1 1 1 1 1 Pontuação 4.36 (11 Votos)

A cultura do physalis
(Phisalis Peruviana)

physalis7A plantação do physalis pode ser realizada em várias épocas do ano (outono-inverno e primavera-verão), de acordo com a altitude e as condições edafoclimáticas do local.

Para a instalação desta cultura deve ter-se em atenção à topografia, à orientação do terreno, à deslocação dos ventos predominantes e às qualidades químicas do solo, sendo aconselhável realizar-se uma análise do solo e proceder às devidas correções e/ou incorporação de estrume curtido em toda a linha de plantação.

As plantas devem crescer em sacos de plástico pretos, em local abrigado e quente, antes de irem para o local definitivo, pois necessitam de estar bem desenvolvidas (entre 8 a 10 folhas verdadeiras e antes da aparição da primeira flor).

Deve evitar-se a plantação em terrenos onde anteriormente tenham sido cultivadas plantas como o tomate, o pimento ou a batata.

O tutoramento das plantas é considerado uma das principais técnicas de cultivo, maximizando a sua capacidade fotossintética, otimizando a distribuição da luz dentro da folhagem, e levando consequentemente à obtenção de um fruto com melhor qualidade. A tutoragem oferece ainda à planta uma maior resistência aos ventos, proporciona um bom estado sanitário das plantas e dos frutos, facilita a aplicação de produtos fitossanitários bem como a colheita dos frutos (Rodrigues, 1994).

Na imagem abaixo (figura 1) é apresentado um esquema elucidativo da tutoragem das plantas conduzidas em espaldeira de madeira para plantações com compasso de 2m a 1,5m na entrelinha e 0,6 m a 0,4 m na linha. Esta infraestrutura deverá apresentar 2,50 m a 2,0 m de altura, enterrada no solo a uma profundidade de 0,50 m ligada entre si no comprimento por fios horizontais, situando-se o primeiro fio a 0,50 m do solo e os restantes à distância de 0,4 m entre si, tal como pode observar-se na figura.

Quando as plantas atingem a altura dos espaldares torna-se necessário prender os "caules principais" de modo a que as plantas adquiram um crescimento erecto e não caiam para o solo como é normal acontecer.

physalis5Figura 1. Luís Manso (2012)

 

physalis6Caso não seja possível a plantação em espaldeira, pode-se plantar junto aos muros, que apresentam excelentes condições de desenvolvimento.

A recomendação da fertilização deve ser realizada com o apoio de análises de terras, análises foliares e dos sintomas visuais de deficiências de nutrientes na cultura.

A planta poderá apresentar os seguintes sintomas de carência nutricional:
Carência de azoto – apresenta falta de vigor, crescimento reduzido, caules estiolados, folha pequena e esparsas, clorose nas folhas mais velhas e senescência prematura, resultando na maturação antecipada;

Carência de fósforo – o crescimento é limitado, os caules delgados e as folhas pequenas. Apresenta uma coloração violácea das folhas mais velhas, sendo a floração reduzida e a maturação serôdia;

Carência de potássio – aparecem manchas acastanhadas nas folhas que evoluem para necroses e dá-se o enrolamento das margens das folhas;

Carência de cálcio – surgem deformações e necroses das folhas jovens e das extremidades dos rebentos (ápices caulinares). O crescimento radicular é reduzido e surgem ainda manchas esbranquiçadas nas folhas;

Carência de magnésio – assiste-se à clorose entre as nervuras das folhas mais velhas acompanhada de coloração avermelhada, evoluindo para necroses;

Carência de enxofre – à semelhança da deficiência de azoto, assiste-se à clorose nas folhas mas, no caso, também nas folhas jovens.

Por ser uma planta rústica, resiste muito bem às pragas e doenças. No entanto, da análise dos resultados do ensaio realizado na Divisão de Fruticultura da Madeira há 15 anos, verifica-se que o principal problema fitossanitário são os ácaros, sobretudo na costa sul e a cotas mais baixas.

Também por tratar-se de uma planta rústica e bem adaptada à nossa região, poderá ser uma excelente cultura conduzida sob o modo de produção biológico.
A cultura de physalis na região oferece condições técnicas viáveis para a sua plantação com uso de sistema de condução. Estima-se no primeiro ano encargos da ordem de €9.400/1000m2 (plantação, sistema de condução, amanhos culturais, tratamentos fitossanitários e ainda a colheita e acondicionamento da cultura). Nos anos seguintes, os encargos anuais estimam-se em €6.300/ano/1000 m2.

A cultura do physalis pode ser uma boa alternativa cultural para a ilha da Madeira, nomeadamente para quem queira apostar na agricultura, pelo facto de ser uma cultura de baixo investimento e com procura no mercado a bons preços.

A produção pode atingir cerca de 1800Kg/1000 m2, com a vantagem de se conseguir uma produção contínua durante nove a dez meses.

Esta fruta pode ser vendida em fresco, utilizada na culinária e até mesmo desidratada. Os preços praticados na produção (ao agricultor) oscilam entre €4,5 e os €8/kg (em fresco), podendo atingir os €25/kg, se vendida em passa.
Perspetiva-se que o grande mercado para este fruto seja o mercado hoteleiro e o grande mercado da exportação, uma vez que os madeirenses não têm ainda o hábito de consumo deste fruto.

 

Guida Gomes
Direção Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural

Questões

# Elsa Figueira 21-01-2015 21:26
Bom dia ,pode imformar-me onde posso comprar 20 pts e o preço quero experimenta-los na minha zona
Obrigada
Elsa Figueira
# DRADR 22-01-2015 17:18
A Direção Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural dispõe para fornecimento a produtores regionais de plantas de physalis. Para tal, deverá contactar o Centro de Horticultura, nas Preces, em Câmara de Lobos, através do telefone 291 943 185.

Caso prefira, poderá optar por um viveirista privado registado na Madeira.

Com os melhores cumprimentos,
Direção Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural
# Helena Silva 06-07-2015 09:44
Este tipo de plantação precisa de rega? Ou terrenos ricos em água?
# DRADR 21-07-2015 15:23
Boa tarde.

A cultura do physalis (e todas as outras culturas) necessita de água para
produzir em quantidade e qualidade, pelo que a disponibilidade de água é essencial. No entanto, o excesso de água (a exemplo de terrenos encharcados) deve ser evitado, dado que as
raízes das plantas precisam de oxigénio.

Com os melhores cumprimentos,
a Direção Regional de Agricultura.
# João Rosa 30-08-2015 18:47
Porque é que se deve evitar a plantação em terrenos onde anteriormente tenham sido cultivadas plantas como o tomate, o pimento ou a batata?
# Direção Regional de Agricultura 15-09-2015 12:04
Boa tarde.

Uma vez que são plantas do grupo das solanáceas, não é recomendável como boa prática agrícola realizar rotação de culturas com espécies
da mesma família botânica, de modo a evitar problemas fitossanitários. Para mais, tal esgota o solo em relação a alguns nutrientes, o que obriga a uma fertilização cuidada.

Com os melhores cumprimentos,
a Direção Regional de Agricultura.
# Tiago Anes 26-09-2015 00:42
Boa noite.
Estive a fazer uma pesquisa e gostava de implantar a cultura.
Quando fala em 1800kg/1000m2 refere-se a produção anual? Obrigado
# Direção Regional de Agricultura 28-09-2015 15:25
Boa tarde.

Os valores mencionados correspondem à produção anual aproximada.

Com os melhores cumprimentos,
a Direção Regional de Agricultura.
# Arlinda Adegas 03-10-2015 20:39
Boa tarde,
Tenho um interesse de fazet uma plantação de pyisalis ,como escuar a produção?
# Direção Regional de Agricultura 05-10-2015 10:20
Boa tarde.

Para o escoamento da produção, deverá contatar tanto as empresas grossistas como lojas da Região.
No caso do physalis, e dado o seu interesse para as empresas de transformação, poderá também contactar as empresas produtoras de doces e compotas ou de polpas congeladas.

Com os melhores cumprimentos,
a Direção Regional de Agricultura.

Comments are now closed for this entry