1 1 1 1 1

Meteorologia agrícola
A informação técnica semanal ao seu dispor!

apuramentos meteorologicos (LEGENDA)

CLIMATOLOGIA

De acordo com os apuramentos meteorológicos de 17 a 23 de setembro (ver quadro), não se registaram grandes alterações nas condições do estado do tempo, ou seja, temperaturas amenas, alguma nebulosidade e ausência de precipitação, as condições ótimas para a realização de todas as tarefas inerentes às boas práticas agrícolas.

Estas condições do estado do tempo obrigam, no entanto, uma atenção redobrada à frequência das regas. Neste início de Outono, dever-se-á continuar a ser rigorosos no uso da água de rega e apenas de acordo com as necessidades hídricas das culturas. É imperioso um uso racional de água.

As previsões do estado do tempo para os próximos dias (até 3 de outubro) são de dias de maior nebulosidade até o final da semana diminuindo no início do mês de outubro, mas sem previsão de chuva (é exceção da quarta-feira dia 25 de setembro para a costa norte) para toda a ilha. Prevê-se um prolongamento do Verão neste início do Outono.

Doenças causadas por fungos

Os frutos e as hortaliças podem ser afetados por fungos que lhes provocam doenças. Podemos considerar três modos de infeção:

1. Infeção latente, quando o fungo penetra nos frutos e hortaliças no campo, permanecendo latente sem causar sintomas e somente causa doença na fase de pós-colheita;

2. Infeção ativa, quando o fungo penetra diretamente nos frutos e hortaliças e a doença já se manifesta no campo e continua na fase de pós-colheita;

3. Fungos que somente causam doenças quando existe uma porta de entrada, como um ferimento ou dano mecânico nos frutos e hortaliças.

Exemplos de doenças comuns causadas por fungos em frutos e hortaliças

Antracnose

antracnose pimento
Antracnose em pimenta

É uma das principais doenças das hortaliças. Ataca a abóbora, o tomate, o pimentão, a beringela, a pimenta. Ocorre no campo, durante o cultivo, principalmente quando as frutas e hortaliças estão bem desenvolvidas e estão próximas do ponto de colheita. É mais comum após a colheita, à medida que as frutas amadurecem, tanto no armazenamento como na comercialização. É causada pelo fungo Colletotrichum, que sobrevive nos restos de plantas contaminadas no campo por vários meses e é disseminado por plântulas e sementes contaminadas. Esta doença ocorre em períodos de chuvas e ventos, com temperaturas acima de 20ºC.

Podridão de Alternaria

alternaria tomateiro

Alternaria alternata f.sp. lycopersici afetando
folhas (A, B), frutos (C, D), pecíolo (E) ramos (F).

O fungo Alternaria pode causar doenças em frutas e hortaliças tanto na fase de cultivo como após a colheita. No campo causa lesões escuras e arredondadas nos frutos do tomateiro, por exemplo, e nas suas folhas.

As lesões podem surgir nos frutos, também após a colheita. Esta doença é mais comum no Verão com tempo de chuva, vento e temperatura alta. Também pode ocorrer quando os produtores utilizam rega por aspersão.

 

previsoes meteorologicas (NOTA)

Mofo-Azul

mofo azul laranja
Mofo-azul em laranja

O fungo Penicillium é conhecido por ser o causador do mofo na laranja e outras frutas e também crescer na superfície de outros produtos como o pão. É considerado como um fungo típico de armazenamento e geralmente ataca produtos armazenados em sacos ou caixas com pouca ventilação e elevada humidade. Desenvolve-se em frutas e hortaliças com ferimentos ou cortes ou que estejam bem maduros.

Podridão Mole

podridao morango
Frutos de morango com podridão mole causada pelo fungo Rhizopus.

Provocada por fungos do género Rhizopus a podridão-mole caracteriza-se por deixar os frutos e hortaliças completamente degradados e com mofo. É um fungo cuja ocorrência no campo é rara, mas, em condições de ambiente húmido, pouco ventilado e com temperaturas acima de 15ºC no armazém, pode se desenvolver em frutos e hortaliças com ferimentos.

Para evitar estas perdas, é importante planear e acompanhar todas as fases de cultivo, desde a seleção do local para instalação do pomar ou da horta até ao período da colheita. Deve escolher as cultivares mais adaptadas à região, resistentes ou tolerantes às principais doenças, por vezes, precisa mesmo de definir um espaçamento maior, que permita maior ventilação entre as plantas.

Os amanhos culturais básicos na condução das plantas, a adubação, a irrigação, as podas e o uso dos instrumentos de lavoura, devem ser sempre pensados em função do seu efeito nas plantas e na sua produtividade.

Na horta, a limpeza de restos da cultura anterior deve ser realizada logo após a colheita, atendendo aos problemas fitossanitários ocorridos. Em alguns casos, é necessário inclusive retirar da parcela estes resíduos, para que não sejam fonte de estruturas de resistência dos fungos atrás referidos. A aplicação de tratamentos preventivos contra as doenças acima mencionadas e geradas no campo (antracnose e podridão de Alternaria) são normalmente uma alternativa pouco viável, dado que ocorrem numa fase de colheita. É sempre preferível optar por cultivares com alguma resistência ao ataque destes fungos, quando frequentemente temos condições climáticas favoráveis ao desenvolvimento destes fungos.

Para mais informação relativamente à prevenção e/ou tratamento, deverá contactar o seguinte serviço da Direção Regional de Agricultura:

Direção de Serviços de Desenvolvimento da Agricultura /DSDA
Divisão de Assistência Técnica à Agricultura /DATA
Correio eletrónico: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Telef.: 291 211 260

Tem alguma questão? Coloque-a aqui:

Código de segurança
Atualizar