1 1 1 1 1 Pontuação 3.67 (3 Votos)

A cultura in vitro do Sapatinho

capsula aberta paphiopedilum
Figura 1 - Cápsula aberta de paphiopedilum
germinacao sementes de sapatinho
Figura 2 - Germinação de sementes de
sapatinho

O sapatinho pertence ao género Paphiopedilum, o qual é originário da Ásia Tropical e pertence à família Orchidaceae. É uma das orquídeas cultivadas na Região, sendo muito apreciada pelos Madeirenses e turistas, em especial no Natal.

O sapatinho propaga-se vegetativamente, contudo, quando se pretende propagar por via seminal, o melhor método é através de técnicas de cultura in vitro. Deste modo, as sementes resultantes de cruzamentos podem germinar com uma percentagem de sucesso de aproximadamente 100% e dar origem a novos híbridos com interesse comercial.

A sua propagação in vitro consiste em colher uma cápsula, 9 meses após a fecundação, a qual, depois de desinfetada com uma solução de lixívia comercial, é cortada longitudinalmente e as sementes são retiradas e espalhadas, com a ajuda de uma espátula, sobre o meio de cultura, o qual é composto pelos nutrientes adequados à sua germinação (fig. 1).

As culturas são mantidas na obscuridade à temperatura de 24º C até as sementes germinarem (fig. 2).

 
plantulas sapatinhos
Figura 3 - Plântulas de sapatinho
aclimatizacao plantas estufa1
Figura 4 - Aclimatizacao de plantas em estufa

Nesta fase, são expostas à luz indireta, à temperatura diurna e noturna de 24º e 22º C, respetivamente.

Após a germinação, os rebentos formados são transferidos para um meio de cultura com uma composição diferente do anterior, de modo a promover o seu desenvolvimento. No entanto, ambos os meios têm na sua composição uma substância denominada carvão ativado que torna o meio preto e que é importante para o desenvolvimento dos rebentos e das raízes. Os rebentos são transferidos para meio fresco a intervalos de 120 dias até as plântulas atingirem 5 cm de altura (fig. 3). As plântulas com este tamanho são transferidas para substrato composto por turfa, perlite e casca de pinheiro (1:1:1,5) e são mantidas num fitoclima com o controlo da temperatura, luz e humidade relativa.

A produção in vitro desta cultura tem a duração de 2,5 a 3 anos, ou seja, desde a sementeira até à transferência das plantas para a estufa (fig. 4). A partir de uma cápsula, é possível produzir cerca de 4000 plantas.


Isabel Nunes Freitas
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Direção Regional de Agricultura

Tem alguma questão? Coloque-a aqui:

Código de segurança
Atualizar