1 1 1 1 1 Pontuação 3.33 (3 Votos)

cattleyaA Cattleya, denominada 'rainha das orquídeas', foi batizada em homenagem ao horticultor inglês William Cattley. Trata-se de uma planta com hábitos epífitos ou litófitos, que costuma crescer em cima de árvores e em zonas rochosas, possuindo elevada resistência às condições menos favoráveis do ambiente, tais como calor elevado, frio nocturno ou secura.

O sucesso na cultura das Cattleyas passa pelo cumprimento de determinadas regras quando às condições edafo-climáticas bem como pelo combate das principais pragas e prevenção contra o aparecimento de doenças criptogâmicas.


Luminosidade

As Cattleyas devem ser cultivadas em sítios claros e espaçosos, onde o espectro de luz não provoque o desbotamento das flores. As plantas crescem bem se o dia tiver cerca de 16h de luz mas a intensidade da mesma deve ser regulada, de acordo com a fase de crescimento. À medida que a idade de plantas aumenta, estas exigem maior intensidade de luz. No entanto, não devem ser expostas diretamente ao sol.

Temperatura

As temperaturas ideais diurnas são entre os 18º e os 25º C e as noturnas entre os 13º e os 15ºC. As plantas adultas são estimuladas para florirem com uma amplitude térmica entre o dia e a noite na ordem dos 12º C.

Humidade do ar

Atendendo aos hábitos destas plantas, a humidade relativa do ar deve ser mantida entre 40 a 80%, consoante a temperatura do ambiente.

Rega

Como se tratam de plantas de folhas espessas e pseudobolbos suculentos, o excesso de água é de evitar, que é a razão mais frequente do apodrecimento das raízes. A frequência das regas depende da época do ano, tipo de substrato e tamanho de vaso.

Arejamento

O arejamento é especialmente importante, pela sensibilidade das flores de Cattleya aos ataques de Botrytis. As flores são sensíveis à presença de gazes de combustão, de aquecimento, das indústrias ou de veículos. A densidade excessiva de plantação ou falta de arejamento pode também ser a razão da pouca duração das flores.

Fertilização

Utilizar fertilizantes líquidos, sólidos mas totalmente solúveis ou adubo em grão de dissolução gradual conhecido como Osmocote. Evitar cloretos, optando por sulfatos ou nitratos como fonte de potássio. A concentração dos sais não deve ir além de 0,5 gr/l de água e a condutividade nas regas automáticas – 0,7 CE. O excesso de azoto pode impedir a floração das plantas, mesmo já aptas a florir. De referir que o floricultor pode pedir análises periódicas de substrato e foliares no Laboratório de Qualidade Agrícolada, na Camacha.

Substratos

O sucesso no cultivo das Orquidáceas epífitas passa também pela qualidade do substrato utilizado, devendo preferir-se componentes naturais e recicláveis, que podem ser orgânicos (casca de pinheiro, raízes de fetos, fibra do coco, aparas de madeira, composto orgânico, turfa, carvão, cortiça) ou minerais (areão, leca, areia, barro, perIite, esferovite, lã de rocha) ou ainda mistura destes dois. A percentagem de cada componente no produto final depende da sua disponibilidade, preço, técnica de cultivo e tipo de rega, tendo sempre em conta uma boa drenagem.

Recipientes

Podem ser vasos de plástico ou de barro, sempre com fundo furado para o escoamento da água, não devendo ser demasiados grandes. Podemos ainda usar suportes alternativos, tais como troncos de árvores ou de fetos, cestos ou placas de madeira.

Pragas e doenças

As Cattleyas podem ser atacadas por afídeos, cochonilhas e tripes que devem ser combatidas com um inseticida. Os ratos, lesmas e pássaros podem danificar os botões florais. As doenças mais frequentes são as bacterioses, podridões, viroses ou fungos. Para evitar estes flagelos, devemos aplicar batericida ou fungicida específico, conforme o caso. As viroses, um problema sem cura eficaz, devem ser evitadas com regras à parte.

Regras de higiene e cuidados culturais

A utilização de plantas sãs, desinfeção de tesouras e recipientes e a remoção de flores murchas e folhas velhas contribuem para o sucesso da produção de flores de Cattleya.

Bozena Borecka

 

No caso de dúvidas e para mais informações, contacte os técnicos da Divisão de Hortofloricultura - Núcleo de Floricultura, pelo telefone: 291 970 250, Fax: 291 972 484, e-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. ou pessoalmente: Centro de Floricultura, Caminho da Floricultura n.º 10, Sítio do Lugar de Baixo, 9360-502, Ponta do Sol – Madeira.

Tem alguma questão? Coloque-a aqui:

Código de segurança
Atualizar