1 1 1 1 1

DGAV alerta para o controlo de Tecia solanivora

tecia solanivora imagem No âmbito do Plano de Contingência para o controlo de Tecia solanivora, a Direcção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) divulgou um folheto contendo informação essencial sobre uma das pragas mais destrutivas da cultura da batateira, que tanto ataca a batata no campo como a que é armazenada.

No referido prospeto, chama-se a atenção para que o produtor não compre batata para plantação que não seja batata de semente certificada e que esteja alerta, pois a deteção precoce e a rápida atuação são essenciais, tendo a DGAV criado para o efeito “um Plano de Contingência, disponível no portal da DGAV, onde se descrevem as medidas fitossanitárias em caso de deteção”.

Embora nunca tenha sido detetada a presença da praga na Região, o produtor deve estar atento e, se suspeitar de algum sinal, deverá contactar de imediato os serviços da Direção Regional de Agricultura, nomeadamente a Divisão de Assistência Técnica à Agricultura (DATA), através do telefone 291 211 260.

 

tecia solanivora batata Tecia solanivora é uma praga com origem na Guatemala e que já se encontra em alguns países da América Central e do Sul.

A primeira deteção na Europa ocorreu nas Ilhas Canárias em 1999, tendo sido encontrada em 2015 na Galiza e em 2016, nas Astúrias.

O movimento de batatas infetadas que propagam a praga acaba por introduzir-se em novos territórios, pelo que é considerada uma das pragas mais nocivas da batata, quer em cultura, quer em armazém, pois escava galerias onde se acumulam resíduos de alimentação e excrementos que favorecem o aparecimento de podridões.

O folheto de divulgação sobre esta matéria elaborado pela DGAV pode ser consultado aqui.

Comentar

Código de segurança
Atualizar