1 1 1 1 1

Meteorologia agrícola
A informação técnica semanal!

apuramentos meteorologicos (LEGENDA)

CLIMATOLOGIA

Segundo os apuramentos meteorológicos de 26 de setembro a 2 de outubro (ver quadro), verificaram-se dias de muito calor, conforme o previsto. Os valores da intensidade média do vento, permitiram, duma maneira geral, a realização de todas as operações culturais, em particular, a aplicação de produtos fitofarmacêuticos. Especial cuidado, para não realizar estas aplicações nas horas mais quentes do dia. Relativamente às regas, continuar a regar, de acordo com as necessidades hídricas das culturas. Ver no quadro, os indicadores da Precipitação (P) e Evapotranspiração potencial (ETP), que indiciam claramente essa realidade. 

A previsão do estado do tempo para os próximos dias (até 12 de outubro) reserva-nos na costa sul, alguma nebulosidade, alternando com céu limpo. A norte, o IPMA prevê a possibilidade de chuviscos, a partir do dia 10 do corrente mês.

Podridão Radicular

Armillaria mellea

É um género de fungos parasitas que vivem em árvores e arbustos lenhosos, bem como em material lenhoso em decomposição.

Estes fungos têm uma vida longa e formam alguns dos maiores organismos do mundo.

Os corpos frutíferos são cogumelos que crescem em madeira, tipicamente, em pequenos amontoados densos.

  rizomorfos
 Rizomorfos (‘cordões’ escuros – estruturas do fungo
nas raízes da planta doente)

Dispersa-se por meio de rizomorfos semelhantes a raízes de cor castanho-avermelhada a negra, à velocidade de aproximadamente 1 m por ano. Os rizomorfos desenvolvem-se relativamente próximo da superfície do solo (nos 20 cm superiores) e invadem novas raízes de plantas lenhosas. Uma árvore infectada morrerá assim que o fungo a rodear, ou quando tiver ocorrido morte radicular significativa. Tal pode suceder rapidamente, ou pode levar vários anos a acontecer. As plantas infectadas deterioram-se, embora possam apresentar produção prolífica de flores e frutos pouco antes de morrerem.

 

previsoes meteorologicas (NOTA)

carpoforos
 Carpóforos jovens

Os sintomas iniciais de infeção incluem a morte de ramos folhosos ou o não aparecimento de folhas na primavera. Filamentos negros semelhantes a atacadores de sapatos surgem sob a casca e em volta da árvore, e os corpos frutíferos crescem em amontoados.

A seguir às primeiras chuvas do outono, podem aparecer na base dos troncos das videiras infetadas por Armillaria os carpóforos (cogumelos) do fungo.

As videiras são vulneráveis a este fungo. As videiras atingidas por Armillaria devem ser arrancadas, abrindo uma cova larga e retirando cuidadosamente todos os restos das raízes (e os cogumelos, quando os houver). Todos os restos vegetais arrancados devem ser queimados de imediato.

Não se devem replantar videiras no lugar das que morreram com Armillaria. Como o fungo sobrevive em restos de raízes e lenha morta no solo, as novas videiras seriam infetadas e morreriam também de seguida.

 carpoforos desenvolvidos
 Carpóforos desenvolvidos

Não existe tratamento acessível e eficaz para a podridão das raízes causada por Armillaria.

Na plantação de novas vinhas e na retancha de videiras, devem-se utilizar sempre tutores de madeira tratada ou canas, ou simplesmente amarrando a jovem videira ao arame com um fio.

Procedendo assim, pode-se evitar a possível infeção das jovens videiras por Armillaria, vinda nos tutores de madeira não tratados.

 

Para mais informação relativamente à prevenção e/ou tratamento deverá contactar o seguinte serviço da Direção Regional de Agricultura:

Direção de Serviços de Desenvolvimento da Agricultura /DSDA
Divisão de Assistência Técnica à Agricultura /DATA
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. 
Telef.: 291 211 260

Tem alguma questão? Coloque-a aqui:

Código de segurança
Atualizar