1 1 1 1 1 Pontuação 5.00 (1 Votos)

Capturas acidentais na Madeira

Em novembro de 2017, foram capturados mais dois exemplares invulgares de peixes por barcos de pesca da RAM, que merecem a nossa atenção:

Lobotes surinamensis (Bloch, 1790)

fig 1 lobotes surinamensis
 Figura 1 - Lobotes surinamensis (Bloch, 1790)

Este singular exemplar, com 61 cm de comprimento e 5,1 kg de peso, foi capturado durante a pesca dirigida ao peixe-espada-preto pela embarcação de pesca “Ricardo Cristina”. Vulgarmente, é denominado de peixe-folha, possivelmente devido à cor e ao facto de acompanhar objetos à deriva, flutuando de lado.

Frequenta as regiões de mar aberto com fundo rochoso, no intervalo de profundidade entre os 150 e os 780m, mas pode ser encontrado em baías ou estuários de rios, sozinho ou aos pares.

Tem o corpo alto e comprimido, cabeça pequena, barbatanas dorsal e anal muito alongadas e arredondadas e uma margem amarela na barbatana caudal.

Os adultos apresentam uma coloração entre o castanho-escuro e o amarelo esverdeado, sendo prateada na zona ventral. Pode atingir cerca de 80 cm de comprimento total e 15 kg de peso.

Alimenta-se preferencialmente de pequenos peixes e crustáceos.

Habita as águas tropicais e subtropicais de todos os oceanos. No Atlântico Este pode ser encontrado desde o Estreito de Gibraltar até ao Golfo da Guiné, incluindo a Madeira.

 

Setarches guentheri (Johnson 1862)

fig 2 setarches guentheri  
  Figura 2 - Setarches guentheri (Johnson 1862)

Este atraente exemplar, chamado vulgarmente de requeime de natura, media cerca de 28,5 cm, pesava 328 gramas e foi capturado pela embarcação de pesca “Nortada”, durante a pesca dirigida às espécies demersais.

Apresenta uma coloração avermelhada bem exuberante e tem espinhos venenosos, que podem causar ferimentos, por vezes dolorosos. É uma espécie bentopelágica, vivendo no fundo ou perto dele e alimentando-se na coluna de água.

Tem preferência por substratos de fundo macio, muito comum aos 400 m, mas pode ser encontrada entre as profundidades de 150 m a 800 m. Alimenta-se principalmente de invertebrados pelágicos, como camarões e vários anfípodes.

É uma espécie que pode ser encontrada em águas temperadas tropicais e temperadas. No Atlântico Este, distribui-se desde Marrocos e Madeira até Angola, incluindo as ilhas de Cabo Verde.

Bibliografia consultada
The IUCN Red List of Threatened Species; FishBase; Marine species, identification portal

Graça Faria (texto)
Adriana Alves (fotos)
Direção Regional de Pescas

Tem alguma questão? Coloque-a aqui:

Código de segurança
Atualizar