirar as plantas mortas e os ramos infetados em plantas ainda vivas. Os restos vegetais (ramos e folhas) são os principais meios de disseminação da doença dentro do próprio pomar e de uns pomares para outros.

 

previsoes meteorologicas 02a10 outubro (NOTA)

bacteriose kiwi 3
Aspeto generalizado de pomar de kiwi, contaminado com a PSA

Os pomares atingidos pela doença devem ser tratados com uma calda à base de cobre (calda bordalesa) a seguir à colheita e a meio da queda das folhas.

O objetivo é desinfetar as feridas deixadas nas plantas pela colheita dos frutos e pela queda das primeiras folhas, pois é por estas pequenas lesões que a bactéria causadora da doença penetra nos tecidos da planta.

Para mais informação relativamente à prevenção e/ou tratamento, deverá contactar o seguinte serviço da Direção Regional de Agricultura:

Direção de Serviços de Desenvolvimento da Agricultura /DSDA
Divisão de Assistência Técnica à Agricultura /DATA
Correio eletrónico: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Telef.: 291 211 260

Tem alguma questão? Coloque-a aqui:

Código de segurança
Atualizar