1 1 1 1 1 Pontuação 1.00 (1 Votos)

Visita de turistas alemães ao Centro de Experimentação de Fruticultura

visita ao CEF 1 No passado mês de abril, um grupo de 47 alemães pertencentes ao Grupo Kögel Touristik, da Agência Travel One, visitou o Centro de Experimentação de Fruticultura, nas Quebradas, em São Martinho, no Funchal.

Foi transmitido aos visitantes que neste Centro, além de viveiros, existem campos de germoplasma e coleção varietal das seguintes espécies: abacateiros (Persea americana), anoneiras (Annona cherimola), bananeiras (Musa acuminata), mangueiros (Mangifera indica), papaieiras (Carica papaya), maracujazeiros (Passiflora edulis) e pitangueiras (Eugenia uniflora).

Existem também muitas outras fruteiras, a exemplo do fruto do paraíso, regionalmente conhecida como “banana-ananás” ou “fruto delicioso” e com nome científico Monstera deliciosa, nativa do México; o ananaseiro, com nome científico Ananas comosus, que tem origem na América Tropical e Subtropical, nas variedades “Red Spanish” e “Smooth Cayenne”; a amoreira de árvore, com nome científico Morus nigra, que tem origem na Ásia, África e América do Norte; o sapotizeiro ou sapota, com nome científico Manikara zapota, que tem origem na América Central; a castanha do Maranhão, conhecida por alguns como cacau selvagem ou árvore do amendoim, com nome científico Bombacopsis glabra e que tem origem no Brasil; o noni Morinda citrifolia, pertencente à família das rubiaceaes, com origem no sudeste Asiático, sendo o Taiti o local de maior cultivo deste fruto; o urucuzeiro ou urucueiro, sendo o fruto conhecido como o urucu ou urucum, cujo nome científico é Bixa orelana, uma árvore da família das bixáceas, nativa da América Tropical.

Sobre a pitangueira, árvore das pitangas, tão conhecida e disseminada por toda a ilha, nome científico Eugenia uniflora e nativa da Mata Atlântica Brasileira, puderam provar o fruto muito saboroso e que, apesar de pequeno, possui boa quantidade de vitaminas A e C, vitamina do complexo B e ainda sais minerais, como o cálcio, ferro, fósforo e potássio. Informou-se também que o chá das folhas da pitangueira é utilizado para combater diabetes e colesterol, é diurético e possui também uma ação anti-inflamatória natural, sendo calmante. 

 

Curiosamente, alguns dos visitantes referiram ter já bebido poncha de pitanga, mas que não faziam ideia sobre o fruto.

A jabuticaba, fruto da jabuticabeira, com nome científico Plinia cauliflora e nativa da Mata Atlântica, é rico em sais minerais, como o ferro e fósforo, e vitaminas, como a vitamina C, contém uma boa dose de niacina, vitamina do complexo B, que facilita a digestão e ajuda a eliminar toxinas. A casca escura da fruta possui teores de pectina e é mundialmente conhecida pelas suas características antioxidantes.

Na altura da visita, as árvores estavam no início do vingamento do fruto. 

A feijoa, regionalmente conhecida como goiaba ananás, com nome científico Acca sellowiana despertou curiosidade por apresentar algumas flores.

visita ao CEF sementes de papaia
Sementes de papaia para porta-enxertos

Para além das fruteiras, foi mostrada a propagação dos vários porta-enxertos de fruteiras na estufa principal, podendo os participantes ver as sementes colocadas a secar de pitanga, de papaia e de anona, assim como o desenvolvimento das fruteiras devidamente propagadas.

Foi ainda demonstrado e explicado os tipos de enxertias realizadas nos diferentes porta-enxertos: enxertia de garfo em anoneira, enxertia de encosto em abacateiro e enxertia de borbulha em citrinos.

Os visitantes terminaram a visita elogiando e aplaudindo o trabalho desenvolvido.

 

Rute Fabíola
Direção Regional de Agricultura

Tem alguma questão? Coloque-a aqui:

Código de segurança
Atualizar