1 1 1 1 1 Pontuação 5.00 (6 Votos)

Peixe-espada preto e Vinho Madeira interpretados por Cabo Verde

simposio cabo verde1 Tal “morna” parece improvável, porém, aconteceu!

A SRAP/DRP/DSIDP, através do projeto MARPROF-CV (PCT MAC 2007-2013), deu o tom. Os restantes parceiros da Madeira (Estação de Biologia Marinha do Funchal), de Canárias (Instituto Canário de Ciências Marinhas) e de Cabo Verde (Instituto Nacional de Desenvolvimento das Pescas) aceitaram o repto.

O seminário de encerramento do projeto “Potencial dos Novos Recursos Pesqueiros de Águas Profundas de Cabo Verde, Bases para a sua Gestão Sustentável e Valorização Gastronómica”, realizou-se em Mindelo, São Vicente, subordinado ao tema Resultados finais e oportunidades futuras, no contexto da Cooperação Macaronésica em investigação marinha e pescas.

O evento incluiu intervenções de elevada qualidade, tendo constituído uma oportunidade única para a divulgação dos resultados finais do projeto, mas, sobretudo, uma ocasião para falar de cooperação, estabelecer contactos e trocar experiências na área das pescas, num arquipélago que tem um elevado potencial neste domínio.

Finalizando o seminário, a divulgação de produtos alimentares ex-libris da Madeira patrocinou a junção de elementos gastronómicos, improváveis talvez, mas bem-sucedidos no encerramento da jornada: o peixe-espada preto, gentilmente fornecido pela empresa ILHAPEIXE, participante no Seminário onde divulgou a sua atividade na área da transformação de pescado, e o Vinho Madeira, cedido pelo Instituto do Vinho, Bordado e Artesanato da Madeira.

Foi sem dúvida de forma profissional que o Hotel Oásis do Atlântico, de Mindelo, foi capaz de aceitar o desafio e, interpretando matéria-prima, para eles desconhecida, apresentou elementos visuais e sabores inesperados e inovadores, até para os Madeirenses presentes, mas, sobretudo, uma agradável descoberta para os locais.

Continuando o programa de trabalho, foi também efetuada a assinatura pelo Diretor Regional de Pescas da Madeira, Eng. Luís Ferreira, de um protocolo de cooperação envolvendo vários stakeholders, desde Instituições de investigação, Universidades, Administrações públicas, Escolas hoteleiras e empresas privadas do sector das pescas dos três arquipélagos. O protocolo visou a submissão próxima de um novo projeto, o MACAROFOOD, apresentado publicamente na ocasião. Este projeto foca a diversificação, inovação e valorização da qualidade de produtos da pesca e a automatização e aumento de eficácia das artes e metodologias de pesca.

 

simposio cabo verde2 Pretende-se que o MACAROFOOD responda também ao desafio de, finalmente, congregando esforços com a iniciativa privada, reunir-se a capacidade operacional para determinar o potencial da área de pesca em redor de Cabo Verde, relativamente a um recurso que acompanha, quase integralmente, a história da Madeira e do seu povo. Fala-se obviamente do peixe-espada preto.

Tal conhecimento é estratégico para futuros investimentos na pesca naquela área, sobretudo no contexto atual, marcado pela diminuição da produtividade de alguns dos pesqueiros tradicionalmente frequentados pela nossa frota. A possibilidade de estabelecimento de acordos de pesca, com palangre, através da UE poderá constituir uma oportunidade não negligenciável de expansão da nossa frota e acesso a novos pesqueiros.

Indícios existem! Em conversa com conhecedores daqueles mares foi referida a captura pontual de alguns exemplares deste peixe de águas profundas. Resta saber quão mais se escondem nos abismos submarinos daquele arquipélago?

Não se poderia deixar Mindelo sem visitar os recentes e avultados investimentos na área das pescas aí efetuado, sobretudo proveniente de capital espanhol, que fazem de Porto Grande uma importante plataforma de processamento e distribuição de pescado, capturado pelas frotas de diferentes nacionalidades que operam no Golfo da Guiné e Senegal e que, depois de processado, pode ser encontrado num qualquer supermercado europeu.

 

João Delgado
Nuno Gouveia
Mafalda Freitas
José A. González*
Direção Regional de Pescas


* que agradecem aos Drs. Élvio Pontes e Artur Batista, participantes no Seminário, e à D.ª Ivone Nóbrega, pela eficácia na organização, em conjunto com a simpatia e profissionalismo da Dr.ª Dirce Andrade e da cozinha do Hotel Oásis Porto Grande

Comentar

Código de segurança
Atualizar