1 1 1 1 1 Pontuação 5.00 (10 Votos)

Meios de cultura utilizados em microbiologia

meios cultura1 Os meios de cultura desempenham um papel fundamental na microbiologia. São preparações químicas, produzidas em laboratórios, e que fornecem os nutrientes necessários ao crescimento e desenvolvimento de microrganismos (como bactérias, bolores e leveduras) fora do seu meio natural.

Os microrganismos, tais como outros organismos vivos, necessitam de obter os nutrientes necessários à sua sobrevivência. Dada a diversidade e multiplicidade das necessidades metabólicas, os diferentes meios de cultura preparados em laboratório devem poder satisfazer as exigências nutricionais dos vários microrganismos, auxiliando o estudo, análise e identificação dos mesmos.

Para além dos nutrientes, é também necessário proporcionar condições ambientais favoráveis ao seu desenvolvimento, tais como temperatura de incubação, pH, pressão osmótica, humidade e atmosfera (aeróbia, microaeróbia ou anaeróbia), entre outras.

Existe uma variedade enorme destes meios que, a par de outras utilizações em análises laboratoriais e estudos científicos como, por exemplo, na indústria de cosméticos, são principalmente utilizados na microbiologia alimentar e clínica.

Inicialmente, o meio deverá encontrar-se estéril para posterior inoculação e incubação em condições adequadas às necessidades da espécie que se está tentando isolar e identificar. Na preparação dos meios e na manutenção das culturas dos microrganismos é fulcral assegurar condições de assepsia, de modo a se evitarem contaminações.

meios cultura2 Quanto à sua consistência, os meios de cultura podem ser classificados como sólidos, semisólidos e líquidos (ou caldos), consoante a quantidade de agar que contêm.

O agar atua como um agente gelificante no meio de cultura, tornando-o essencial para o cultivo e pesquisa de muitos microrganismos. 

Os meios sólidos e semi-sólidos contêm 1 – 2 % e 0,075 - 0,5 % de agar, respetivamente. Os meios líquidos não contêm agar.

Nos meios sólidos, o crescimento pára por exaustão de nutrientes e, a fim de permitir um isolamento das diferentes colónias, dever-se-á proceder à sua repicagem para um novo meio. Os meios líquidos permitem uma melhor difusão de metabólitos mas não o isolamento das colónias.

 

Inicialmente, os meios de cultura chegam ao laboratório sob a forma de pó, sendo preparados com água destilada e aquecidos até que se dissolvam completamente. Após distribuição dos meios em frascos ou tubos, são esterilizados, na sua maioria por autoclavagem a 121ºC, durante 15 minutos.

Alguns meios são autoclavados a temperaturas diferentes, outros são filtrados e alguns meios não podem ser mesmo esterilizados, devido à sua composição química termolábil. Após a esterilização, os meios são armazenados em frigorífico e utilizados conforme necessário. Quando se torna necessária a sua utilização, são fundidos e distribuídos em placas de Petri, de forma a cobrir uniformemente o fundo da caixa (cerca de 15 a 20 ml). Após a solidificação são inoculados e em paralelo é efetuada uma prova de esterilidade, a fim de validar a sua utilização.

É necessário proceder ao controle de qualidade dos meios de cultura utilizados a fim de avaliar e verificar se estão em conformidade com os critérios definidos (ISO 11133:2014) de forma a validar e assegurar a fiabilidade dos resultados.

Para a avaliação do desempenho de um meio de cultura, há que ter em consideração os seguintes parâmetros:

1) Se é sólido, semisólido ou líquido;

2) Se é seletivo ou não seletivo;

3) Se é utilizado em métodos de quantificação ou pesquisa;

4) Parâmetros de avaliação a utilizar:

a) Produtividade: capacidade em recuperar a quantidade de microrganismos desejados;
b) Seletividade: capacidade de impedir o crescimento de microrganismos indesejados, permitindo o crescimento dos microrganismos pretendidos;
c) Especificidade: capacidade dos microrganismos crescerem no meio com as características esperadas (tamanho, cor, forma, entre outras).

5) Método a utilizar:

a) Quantitativo: baseado numa avaliação numérica da quantidade de microrganismos que o meio recupera;
b) Qualitativo: baseado apenas na observação de haver um crescimento ou não dos microrganismos, podendo este ser avaliado em crescimento nulo, fraco ou bom.

Os meios de cultura são a base de toda a microbiologia, pois sem eles não é, de todo, possível o estudo, identificação e análise dos microrganismos em laboratório.

Carla Patrícia Camacho
Direção Regional de Agricultura

     

Tem alguma questão? Coloque-a aqui:

Código de segurança
Atualizar