1 1 1 1 1

Meteorologia agrícola
A informação técnica semanal ao seu dispor!

apuramentos meteorologicos 24a30 setembro (LEGENDA)

CLIMATOLOGIA

De acordo com os apuramentos meteorológicos de 8 a 14 de outubro (ver quadro), verificou-se uma ligeira diminuição da temperatura e elevada precipitação em toda a ilha com exceção da costa sul entre Quinta Grande e Machico, onde foi moderada dificultando a realização de algumas tarefas inerentes às boas práticas agrícolas.

Estas condições do estado do tempo permitiram uma importante rega dos terrenos agrícolas em particular na costa norte e zona oeste da Madeira. No entanto, deverão continuar a ser rigorosos no uso da água de rega, só a devemos usar, de acordo com as necessidades hídricas das culturas. É imperioso um uso racional de água.

As previsões do estado do tempo para os próximos dias (até 24 de outubro) são de dias de alguma nebulosidade a sul e com fraca precipitação (dia 19 de outubro) e maior nebulosidade a norte com possibilidade de alguma precipitação nos dias 19 e 21 de outubro.

Alimentação artificial em abelhas

A alimentação artificial das colónias de abelhas é uma prática na apicultura Portuguesa, não exclusivamente para colmatar a escassez de provisões resultante de variações climatéricas adversas e reduzir a mortalidade das colónias, mas particularmente para garantir um bom estado nutricional/sanitário das abelhas nos momentos e condições específicas de produção.

Alimentos líquidos

alimentacao artificial apiario Os chamados “xaropes” ou “caldas”, são o resultado da solubilização de alimentos secos em caldas aquosas de açúcar, glicose ou mel. Fornecem alimentos de forma altamente estimulante ao crescimento dos exames, são muito atrativos às abelhas e rapidamente consumidos.

Exemplos de alimentos líquidos

Xarope de açúcar: Adicionar à água a levantar fervura, o açúcar na proporção de 40 a 50% de água e 50 a 60% de açúcar cristal, mascavado ou refinado.

Xarope de açúcar e mel: 2 partes de xarope de açúcar acrescido de 1 parte de mel. Este alimento é estimulante para a postura da rainha.

Xarope proteíco: 55% açúcar e 40% de água acrescido de 5% de proteína vegetal texturizada, como farinha de soja ou levedura de cerveja.

Abastecer entre 500 ml a 1 litro de xarope por colmeia a cada 2 ou 3 dias, conforme as necessidades específicas de cada enxame (número de alças).

 

previsoes meteorologicas 02a10 outubro (NOTA)

Alimentos pastosos

alimentacao artificial apiario 1 Conhecidos por “tortas”, e são obtidos através da mistura lenta e gradual de mel ou xarope ou açúcar invertido com alimentos secos, em pó (farinhas) ou cristais (açucares), até alcançar uma consistência pastosa.

Exemplos de alimentos pastosos

Pasta energética: adição simples de mel ou xarope a açúcar mascavado;

Pasta energética proteica: adição prévia de algum preparado proteico em pó, acrescido ao açúcar ou não, até atingir o ponto pastoso

Fórmula 1: 3 partes de farelo de soja e 1 parte de farinha de milho finamente moídas e misturadas num vasilhame, com cerca de 3 parte de mel. Misturar bem os dois farelos e adicionar o mel devagar até formar uma pasta mole.

Fórmula 2: 3 partes de farelo de soja,2 partes de farinha de milho e 15 partes de mel; Misturar bem os dois farelos e adicionar o mel devagar até formar uma pasta mole.

Fórmula 3: 7 partes de farelo de trigo, 3 partes de farelo de soja e 15 partes de mel. Misturar bem os dois farelos e adicionar o mel. Deixar repousar uma semana num local limpo e refrigerado.

No lugar do mel, pode usar xarope ou açúcar invertido (*), no entanto, o mel deixa o alimento mais atrativo. É importante que os farelos estejam bem moídos, caso contrário, as abelhas rejeitam o alimento.

(*) Açúcar invertido Ingredientes: 5kg de açúcar, 1,7l de água e 5g ácido cítrico. Modo de fazer: Colocar a água e o açúcar num tacho ao lume. Quando libertar vapor adicionar o ácido e deixar em lume brando durante 40 a 50 minutos.

Abastecer entre 1 a 2 kg por colmeia, conforme a necessidade de cada colmeia e aproximação da floração.

NOTA:

O mel utilizado na alimentação deve ser proveniente da anterior colheita do próprio apiário, de forma a evitar transmissão de doenças e contaminação das abelhas com agentes patogénicos vindos de outras localidades.

(Fotos: montedomel.blogspot.com e meliponariodosertao.blogspot.com)

Para mais informação relativamente à prevenção e/ou tratamento, deverá contactar o seguinte serviço da Direção Regional de Agricultura:

Direção de Serviços de Desenvolvimento da Agricultura /DSDA
Divisão de Assistência Técnica à Agricultura /DATA
Correio eletrónico: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Telef.: 291 211 260

Tem alguma questão? Coloque-a aqui:

Código de segurança
Atualizar