1 1 1 1 1 Pontuação 5.00 (1 Votos)

Laboratório de Qualidade Agrícola é parceiro no Projeto REGIS

olea maderensis Recentemente, o Instituto das Florestas e Conservação da Natureza (IFCN, IP-RAM) candidatou o projeto REGIS – “Conservação de Recursos Genéticos Florestais na Madeira” para cofinanciamento através do Programa de Desenvolvimento Rural da Região Autónoma da Madeira (PRODERAM 2020), o qual foi aprovado.

Este projeto enquadra-se na Medida 15 “Serviços Silvoambientais e Climáticos e Conservação das Florestas”, mais especificamente na Submedida 15.2 “Apoio à Conservação de Recursos Genéticos Florestais” do PRODERAM 2020, sendo que os objetivos definidos no mesmo estão em consonância com a Estratégia Nacional para a Conservação da Natureza e Biodiversidade (com aplicação na Região Autónoma da Madeira), que, entre outras orientações, incentiva a conservação e utilização sustentável dos recursos genéticos vegetais.

Face à natureza dos trabalhos propostos e à abrangência temática das ações contempladas, constitui um projeto com duração até 2023 e envolve três entidades: o IFCN, IP-RAM, como entidade gestora do projeto, e os parceiros Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária (INIAV) e a Direção Regional de Agricultura (DRA), através do Laboratório de Qualidade Agrícola (LQA). Estas entidades assumirão várias funções específicas distintas, que se interligam na concretização dos propósitos assumidos no projeto.

O LQA, como parceiro do REGIS, irá contribuir com as suas atividades na ação IV - Avaliação da diversidade genética de Olea maderensis e elaboração de plano de conservação que inclui, os estudos moleculares para determinar o agente infecioso e avaliar a diversidade genética existente em Olea maderensis (oliveira-brava).

 

Dada a importância da espécie Olea maderensis no ecossistema onde se desenvolve, é necessário determinar o agente infecioso responsável pelas galhas, que se observam nos ramos e que podem provocar a morte da parte superior dos mesmos. Esta anomalia no crescimento das oliveiras pode ser devida à presença de uma bactéria Pseudomonas savastanoi, que afeta olivais de diversos países mediterrânicos, o que constitui uma hipótese que carece de ser testada com a identificação do organismo que desencadeia a deformidade e entrave ao crescimento das oliveiras.

A identificação da presença de Pseudomonas savastanoi em diversas populações de Olea maderensis permitirá determinar a incidência/prevalência da doença, determinando o risco associado para a sustentabilidade das populações de Olea maderensis nos diferentes locais estudados.

A identificação do agente infecioso de Olea maderensis, por parte do LQA, será baseada no isolamento bacteriano, em meios de cultura específicos, seguido de caracterização morfológica, fisiológica e bioquímica. Posteriormente, serão realizados testes que permitam a identificação dos isolados obtidos, através de métodos moleculares (PCR convencional) com técnicas específicas para P. savastanoi. A coleção de isolados obtidos, será depois enviada ao INIAV, para estudos de diversidade genómica e filogenética.

Esta parceria irá melhorar o conhecimento da espécie Olea maderensis e avaliar a sua diversidade genética quer em prol da sua conservação quer como recurso silvícola a privilegiar em intervenções de natureza silvícola.


Rubina Andrade
Direção Regional de Agricultura
Direção de Serviços dos Laboratórios e Investigação Agroalimentar
Laboratório de Qualidade Agrícola

Tem alguma questão? Coloque-a aqui:

Código de segurança
Atualizar