1 1 1 1 1 Pontuação 5.00 (1 Votos)

Ervas aromáticas, a saúde na sua mesa!

aromaticas A Dieta Mediterrânica e o padrão alimentar mediterrânico preconizam a inclusão e a utilização diária das ervas aromáticas na nossa alimentação.

Os benefícios da utilização das ervas aromáticas são sobejamente conhecidos, quer em termos das suas propriedades medicinais, quer como aromáticas, elevando os sabores e a palatibilidade das nossas refeições.

Podemos apontar como uma das maiores mais-valias da utilização das ervas aromáticas a redução da utilização de sal. O consumo de sal em Portugal é excessivo, estimando-se um consumo de cerca de 7,3 g de sal por dia, sendo que a recomendação da Organização Mundial de Saúde estabelece um máximo diário de 5 g por dia. A quantidade de sal ingerida na nossa alimentação diária sabe-se estar diretamente relacionada com o aumento da pressão arterial e do risco de doenças cardiovasculares.

 

A variedade de ervas aromáticas também é uma vantagem, destacando-se no padrão alimentar português o alecrim, o cebolinho, os coentros, a hortelã, o louro, o manjericão, os orégãos, o poejo, a segurelha, a salsa e o tomilho.

O modo de consumo também permite grande liberdade, podendo habitualmente serem consumidas frescas ou secas.

Algumas ervas aromáticas podem se utilizar quase na sua totalidade, ou seja, flores, folhas, caules e raiz, como é o caso da salsa, outras apenas as folhas, como a hortelã e o louro. Dependendo do sabor e aroma específico de cada planta, umas ervas são mais utilizadas em pratos de carne, outras para peixe, massas e açordas, saladas e sobremesas.

Do ponto de vista nutricional, as ervas aromáticas são ricas vitamina A, vitamina C, potássio, cálcio, fósforo folatos e fibra. Também são portadoras de substâncias bioativas, como os fitoquímicos que inibem a ação e radicais livres, a modulação do processo de carcinogénese e diminuem os níveis de colesterol sérico pela redução da oxidação do colesterol LDL. Por serem consumidas em quantidades pequenas, o aporte nutricional pode ser pouco significativo, no entanto, mantêm toda a vantagem na redução da utilização do sal para a confecção alimentar.

 

Utilizar ervas aromáticas na alimentação diária

Compotas, sumos e batidos

É com facilidade que pode adicionar ervas aromáticas, como a hortelã, o manjericão e o cebolinho, a este tipo de refeição. A imaginação é o limite.

Saladas

Salada de tomate com orégãos, salada de pêra abacate, queijo fresco e hortelã, serão apenas alguns exemplos de pratos simples e ricos do ponto de vista nutricional.

Carne e peixe

O sabor do manjericão, do louro e do alecrim, por exemplo, liga muito bem com este tipo de alimentos. Experimente temperar de véspera a carne ou peixe com estas ervas para maximização dos aromas e sabores.

 

Joana Silva
Nutricionista do SESARAM, E.P.E.
ERPASS

Tem alguma questão? Coloque-a aqui:

Código de segurança
Atualizar