1 1 1 1 1

Estudo sobre orquidácea Laeliocattleya Maria Ozzella 'Black Watch' e a sua reprodução no Centro Experimental de Floricultura da Madeira

Lc Maria Ozzella Black Watch AM AOS Centro Floricultura  

Lc. Maria Ozzella ‘Black Watch’ AM/AOS
(Centro de Floricultura)

  fig 1 L cattleya

Figura 1 - C. dowiana 

  fig 2 L cattleya

Figura 2 - C. labiata

  fig 3 L cattleya

Figura 3 - C. tenebrosa 

fig 4 L cattleya

Figura 4 - C. loddigesii

Laeliocattleya Maria Ozzella, abreviadamente Lc., é um híbrido da aliança Cattleya, criado por J. Ozzella e registado em 1958 no "Royal Horticultural Society" (RHS), sediada na Grã-Bretanha, a única autoridade internacional para o registo de novos híbridos de orquídeas.

Durante mais de 30 anos, cultivou-se no Centro Experimental de Floricultura da Direção Regional de Agricultura (DRA), sendo o seu cultivar mais conhecido por 'Black Watch'.

A análise dos antepassados da Lc. Maria Ozzella evidenciou a participação de sete espécies botânicas. Já as análises cromatográficas concluíram que a Cattleya dowiana var. aurea (Fig. 1) contribuiu com a metade da sua carga genética (50%).As outras seis espécies contribuíram com a seguinte percentagem: Cattleya labiata - 18,75 %, (Fig. 2), Laelia tenebrosa - 9,38 % (Fig. 3), C. loddigesii (Fig. 4) e C. rex (Fig. 5), ambas com 6,25 % e finalmente C. bicolor (Fig. 6) e C. warsewiczii (Fig. 7) com 4,69 %, respetivamente.

O estudo detalhado desta distribuição foi publicado pela BlueNanta (ver a hiperligação no final do presente artigo). Assim, podemos observar o colorido das espécies envolvidas e deduzir que, para produzir a tonalidade tão escura das peças florais de Lc. Maria Ozzella, a maior contribuição foi da Laelia tenebrosae C. bicolor.

Na sequência do interesse demonstrado pelos clientes, o Centro Experimental de Floricultura reproduziu este híbrido mais vezes de que qualquer outra orquídea da aliança de Cattleya, principalmente através da extração de meristema in vitro, no Centro de Micropropação da DRA, Microlab Madeira. Também usou pólen para produção de híbridos.

A floração de plantas descendentes destes cruzamentos resultou em flores brancas e de tonalidade clara, facto estranho mas previsível, dada a cor das flores de antepassados da planta materna. 

fig 5 L cattleya

fig 6 L cattleya

Figura 5 - C. rex Figura 6 - C. bicolor

fig 7 L cattleya

Figura 7 - C. warscewiczii

 

fig 8 L cattleya

Fig. 8 - Lc. (Maria Ozzella x self) ‘Polish Watch’ – Centro de Floricultura

Aproveitamos aqui este espaço para apresentar a floração de algumas plantas obtidas na sequência dos referidos cruzamentos, batizando-se inclusive uma das variedades novas de Lc. Maria Ozzella com apelido ‘Polish Watch' (Fig. 8), como tributo à terra natal da autora do cruzamento

fig 9 c L cattleya

fig 9 a L cattleya

Fig. 9 - Tipos de flor obtidas no Centro de Floricultura resultantes de cruzamento entre Lc. Maria Ozzella ‘Black Watch’ AM/AOS e C. loddigesii var. harrissoniana

Um outro cruzamento, efetuado com a utilização da espécie C. loddigesii var. harrissoniana, produziu flores lilazes de boa forma e textura espessa (Fig. 9).As novas variedades obtidas foram observadas durante alguns anos nos viveiros do Centro Experimental de Floricultura e provado o seu potencial para o mercado de plantas floridas de vaso.

fig 10 a L cattleya

fig 10 b L cattleya

Fig. 10 - Intervenientes de um cruzamento efetuado entre um híbrido de Centro de Floricultura: Pot. Fortune Teller x C. bicolor (esq.) e Lc. Maria Ozzella (dir.) 

O trabalho do domínio da engenharia genética foi feito com o propósito do melhoramento de plantas adaptadas ao clima na Região da Madeira. Inclusive existem já em crescimento as plântulas de um outro cruzamento feito com a intervenção da progenitora estudada Lc. Maria Ozzella, cruzada desta vez com um híbrido próprio de colorido semelhante (Fig. 10).Para melhor apreciação das espécies que deram origem à Lc. Maria Ozzella e aos relativamente poucos híbridos registados com a participação da mesma, podemos aceder à página http://bluenanta.com/natural/100075498/hybrid_detail/.

De referir que no Microlab Madeira existem em crescimento plantas de outros cruzamentos efetuados com Lc. Maria Ozzella, feitos com o objetivo de melhoramento de híbridos próprios (Fig. 10).

Para mais informações, poderá contactar: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar..

 

Bozena Borecka (texto e fotos)
Direção Regional de Agricultura

Tem alguma questão? Coloque-a aqui:

Código de segurança
Atualizar