1 1 1 1 1 Pontuação 1.00 (1 Votos)

A vespa velutina

vespa velutina1
Foto 1 - Vespa velutina

A vespa velutina pertence à classe Hymenoptera, tal como as abelhas. A sua organização social é constituída por uma rainha, várias obreiras, machos e fundadoras. A velutina é caracterizada por possuir um abdómen preto com 2 finas listas amarelas. As patas são amarelas na sua extremidade.

A velutina tem como habitat natural o sudoeste asiático. Em 2006, a vespa velutina foi detetada em França e pensa-se que o seu aparecimento tenha sido devido a um transporte de bonsais (ou outro material vegetal) com origem na China.

Desde essa data até 2012, a vespa velutina foi detetada em 2/3 do território francês. Em 2010, a velutina foi detetada no País Basco (Espanha) e em 2011 na Bélgica e em Portugal. Possivelmente, a sua entrada no nosso país deveu-se ao transporte de madeiras por via terrestre.

Em Portugal, a presença da vespa encontra-se confirmada atualmente nas regiões Norte e Centro do país, sendo possível visualizar a localização exata dos ninhos detetados e avistamentos de insetos na plataforma SOSVespa (http://www.sosvespa.pt/web).

O seu ciclo é anual. Ao contrário das abelhas, a rainha só vive um ano e as obreiras cerca de 55 dias. Os machos só nascem a partir de setembro e a sua principal função é a reprodução com as fundadoras (futuras rainhas).

Em meados de fevereiro e até abril, as rainhas que saíram da hibernação constroem um ninho primário (não maior que uma bola de andebol) em locais abrigados. Estas rainhas, como saíram de hibernação, necessitam de alimento, principalmente de hidratos de carbono e proteínas. Para irem buscar os hidratos de carbono, as vespas utilizam a fruta e o néctar das flores, enquanto a proteína podem ir buscar a outros insetos, principalmente abelhas. Nesta última situação, não é difícil encontrarmos algumas vespas em redor de apiários. Nesta época do ano, a rainha começa a colocar ovos de fêmeas assexuadas e o ninho primário vai crescendo. 

 
vespa velutina ninho
Foto 2 - Ninho de vespa velutina

Em meados do verão, o enxame desloca-se para a copa de árvores e inicia a construção do ninho secundário.

Neste ninho a rainha dá origem aos machos e fêmeas fundadoras (assexuadas). Em setembro é o voo nupcial que, tal como nas abelhas dá-se no ar, mas acaba no solo. As fêmeas fecundadas (futuras rainhas) regressam ao ninho e o macho morre. Em outubro a meados de novembro as futuras rainhas iniciam a hibernação. O local de hibernação pode ser pedaços de madeira, no solo, entre muros, entre outros. No início da Primavera, quando a temperatura começa a subir gradualmente, as rainhas saem do estado de hibernação para irem construir os ninhos primários.

O principal impacto conhecido desta espécie é a predação das abelhas. Quando perturbada, esta espécie também poderá representar um risco para as pessoas, devido à sua picada, tal como acontece com as de outras vespas e de abelhas. No entanto, dada a visibilidade dos ninhos de Vespa velutina e a maior probabilidade de contato com os mesmos, esta espécie pode constituir um risco acrescido para as populações nos locais de ocorrência mais frequente.

Atualmente, não temos conhecimento que esta vespa exista na RAM.

É importante que em caso de visualização de ninhos com as características constantes na foto se proceda ao contacto com a Direção Regional de Agricultura, através do telefone 291 204 200.

 

Vítor Castro
Direção Regional de Agricultura

Comentar

Código de segurança
Atualizar