1 1 1 1 1 Pontuação 5.00 (1 Votos)

Os Licores

os licoresNa Madeira, manda a tradição que se comemore o Natal com um licor caseiro. E, na realidade, não há família madeirense que dispense esta bebida doce e de tão agradável aroma.

Afinal, quem não tem o prazer de saborear um licorzinho após as missas do parto, da missa do galo, nas visitas ao presépio ou, tão simplesmente, nas visitas de cortesia? Relembrar esta tradição e reviver os sempre agradáveis momentos significa também valorizar e preservar os usos, os costumes e as tradições regionais.

 

Para a sua preparação, procede-se à recolha atempada dos frutos, a partir dos quais é feita a infusão, utilizando o fruto ou apenas a casca, ou ainda à maceração da polpa, no álcool vínico, a 96%, ou na aguardente, também vínica, esta a rondar os 40%, conforme a preferência.

Ao aproximar-se do Natal, as mãos habilidosas coam, filtram e engarrafam e colocam ainda os rótulos nos licores.

E são muitos os licores que não podem faltar no Natal, a exemplo do licor de tangerina, de anis, do tintantum, de cerveja, de laranja e de outros tantos sabores que marcam a nossa tão rica culinária tradicional madeirense e que, tão sabiamente preparados, são indispensáveis aos brindes que propiciam a consolidação dos momentos familiares, fraternos e familiares tão próprios da época natalícia.

Margarida Gonçalves
Presidente da Direção da Casa do Povo do Campanário

Tem alguma questão? Coloque-a aqui:

Código de segurança
Atualizar