1 1 1 1 1

Meteorologia agrícola: a informação técnica semanal ao seu dispor!

apuramentos meteorologicos (LEGENDA)

CLIMATOLOGIA

Segundo as previsões para a próxima semana, teremos temperaturas médias amenas em quase toda a região. A intensidade média do vento a fazer-se sentir duma forma mais suave, permitindo todo o tipo de operações culturais, nomeadamente a aplicação de produtos fitofarmacêuticos. Relativamente às regas, uma vez que a precipitação foi praticamente nula, verifica-se a necessidade de retomar esta prática com maior frequência. Ver no quadro, os indicadores da Precipitação (P) e Evapotranspiração potencial (ETP), que indiciam claramente haver necessidade de regar, mas sempre de sempre de acordo com as necessidades da cultura. A previsão do estado do tempo para os próximos dias, reserva-nos dias de céu limpo com temperaturas primaveris muito simpáticas, alternando para o fim da semana com dias de muita nebulosidade e alguma precipitação, daí a necessidade de continuar a monitorização a algumas culturas quanto a pragas e doenças, uma vez que o estado do tempo está a proporcionar os seus aparecimentos. Quem produz pomóideas e/ou prunóideas, deverá estar atento nas suas observações, ao seguinte:

POMÓIDEAS (Macieira, Pereira)

PEDRADO DA MACIEIRA E DA PEREIRA (Venturia inaequalis e V. pyrina)

pedrado macieira

Tanto o fungo como as árvores de algumas variedades já apresentam condições para o desenvolvimento da doença, uma vez que condições meteorológicas, têm estado a favor (dias de grande nebulosidade e alguma precipitação alternando com dias de céu limpo). Para as árvores que já apresentam o botão rosa, deve utilizar um fungicida orgânico que atue a baixa temperatura, como, por exemplo, SROBY, CHORUS, QUALY, FLINT, CONSIST, FLINT PLUS, ou utilizar um fungicida orgânico de contacto ou superfície. Para combate ao pedrado no Modo de Produção Biológico, são autorizados fungicidas à base de enxofre ou SERENADE MAX.

PRINCÍPIOS DA PROTEÇÃO CONTRA O PEDRADO DAS MACIEIRAS

Três objetivos fundamentais devem orientar a luta química contra o pedrado das pomóideas:

► Evitar a instalação da doença durante o período de contaminações primárias;

► Posicionar os tratamentos de modo preventivo, o mais próximo possível dos períodos de risco;

► Evitar o aparecimento de resistências, praticando uma alternância de produtos tão larga quanto possível, durante todo o período em que é necessário fazer tratamentos contra o pedrado.

Devem fazer-se tratamentos com qualidade, sendo então necessário:

► Dispor dos meios materiais e humanos necessários para fazer os tratamentos no momento certo;

► Dispor de material de aplicação em boas condições, corretamente regulado;

► Fazer uma cobertura completa de todas as árvores, não deixando partes do pomar por tratar;

► Respeitar as doses recomendadas;

OÍDIO DA MACIEIRA (Podosphaera leucotricha)

Nas variedades sensíveis, deve fazer um tratamento ao botão rosa, dando preferência ao enxofre, a não ser que utilize um fungicida contra o pedrado que combata em simultâneo o oídio.

 

previsoes meteorologicas (NOTA)

AFÍDEOS OU PIOLHOS (PIOLHO CINZENTO, PIOLHO VERDE E PULGÃO LANÍGERO)

Deve manter a vigilância e intervir, só em caso de necessidade e apenas nas árvores atacadas, se for ultrapassado o nível económico de ataque, aplicando um aficida adequado.

NÍVEIS ECONÓMICOS DE ATAQUE PARA AFÍDEOS NAS MACIEIRAS
Nível económico de ataque (N.E.A.)

Piolho cinzento 100 inflorescências ou infrutescências (raminhos de flores ou frutos) 1 % de inflorescências ou infrutescências atacadas;

Piolho verde, 100 raminhos terminais em crescimento, 10 a 15% dos raminhos atacados; Pulgão-lanígero, 100 ramos em 50 árvores ou em 100 árvores, 10% de ramos ou de árvores atacados.

parasitoide aphelinus Nota: o pulgão-lanígero é fortemente parasitado pelo parasitóide Aphelinus mali (ver imagem ao lado) no início do verão.

No Modo de Produção Biológico estão homologados aficidas à base de azadiractina (ALIGN, FORTUNE ASA).

 

 

PRUNÓIDEAS (Ameixeiras, Cerejeiras, Damasqueiros e Pessegueiros)

MONILIOSE NA CEREJEIRA (Monilia laxa e M. fructigena)

PODRIDÃO CINZENTA (Botrytis sp.)

Na presença de condições meteorológicas favoráveis, como as que estão a decorrer, estas doenças atacam fortemente as flores da cerejeira. No caso de não ter o pomar protegido, recomenda-se que realize de imediato um tratamento, principalmente nas variedades mais sensíveis, mesmo que estejam em floração. Os fungicidas SCORE 250 EC e o INDAR 5 EW, poderão ter quebra de eficácia se decorrerem temperaturas baixas após a aplicação. Contra a moniliose na cerejeira em Modo de Produção Biológico, podem ser utilizadas caldas à base de enxofre molhável.

MOSCA DO VINAGRE OU DROSÓFILA DE ASA MANCHADA

Deve proceder de imediato à colocação das armadilhas para captura massiva.

AFÍDEOS OU PIOLHOS (PIOLHO VERDE, PIOLHO NEGRO)

afideo negro

Nesta altura, já são visíveis os sintomas do ataque destes insetos em cerejeira e pessegueiro. Na presença da praga, logo que seja atingido o nível económico de ataque, deve tratar.

 

 

 

NÍVEIS ECONÓMICOS DE ATAQUE PARA AFÍDEOS NAS PRUNÓIDEAS

Nível económico de ataque (N.E.A.)

Piolho verde na ameixeira, 100 raminhos do ano, 5 a 10 % de raminhos atacados;

Piolho verde no pessegueiro, 100 raminhos do ano, 3 a 7 % de raminhos atacados;

Piolho negro da cerejeira, 100 raminhos de flor com folhas, 3% de raminhos atacados.

No Modo de Produção Biológico estão homologados aficidas à base de azadiractina (ALIGN, FORTUNE ASA).

Para mais informação relativamente à prevenção e/ou tratamento deverá contactar o seguinte serviço da Direção Regional de Agricultura:

Direção de Serviços de Desenvolvimento da Agricultura
Divisão de Assistência Técnica à Agricultura (DATA)
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. 
Telef.: 291 211 260

Tem alguma questão? Coloque-a aqui:

Código de segurança
Atualizar