1 1 1 1 1
tulipasred
daliasred

As bolbosas ou geófitas são plantas que possuem orgãos de reserva onde se encontram gemas e onde são armazenados alimentos que permitem a essas plantas sobreviver em condições climáticas adversas. Estas plantas são utilizadas na sua maioria para a produção de flor de corte, mas também em jardins e como planta de vaso. Pertencem a diferentes famílias botânicas tais como Liliaceae, Iridaceae e Amaryllidaceae.

Os propágulos ou órgão de reserva das plantras bolbosas são caules ou raízes modificados e em termos botânicos podem ser classificados em cinco tipos: bolbos, cormos, rizomas, tubérculos e raízes tuberosas.

Os bolbos são caules modificados em que as folhas adquirem características especiais para poderem armazenar os alimentos, podendo ser tunicados ou escamosos como, por exemplo, a tulipa, o narciso, o jacinto ou as coroas imperiais (lillium) e as fritilárias.

O cormo é um caule que intumesce de modo a transformar-se num reservatório de alimentos, sendo mais curto e largo do que o bolbo. Os gladíolos, as frésias, as íxias e a crocosmia são exemplos de cormos.

O rizoma tem uma haste com crescimento horizontal junto à superfície do solo ou mesmo no solo. O rizoma é vivaz, e geralmente após a floração, alonga-se e produz novas raízes e rebentos. Como exemplo de plantas que desenvolvem rizomas temos os jarros, as estrelícias, as helicónias, as línguas de sogra e a cana.

Um tubérculo é um caule intumescido modificado para funcionar como órgão de armazenamento de alimentos destinados à planta. Possui frequentemente uma forma arredondada e geralmente tem um crescimento terminal e anual. As folhas são escamosas e membranosas, e os gomos axilares dão origem aos lançamentos do ano seguinte. Temos como exemplo o Caladium, o Polianthes, o Achimenes e a Begónia evansiana.

As raízes tuberosas originam-se a partir de raízes laterais localizadas na zona do colo da planta. Em cada período de dormência, algumas plantas herbáceas perenes secam a sua parte aérea até à coroa de gomos e as suas raízes transformam-se, de modo a poderem armazenar alimentos. Estes órgãos intumescidos especializados são conhecidos por raízes tuberosas. A dália, a begónia tuberosa, a anémona, o cíclame, a gloriosa e o ranúnculo são exemplos.

Maria João Dragovic
Direção Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural

Tem alguma questão? Coloque-a aqui:

Código de segurança
Atualizar