1 1 1 1 1 Pontuação 1.00 (1 Votos)

AgroSenseLab, uma das atividades favoritas no evento "Ciência do Mercado"

arditi noite ciencia mercadoA Agência Regional para o Desenvolvimento de Investigação, Tecnologia e Inovação (ARDITI) realizou no passado dia 22 de novembro o evento “Ciência no Mercado”, que teve lugar na Praça do Peixe do Mercado dos Lavradores, no Funchal.

À semelhança das duas edições anteriores, esta iniciativa surgiu associada à Semana da Ciência e Tecnologia, que teve lugar a nível nacional entre 20 e 26 de novembro, e que pretendeu ser uma mostra da Ciência e Tecnologia que se faz na Região, aberta ao público em geral para que todos pudessem ver, interagir e participar.

Foram 22 participantes que estiveram presentes: AAAM - Associação de Astrónomos Amadores da Madeira; AgroSense Lab - Câmara de Provadores dos Produtos Agrícolas e Agroalimentares da RAM (Direção Regional de Agricultura/Secretaria Regional da Agricultura e Pescas); AREAM - Agência Regional da Energia e Ambiente da Região Autónoma da Madeira; UBQ Madeira; CMC - Centro de Maricultura da Calheta (Direção Geral de Pescas/Secretaria Regional da Agricultura e Pescas); CQM - Centro de Química da Madeira; DECG - Departamento de Engenharia Civil e Geologia (Faculdade de Ciência Exatas e da
Engenharia/Universidade da Madeira); DEE - Departamento de Engenharia Eletrotécnica (Faculdade de Ciência Exatas e da Engenharia/Universidade da Madeira); DM - Departamento de Matemática (Faculdade de Ciência Exatas e da Engenharia/Universidade da Madeira); DSI - Direção de Serviços de Investigação (Direção Regional de Pescas/Secretaria Regional da Agricultura e Pescas); EBMF - Estação de Biologia Marinha do Funchal (Câmara Municipal do Funchal); ESESJC - Escola Superior de Enfermagem S. José de Cluny; LRVSA - Laboratório Regional de Veterinária e Segurança Alimentar (Direção Regional de Agricultura/Secretaria Regional da Agricultura e Pescas); ISOplexis - Banco de Germoplasma (Universidade da Madeira); MARE Madeira - Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (Canning-Clode Marine Lab); M-ITI - Madeira Interactive Tecnhologies Institute; MMF - Museu de História Natural do Funchal (Câmara Municipal do Funchal); OOM - Observatório Oceânico da Madeira; QSALab - Laboratório de Qualidade e Segurança Alimentar; SCP - Serviço de Consulta Psicológica; SPAR - Sala de Projetos de Automação e Robótica (Escola Secundária Francisco Franco); SPEA Madeira - Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves.

No âmbito desta atividade, a organização levou a cabo um inquérito que teve como objetivo avaliar a satisfação dos visitantes para poderem ser identificados os pontos fortes e fracos desta iniciativa, bem como recolher sugestões de melhoria. Foram contabilizadas aproximadamente 700 entradas na “Ciência no Mercado” e dos 140 questionários distribuídos, foram entregues 58 preenchidos pelos visitantes.
De seguida, passamos a descrever os principais resultados.
No que diz respeito à idade dos visitantes, esta situou-se entre os 8 e os 65 anos, com uma média 36,5 anos. O grupo mais representado foi o dos 44 aos 55 anos (18 respostas) e a faixa etária com menor representatividade nesta avaliação foi o grupo com mais de 56 anos, com apenas três respondentes.
Dos 58 visitantes que preencheram o questionário, 32 eram mulheres, 23 homens e 3 não indicaram.
A maior parte dos respondentes (52) indicou ter nacionalidade portuguesa, enquanto 5 responderam ter outra, nomeadamente holandesa, italiana, espanhola ou venezuelana.
A maior parte dos inquiridos indicaram residir na ilha da Madeira, 39 dos quais no concelho do Funchal. Salienta-se o facto de 1 visitante residir na Holanda, 1 em Vila Nova de Famalicão e 1 em Setúbal, supondo-se que fossem turistas.

A maioria dos respondentes indicou ter licenciatura (36) ou o ensino secundário (22), sendo que uma reduzida percentagem referiu ter doutoramento (2). A área de estudos com mais inquiridos foi a categoria “Ciências exatas, da Natureza ou Tecnologia” (33) à qual se seguiu a de “Artes e Humanidades” com 10 respostas correspondentes.

Verificou-se uma considerável heterogeneidade de atividades profissionais indicadas pelos inquiridos, mas a maioria indicou ser docente (15) ou estudante (14).

 

Apenas 13 dos respondentes afirmaram já não ser a primeira vez que visitavam a “Ciência no Mercado”. Quarenta e quatro afirmaram ser a primeira vez que participavam nesta iniciativa.

Quando questionados sobre o motivo de se terem deslocado a este evento de ciência e tecnologia todas as opções do questionário foram indicadas, mas o interesse pelos temas abordados e a curiosidade foram os mais assinalados, respetivamente 27 e 25 vezes. Salienta-se que os visitantes podiam escolher mais do que uma opção.

O espaço onde se realizou o evento, a Praça do Peixe do Mercado dos Lavradores (Funchal), foi considerado pela maioria dos respondentes como sendo apropriado, já que 49 pessoas referiram estar de acordo (21) ou totalmente de acordo (28) com a afirmação: “O espaço é apropriado”.

A maioria dos respondentes considerou que o evento estava bem organizado, concordando (22 respondentes) ou concordando totalmente (32 respondentes) com a afirmação referente a este parâmetro.

Quando questionados sobre a atratividade dos temas abordados nas várias atividades do evento, 1 respondente relevou uma atitude neutra (termo 3 da escala de avaliação) enquanto os restantes concordaram em parte (22) ou totalmente (35) com a afirmação de que os temas eram apelativos.

Atividades preferidas dos respondentes - AgroSenseLab foi o segundo mais referido

Os inquiridos identificaram diversas atividades presentes no evento como sendo as que mais gostaram, destacando-se aqui a participação da AgroSenseLab (Câmara de Provadores dos Produtos Agrícolas e Agroalimentares da RAM da  Direção Regional de Agricultura/Secretaria Regional da Agricultura e Pescas) como a segunda participante mais referida . Em alguns casos, indicaram o nome das entidades participantes e não especificaram as atividades. Algumas das atividades/entidades foram referidas apenas uma vez enquanto outras foram citadas várias vezes (Tabela I). Cinco respondentes não indicaram nenhuma atividade, deixando esta questão por responder, e 6 referiram ter gostado de todas.

tabela I inq ciencia mercado
 Tabela I - Atividade da Ciência do Mercado 2017 favorita dos inquiridos (n=58)

Os motivos para terem gostado das atividades que indicaram na questão anterior foram diversos, mas aquele que foi mais vezes assinalado (32 vezes) foi pelo facto de serem conteúdos interessantes.

Na globalidade, o evento foi considerado pela maioria dos inquiridos como Bom (21 respostas) ou Muito Bom (37 respostas).

Tendo em conta os resultados dos questionários aplicados aos visitantes, a avaliação global da “Ciência no Mercado 2017” foi muito positiva. É uma iniciativa que deve continuar a ser implementada, e eventualmente, expandida. Dada a dimensão que o evento já atingiu, será de repensar sobretudo a data e o horário da sua realização.

Fonte: “Relatório da Análise dos Questionários de Satisfação feitos aos Visitantes”; Agência Regional para o Desenvolvimento de Investigação, Tecnologia e Inovação (ARDITI), 18 de dezembro de 2017, Funchal.

Joaquim Leça
Direção Regional de Agricultura

Tem alguma questão? Coloque-a aqui:

Código de segurança
Atualizar