1 1 1 1 1

Meteorologia agrícola
A informação técnica semanal ao seu dispor!

apuramentos meteorologicos semana52 (LEGENDA)

Segundo os apuramentos meteorológicos para o período, compreendido entre 31 de março e 6 de abril (ver quadro), verificou-se a continuidade de precipitação, mas a baixar, duma maneira geral em toda a região, relativamente à semana anterior. Verificou-se muita nebulosidade e precipitação, com os valores das temperaturas médias a baixar, precisamente no início da primavera, o que não seria de esperar, para esta época do ano.

Com estas condições do estado do tempo, apenas devemos manter a necessidade de efetuar as regas, na costa sul. Ver no quadro, os indicadores da Precipitação (P) e Evapotranspiração potencial (ETP) que evidenciam esta realidade.

Poucas alterações nas previsões climáticas para a próxima semana (até 16 de abril), ou seja, na costa sul, alguma nebulosidade com pouca precipitação, e na costa norte, muita nebulosidade acompanhada de precipitação, por vezes forte. As vinhas devem ser monitorizadas por forma a escolher de acordo com as condições climatéricas, a melhor estratégia de defesa contra o míldio.

Vinha

Míldio (Plasmopara vitícola) – parte 1

Para que ocorram as infeções primárias do míldio da videira, é necessário reunir três fatores essenciais (a conhecida regra dos três 10), são eles:

• Pâmpanos com 10 cm ou mais como estado dominante na vinha;

• Ocorrência de, pelo menos, 10 mm de chuva, num só ou em dois dias seguidos;

• Temperaturas mínimas diárias iguais ou superiores a 10ºC.

As vinhas com boa exposição solar (localizadas a sul - grande maioria) e/ou podadas cedo, já apresentam pâmpanos com mais de 10 cm e que podem eventualmente ser infetados pelo míldio.

Existe a iminência de haver a ocorrência de infeções primárias, devido às chuvas dos últimos dias e temperaturas mínimas acima de 10ªC.

Mas como a previsão meteorológica aponta para a manutenção de temperaturas mínimas acima dos 10ºC nos próximos dias, mas por outro lado pouca precipitação, (exceto o concelho de Santana), recomendamos que aguarde antes de efetuar qualquer tratamento fitossanitário, mas seguir atentamente o desenvolvimento fenológico da vinha e as previsões meteorológicas (sua evolução), antes de decidir qualquer tratamento antimíldio.

 

previsoes meteorologicas semana52 (NOTA)

Medidas Preventivas

mildio vinha
 Sintomas de míldio (mancha de óleo) em folha nova

• Cortar a vegetação do revestimento do solo da vinha, para permitir uma melhor circulação do ar e evitar a manutenção de um ambiente húmido favorável ao míldio;

• Cortar ladrões e rebentos muito baixos e inúteis, que, sendo infetados primeiro, servem de “escada do míldio” para a vegetação situada mais acima;

• Evite a existência de poças de água no interior da vinha;

• Não mobilize o solo nesta altura, para reduzir os salpicos de chuva que venha a ocorrer e que transportam os esporos do míldio para as folhas e pâmpanos da videira. Pelo contrário, o revestimento do solo com vegetação rasteira, bem cortada, absorve o impacto da chuva e reduz ou anula os salpicos.

Para combate ao míldio da videira no Modo de Produção Biológico, são autorizados produtos à base de cobre.

Na próxima edição do DICAs, abordaremos novamente este tema, desenvolvendo com mais pormenor as estratégias de proteção contra o míldio da vinha.

Miguel Teixeira
Divisão de Assistência Técnica à Agricultura/DSDA
Direção Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural

Para mais informação relativamente à prevenção e/ou tratamento, deverá contactar o seguinte serviço da Direção Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural:

Direção de Serviços de Desenvolvimento da Agricultura /DSDA
Divisão de Assistência Técnica à Agricultura /DATA
Correio eletrónico: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Telef.: 291 211 260

Tem alguma questão? Coloque-a aqui:

Código de segurança
Atualizar