1 1 1 1 1

Pescado: recomendações de consumo

pescado recomendacoes consumoPortugal, dado o seu posicionamento geoestratégico e às suas tradições culturais ligadas ao mar, apresenta o maior consumo de pescado per capita do conjunto de países da União Europeia e é o terceiro maior consumidor mundial, com cerca de 53,76 kg/capita/ano. (fonte: FAO, 2013)

 

Contudo, apesar do indiscutível interesse nutricional e socioeconómico do pescado, o seu consumo desinformado poderá apresentar riscos para a saúde humana, sendo necessário conhecer para poder evitar, prevenir ou minimizar.

O pescado, no seu geral, apresenta um alto valor nutritivo, na medida em que é naturalmente rico em proteínas com aminoácidos essenciais, macroelementos (cálcio, fósforo, flúor e iodo em peixes marinhos), microelementos (selénio, zinco), vitaminas lipossolúveis e ácidos gordos insaturados, nomeadamente os ómega 3 que desempenham um papel fundamental no desenvolvimento pré-natal do sistema nervoso e na prevenção de diversas doenças tais como obesidade, osteoporose, diabetes, doenças cardiovasculares, e alguns tipos de cancro.

Aproveitando os nossos recursos naturais devemos garantir uma dieta variada e equilibrada com um mínimo de duas refeições por semana de pescado, dando preferência ao pescado fresco com uma posição mais baixa na cadeia alimentar, como a sardinha, chicharro e cavala.

Esta informação consta no panfleto elaborado pela DSI, com a colaboração da Divisão de Informação e Promoção Agroalimentar, da Direção Regional de Agricultura.

Neide Gouveia
Direção de Serviços de Investigação
Direção Regional de Pescas

Tem alguma questão? Coloque-a aqui:

Código de segurança
Atualizar