1 1 1 1 1

Meteorologia agrícola
A informação técnica semanal!

apuramentos meteorologicos (LEGENDA)

CLIMATOLOGIA

Segundo os apuramentos meteorológicos de 22 a 28 de maio (ver quadro), verificaram-se poucas alterações relativamente à semana anterior, ou seja, precipitação quase nula a sul e níveis altos, para esta altura do ano, a norte. Efetuar necessariamente as regas, mas apenas e só de acordo com as necessidades hídricas das culturas.

A previsão do estado do tempo para os próximos dias (até ao dia 7 de junho), apresenta poucas alterações na costa sul, continuação de alguma nebulosidade alternando com algumas ‘abertas’, havendo, no entanto, uma ligeira melhoria, a norte, o IPMA prevê também alterações das condições atmosféricas, ou seja, menos nebulosidade e níveis de precipitação a baixar consideravelmente.

Condições meteorológicas mais uniformes em toda a ilha, ótimas para planear e proceder no imediato a qualquer tipo de operações culturais e tratamentos fitossanitários. Apenas a precipitação esporádica pode travar a execução destas tarefas. Devemos estar constantemente atentos às previsões sobre o estado do tempo, por forma a evitar contratempos.

Com estas condições meteorológicas, devemos monitorizar os pomares em gera e os campos hortícolas, para uma eventual deteção e de forma precoce, os primeiros sinais/sintomas de pragas e doenças, por forma a poder atuar atempadamente no seu controlo, quer preventiva quer curativamente.

Traça do tomateiro (Tuta absoluta)

tuta absoluta adulto
 Fig. 1 – Adulto da Tuta absoluta

A Tuta absoluta, também conhecida como a traça-do-tomateiro, é uma praga que se encontra disseminada um pouco por todo o sul da Europa e norte de África.

A Tuta absoluta Povolny é um lepidóptero que pode apresentar entre 9 a 12 gerações anuais, consoante as condições climáticas da região onde se encontra presente.

A borboleta (adulto), pode atingir 7 mm e tem 2 pares de asas sendo o primeiro acinzentado e o segundo mais escuro. Tem antenas compridas ao longo do corpo.

Tem hábitos de voo crepusculares e durante o dia permanece escondida na folhagem. Com uma ligeira agitação da folhagem pode-se detetar o inseto.

Se ainda não o fez, instale uma armadilha para monitorização do voo de Tuta.

tuta absoluta vestigios ovos tuta absoluta vestigios larva e pupa
 Fig. 2 – Vestígios da presença da Tuta absoluta (Ovos, larva e pupa, respetivamente)

À falta de armadilha, observe o aparecimento dos primeiros sinais nas plantas.

Sintomatologia/Estragos

Os sintomas podem ser observados nas folhas, caules e frutos.

tuta absoluta presenca folhas tuta absoluta presenca folhas 1
 Fig. 3 – Sintomas/sinais da presença da Tuta absoluta nas folhas

Nas folhas, numa fase inicial, os sintomas podem ser confundidos com os da Liriomysa spp (larva mineira), mas posteriormente a galeria aumenta de dimensão, alargando e dando-se a subsequente desidratação dos tecidos e um encarquilhamento característico.

 

previsoes meteorologicas (NOTA)

tuta absoluta presenca frutos
 Fig. 4 - Sinais da presença da Tuta absoluta nos frutos e caule, respetivamente

Quando ataca os caules destrói o sistema vascular da planta com todas as consequências nefastas que isso comporta.

No fruto causa elevados prejuízos tanto qualitativos como quantitativos.

Luta cultural

Eliminar as plantas hospedeiras tais como Erva moira (Solanum nigrum) e a figueira do inferno (Datura stramonium) e de restos de cultura, se possível queimando.

Colocar redes de exclusão de adultos (nas estufas) sempre que isso não implique um aumento das condições para as doenças criptogâmicas.

Realizar rotações culturais e no caso de sucessões, o tempo que deve medear entre as culturas será de pelo menos 6 semanas.

Luta biotécnica

tuta absoluta armadilha artesanal
 Fig. 5 – Armadilha artesanal de captura massiva da Tuta absoluta

Recorrer ao uso da captura em massa utilizando armadilhas de água de captura massiva com feromona e detergente. As armadilhas deverão ser colocadas a 40 cm do solo e à razão de 20 a 40 armadilhas por hectare. A água deverá ser renovada frequentemente e a feromona substituída ao fim de 60 dias, ou antes, caso esteja colocada ao ar livre sob condições atmosféricas adversas.

Podem ser agora colocadas nas estufas ou ao ar livre, onde tenha sido detetada a praga. Estas armadilhas podem ser improvisadas com pequenas bacias e tinas, fundos de bidão ou de garrafão plástico cortados, etc. Enchem-se com água com umas gotas de detergente ou de óleo, para quebrar a tensão superficial da água e permitir que as borboletas de Tuta se afundem. Em cada armadilha coloca-se uma feromona de Tuta, suspensa por cima da água. O método pode, por si só, diminuir as populações desta praga em mais de 80%.

Luta biológica

O recurso ao uso de auxiliares é uma prática cada vez mais recorrente com largos benefícios ambientais e também do ponto de vista da biologia da praga, uma vez que diminui o risco de desenvolvimento de resistências. Os auxiliares são: mirídeos, crisopas, Macrolophus caliginosus, Nesidiocoris tenuis e/ou tricogramas.

O Bacillus thuringiensis conjugando as subespécies kurstaki e aizawai tem revelado uma eficácia em todos os instares da larva, mas na fase larvar precoce a eficácia é ligeiramente superior.

Luta Química

A luta química quando realizada tem de o ser somente com produtos homologados para o efeito. Destacam-se neste momento as substâncias activas (s.a.) indoxacarbe e spinosade que deverão ser utilizadas em alternância e dentro das limitações de cada produto pelo que a leitura integral do rótulo é uma prática indispensável.

Só uma estratégia de luta concertada e integrada poderá ser eficaz contra este inseto!

Para mais informação relativamente à prevenção e/ou tratamento deverá contactar o seguinte serviço da Direção Regional de Agricultura:

Direção de Serviços de Desenvolvimento da Agricultura /DSDA
Divisão de Assistência Técnica à Agricultura /DATA
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. 
Tel..: 291 211 260

Tem alguma questão? Coloque-a aqui:

Código de segurança
Atualizar