1 1 1 1 1

A tuta absoluta do tomateiro

A praga da tuta do tomateiro foi detetada na Madeira há já alguns anos.

Trata-se de uma pequena borboleta acastanhada, oriunda da América do Sul e Central, que provoca estragos muito típicos nas folhas e nos frutos do tomateiro em cultura. Também aparece no tomateiro "de lagartixa" e em outras solanáceas.

Os estragos na cultura são provocados pela lagarta, lagarta essa pequena, amarelada ou verde, medindo até 9 mm e que tem uma banda negra característica atrás da cabeça.

A lagarta alimenta-se das folhas, dos caules, incluindo o ápice, e dos frutos. As borboletas estão ativas durante a noite e crepúsculo e escondem-se entre as folhas de dia.

No terreno, a lagarta é difícil de ver, por ser muito pequena e alimentar-se sobretudo da porção da folha entre as páginas inferior e superior.

A folha apresenta manchas irregulares translúcidas, empoladas e com pontuações negras, onde houve deposição de dejetos.

As pupas podem ser encontradas quer no solo quer na superfície de uma folha, numa galeria ou entre as voltas de uma folha enrolada.

tutatomateiro1 tutatomateiro3
 

tutatomateiro2É fácil distinguir do ataque de outros lepidópteros, dado que os últimos alimentam-se de toda a espessura da folha, deixando buracos.

Quando o ataque se dá no fruto, os pequenos orifícios depreciam totalmente a produção, sendo o prejuízo definitivo.

É uma praga muito polífaga, porque tem um ciclo de vida curto (entre 29 e 38 dias) e permanece ativa enquanto há alimento. Cada fêmea pode por entre 180 a 260 ovos.

Esta praga exige atenção e medidas preventivas rigorosas.

Em estufa, deve-se tentar impedir a entrada da borboleta, fazendo uma desinfeção prévia à plantação, colocando rede mosquiteira nas janelas e instalando portas duplas.

Como meios de luta, estão previstos as capturas em massa, com auxílio de feromonas, a largada de auxiliares e, por último, a luta química, havendo alguns produtos homologados.

Na captura em massa é colocada a feromona sobre um recipiente baixo com água e algumas gotas de sabão (pode ser detergente para a loiça).

De salientar que os restos da cultura devem ser destruídos.

Divisão de Hortofruticultura
Direção Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural

Tem alguma questão? Coloque-a aqui:

Código de segurança
Atualizar