1 1 1 1 1 Pontuação 3.00 (1 Votos)

O combate ao "percevejo" do abacateiro

A DRADR obteve autorização do Ministério da Agricultura para a utilização excecional de emergência de um produto fitofarmacêutico para o combate ao "percevejo" do abacateiro

abacateiro1

A praga na Madeira

O inseto Pseudacysta perseae, vulgarmente conhecido por percevejo do abacateiro, foi identificado na Região Autónoma da Madeira em 2013 pelos técnicos da Secretaria Regional do Ambiente e Recursos Naturais.

Durante quase um século, esta praga esteve limitada à Florida e México. Posteriormente, foi assinalada no sul dos Estados Unidos (1908), Bermudas, Porto Rico, República Dominicana e Venezuela.

Considerando os danos que esta praga provoca no abacateiro, pode-se afirmar que, apesar da sua recente existência na Região, é hoje a principal praga desta cultura.

Na Região, a praga tem mais expressão entre os meses de maio e meados de novembro.

Desenvolvimento do "percevejo" do abacateiro

percev 
 percev1

O percevejo do abacateiro desenvolve-se em três estados, nomeadamente ovo, ninfa e adulto.

Os ovos são postos na página inferior da folha, perto da nervura central em uma ou mais filas. Toda a postura é coberta por dejetos da fêmea, que é uma substância de cor negra lustrosa e de consistência pegajosa quando depositada recentemente, tornando-se muito dura com o tempo, por efeito da dessecação;
As ninfas passam por cinco estados ninfais consecutivos separados um do outro pela muda, diferenciados entre si pelo diâmetro da cabeça, comprimento e coloração do corpo.

O adulto tem um comprimento aproximado de 2mm, corpo com uma forma longa-oval, apresentam umas asas estendidas para além do extremo do abdómen. A cabeça e o tórax são escuros.

O ciclo de vida deste inseto, desde o ovo até à fase adulta, varia com as temperaturas ocorridas nas regiões que influenciam o número de dias em estado de ovo e das ninfas. Assim, para temperaturas de 22ºC e 25ºC a duração do ciclo de vida são cerca de 24 e 21 dias, respetivamente.

Para temperaturas inferiores a 10,4ºc é de esperar que o ciclo do inseto não se complete.

O número de gerações por ano é aproximadamente de 11, o que representa aproximadamente uma geração/mês.

 

 

Efeitos do "percevejo" do abacateiro

percev2O percevejo, ao instalar-se na página inferior das folhas, alimenta-se da seiva da planta, provocando lesões amareladas ou castanhas claras que tornam-se escuras. Pode encontrar-se várias lesões numa folha e de tamanho variável, as quais podem juntar-se cobrindo quase toda a superfície da folha.

Estas lesões diminuem significativamente a atividade fotossintética, levando à queda das folhas, que na nossa região é intensificada pelos efeitos provocados pelo ácaro "branco" do abacateiro, cujo nome científico é Olygonychus persea, em que o ataque incide ao longo da nervura principal da folha.

Verifica-se a desfoliação total dos abacateiros, expondo assim os ramos e os frutos ao sol, o que provoca queimaduras solares nestes órgãos, desvalorizando comercialmente os frutos. Atendendo que o abacateiro é uma espécie perene, estes danos afetam todo o desenvolvimento da planta repercutindo-se na produção. Segundo algumas referências, a presença desta praga pode provocar perdas de cerca de 50%.

Esta praga, quando se instala, tem um ataque sistémico, ou seja, afeta todas as folhas velhas e com numerosos indivíduos em diferentes estados. Atualmente, encontra-se disseminada na costa Sul, desde o litoral até cerca de 500m de altitude em pomares e pés dispersos.

Tratamento do "percevejo" do abacateiro

Em Portugal, por ser uma praga de introdução recente, não existem ainda produtos homologados para o seu controle. No entanto, de acordo com o pedido da SRA/DRADR ao Ministério da Agricultura, foi emitida uma autorização excecional de emergência para a aplicação do produto MOVENTO O-TEQ com base na substância ativa espirotetramato para o combate de Pseudacysta perseae, em abacateiro, ao abrigo do art. 53 do Reg. (CE) n.º 1107/2009, de 21 de outubro, formulado como concentrado para emulsão com 72% p/v de substância ativa, nas seguintes condições de utilização:

  • Concentração da aplicação: 40-60 ml/pc/hl (máximo de 2 aplicações), com um máximo de 1,2 l/ha (60 ml/pc/hl para um volume de calda de 2000 l/ha);

  • Intervalo de segurança: 14 dias;

  • Precauções toxicológicas, ecotoxicológicas e ambientais: as já estabelecidas para este produto.

Para mais informação relativamente à prevenção e/ou tratamento deverá contactar os seguintes serviços da Direção Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural:

- No âmbito da produção convencional (proteção integrada):

Direção de Serviços de Assistência Técnica e Mecanização Agrícola
Divisão de Assistência Técnica e Mecanização Agrícola
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Telef.: 291 211 260

Direção de Serviços de Desenvolvimento Rural/Divisão de Apoio ao Agricultor
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Telef.: 291 214 310

- No âmbito da produção biológica:

Direção de Serviços de Desenvolvimento de Agricultura e Pecuária Biológica
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Telef.: 291 744 190

Comentários  

# wanderley dias 09-06-2015 16:07
boa tarde,

tenho um abacateiro no quintal e o mesmo esta cheio de percevejo e não estou conceguindo acabar com esta praga, preciso de uma orientação se possivel.
Responder | Responder com citação | Citar
# DRADR 23-06-2015 15:45
Boa tarde.

Sendo o percevejo do abacateiro uma praga recente em Portugal e na Região, não existe ainda um produto homologado para o seu combate. No entanto, a Direção Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural está a tomar as diligências necessárias para a resolução do problema.

Com os melhores cumprimentos,
a Direção Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural.
Responder | Responder com citação | Citar

Comentar

Código de segurança
Atualizar