1 1 1 1 1

Meteorologia agrícola
A informação técnica semanal ao seu dispor!

apuramentos meteorologicos semana52 (LEGENDA)

Segundo os apuramentos meteorológicos, do período, compreendido entre 7 e 13 de janeiro (ver quadro), com algumas alterações, relativamente à semana anterior, ou seja, presença de nebulosidade, com os valores das temperaturas médias a baixar, assim como os níveis de precipitação a aumentar gradualmente.

Estas condições do estado do tempo, obrigam por outro lado, uma atenção redobrada à frequência das regas. Ver no quadro, os indicadores da Precipitação (P) e Evapotranspiração potencial (ETP) que indicam claramente a necessidade de reduzir as regas, de forma inversamente proporcional aos níveis da precipitação.

As previsões climáticas para a próxima semana (até 23 de janeiro), é de que, não se vão verificar muitas alterações, ou seja, na costa sul continuará a haver alguma nebulosidade com precipitação esporádica, e na costa norte, presença de muita nebulosidade e precipitação.

Com as primeiras chuvas, aparecem em força, as infestantes, que podem ser definidas de forma simplista como “qualquer planta que está adaptada ao habitat alterado pelo Homem e que interfere negativamente na sua atividade”.

Controlo de Infestantes

infestantes O controlo de infestantes é uma preocupação cada vez mais crescente, uma vez que o seu aparecimento compromete o crescimento e bom desenvolvimento das culturas.

As culturas são muito afetadas pela interferência (competição e alelopatia) provocada pela ocorrência de plantas adventícias que assumem a característica de infestantes. Essa interferência traduz-se na competição em relação ao espaço, luz, água e nutrientes, podendo causar diminuições de produção.

O controlo de infestantes através de uma utilização reduzida de herbicidas é um dos maiores desafios atuais dos agricultores que pretendem praticar uma agricultura mais sustentável e amiga do ambiente.

horta As infestantes podem ser controladas através de meios preventivos que permitem o bom desenvolvimento da cultura, tornando-a mais apta a fazer face à concorrência das infestantes:

• recurso a métodos culturais como por exemplo a rotação de culturas com plantas que concorrem com as infestantes, perturbando o seu ciclo biológico;

• adubações equilibradas;

• seleção adequada do equipamento de mobilização do solo, evitando a utilização de fresa, por exemplo, que favorece a multiplicação das infestantes que se propagam por via vegetativa (caules, rizomas, raízes…);

• o revestimento do solo com coberturas vivas (enrelvamento natural ou semeado) ou mortas (mulching‟).

As infestantes também podem ser controladas através de meios curativos, que permitem controlar e eliminar as infestantes:

• métodos mecânicos, como a mobilização do solo ou o corte;

• métodos químicos, como a aplicação de herbicidas seletivos e não seletivos (atualmente, o método mais utilizado, pelo amplo espectro de infestantes controladas, anuais e vivazes, por ser de execução rápida, pela menor dependência de mão-de-obra e pelo seu baixo custo).

Características das plantas infestantes: morfologia das folhas

Plantas infestantes de folha larga

A este grupo pertencem normalmente as dicotiledóneas (2 cotilédones).

beldroega
 Beldroega (Portulaca oleracea L.)

As beldroegas são umas das espécies de plantas infestantes muito comuns, nomeadamente na cultura do milho.

 

previsoes meteorologicas semana52 (NOTA)

Plantas infestantes de folha estreita

junca
 Junça (Cyperus esculentus)

A este grupo pertencem normalmente as monocotiledóneas (1 cotilédone). Esta distinção refere-se na maioria dos casos, a plantas infestantes que manifestam diferentes sensibilidades a herbicidas.

Classificação das plantas infestantes segundo o seu ciclo de vida

1 - Anuais

• De Primavera-Verão ou de Outono-Inverno;

• Plantas herbáceas que germinam, desenvolvem-se, entram em floração e frutificam num período inferior a 1 ano. A reprodução destas plantas é feita exclusivamente por semente.

2 - Bianuais

• Plantas herbáceas que vivem mais de um ano e menos de dois anos;

• Monocárpicas - estas plantas entram em floração e produzem semente apenas 1 única vez.

3 - Plantas plurianuais

• Estas plantas tem um ciclo de vida superior a dois anos. Podem ser herbáceas ou lenhosas. Dentro deste tipo de plantas distingue-se dois grupos: plantas vivazes e plantas perenes.

Vantagens e desvantagens das plantas infestantes nas culturas agrícolas

5 Vantagens

• Proporcionam cobertura ao solo, protegendo-o da erosão, principalmente depois da colheita da cultura agrícola;

• Potenciam a atividade biológica do solo;

• Limitam a erosão na margem das parcelas;

• Podem ser aproveitadas como adubo verde sendo também consideradas como um acréscimo de biomassa;

• Aliviam o carácter de monocultura de certas culturas, promovendo a diversidade de espécies (ainda que muitas vezes indesejadas);

5 Desvantagens

• Entram em competição com as culturas por espaço, luz, água e nutrientes;

• Podem contribuir para a diminuição da qualidade do produto final;

• As plantas infestantes podem revelar-se parasitas das plantas de cultivo;

• Podem ser tóxicas/venenosas para o Homem e animais;

• Contribuem para a diminuição da produção das culturas;

A prática de falsas sementeiras pode ser de grande ajuda na prevenção da infestação por ervas espontâneas. A falsa sementeira consiste na preparação do solo algumas semanas antes da instalação da cultura, deixando nascer uma camada de ervas infestantes, que serão destruídas enquanto pequenas, por uma gradagem, fazendo posteriormente a plantação. 

Para mais informação relativamente à prevenção e/ou tratamento, deverá contactar o seguinte serviço da Direção Regional de Agricultura:

Direção de Serviços de Desenvolvimento da Agricultura /DSDA
Divisão de Assistência Técnica à Agricultura /DATA
Correio eletrónico: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Telef.: 291 211 260

Tem alguma questão? Coloque-a aqui:

Código de segurança
Atualizar