1 1 1 1 1 Pontuação 4.00 (2 Votos)

A cultura da macieira na Madeira

macieira1 A macieira é uma planta lenhosa da família Rosaceae e género Malus, cuja variedade mais comuns é M. domestica L.

As macieiras adaptam-se a diferentes tipos de solo, desde que possuam teores elevados de matéria orgânica. No entanto, estas plantas preferem os solos ligeiramente ácidos, com arejamento e boa drenagem.

Os solos da região são argiloarenosos, com acidez acentuada, ricos em matéria orgânica e com elevados teores em Fósforo, Potássio e Magnésio, as características adequadas para o bom desenvolvimento da cultura.

A macieira é uma planta de clima temperado, necessitando, por isso, de frio no período de Outono/Inverno para a quebra de dormência dos gomos, de modo a que ocorra uma rebentação homogénea e floração abundante na Primavera.

Na região, encontra boas condições de desenvolvimento acima dos 500 metros na costa sul e 300 metros na costa norte.

Os locais na região com maior aptidão para a cultura são Ponta do Pargo, Prazeres, Santo da Serra, Camacha, São Jorge, Santana, Canhas e São Vicente.

A escolha do porta-enxerto é efetuada de acordo com as características do solo e das variedades selecionadas para a enxertia. Dever-se-á optar sempre por material de viveiristas certificados. Os mais utilizados são o MM106 (semi-ananicante) e MM 111.

O material para enxertia deve ser recolhido de plantas adultas e isentas de problemas fitossanitários. A escolha deve recair nas variedades adaptadas ao local de produção e resistentes a doenças.

Os métodos mais usuais para enxertia são a fenda e encosto. Esta deve realiza-se nos meses de Primavera.

Na preparação do terreno deverá efetuar-se uma cava funda (sem inversão de camadas) ou mobilização do terreno com motocultivador.

 

macieira2 Deve proceder-se à correção de pH (acidez) e fertilidade (potássio, fósforo e matéria orgânica), de acordo com os resultados das análises de solo.

As raízes da cultura anterior que se encontram à superfície e semienterradas deverão ser retiradas do terreno.

A plantação deve ser feita entre janeiro e março, após abertura de uma cova de plantação com aproximadamente 0,5 m de profundidade e 0,5 m de diâmetro. Nesta altura é necessário regar as plantas.

O compasso de plantação a utilizar deve ter em conta o porta-enxerto, a variedade selecionada, a exposição solar, o declive e a área das parcelas. Para promover o arejamento da plantação, de modo a reduzir a incidência de pragas e doenças e aumentar a qualidade dos frutos, há que optar por compassos pouco apertados (o compasso recomendado nos pomares modernos é de 4,5x4,5 m).

A poda contribui para o arejamento do interior da planta e entrada de luz, promovendo a produção de frutos com bom calibre e qualidade. O tipo de condução mais adequado para a macieira é o eixo revestido.

Nos primeiros três anos efetua-se a poda de formação. Após a entrada em produção, é realizada uma poda de frutificação, promovendo o equilíbrio entre a vegetação a produção de fruta.

As principais variedades regionais de maçã para consumo são Cara de dama, Barral, pero Domingos, pero Calhau e pero da Ponta do Pargo.


Alcino Silva
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Direção Regional de Agricultura

Tem alguma questão? Coloque-a aqui:

Código de segurança
Atualizar