1 1 1 1 1

Meteorologia agrícola
A informação técnica semanal ao seu dispor!

apuramentos meteorologicos (LEGENDA)

CLIMATOLOGIA

Estão previstas para a próxima semana temperaturas médias amenas em quase toda a Região, apenas um pouco mais baixas a norte. A intensidade média do vento será mais suave, se comparada com a semana anterior, permitindo, ainda que com alguma reserva, a aplicação de produtos fitofarmacêuticos. Dada a diminuição verificada na precipitação, é aconselhável continuar atento às necessidades hídricas da cultura.

TRATAMENTOS FITOSSANITÁRIOS

Dever-se-á continuar atentos às culturas, por forma a detetar precocemente quaisquer sinais ou sintomas de pragas/doenças, e atuar em conformidade.Hortícolas:

Desde que o estado do tempo permita, deve manter os tratamentos preventivos contra os fungos que proliferam com as atuais condições do estado tempo.

Frutícolas:

Há que manter os pomares de variedades tardias de citrinos, com colheita em março, protegidos contra o míldio, aplicando um produto fitofarmacêutico adequado, com repetições a cada 3/4 semanas.

Actinídea (kiwi)

Bacteriose da actinídea - PSA (Pseudomonas syringae pv. actinidae)

Os pomares atingidos pela doença devem ser tratados com uma calda à base de cobre, logo após à colheita e a meio da queda das folhas.

Medidas preventivas:

- Não podar com tempo de chuva;
- Podar as plantas afetadas no final;
- Desinfetar regularmente os instrumentos de poda e;
- Retirar imediatamente toda a lenha de poda do pomar, queimando-a ou guardando-a em local abrigado da chuva, de modo impedir a dispersão da bactéria.

Influência da podridão cinzenta na conservação dos kiwis

A podridão cinzenta (Botrytis cinerea) é um dos principais obstáculos à conservação de longa duração dos kiwis, podendo causar danos superiores a 50%, se as condições forem favoráveis ao desenvolvimento da doença. O ataque nos frutos manifesta-se apenas alguns meses após a colheita e pode variar conforme os anos e de pomar para pomar, sob a influência de fatores como:

- Terrenos pesados e mal drenados;
- Permanência prolongada do fruto molhado antes da colheita (chuvas outonais);
- Sistemas de condução do pomar que dificultam o arejamento dos frutos;
- Elevada relação entre azoto e cálcio nos frutos;
- Elevado inóculo do fungo;
- Colheita precoce e;
- Tecnologia de conservação incorreta (RSR < 6,5%, refrigeração imediata, sem curing, elevada concentração de CO2 na câmara).

Sintomas

Os tecidos atacados apresentam cor verde mais escura que os sãos, podendo aparecer o característico micélio e esporulação (“bolor”) do fungo na superfície do fruto. A polpa torna-se verde escura e de consistência mole e aquosa, mostrando margens bem definidas em relação à parte ainda sã. Os sintomas não são visíveis no pomar, mas apenas após um mês de conservação na câmara, a partir do polo peduncular. 

Proteção

Têm grande influência na prevenção e controlo da Botrytis sp as práticas culturais - irrigação, fertilização e sobretudo a poda. Deve-se proceder a podas em verde, a fim de obter um melhor arejamento, iluminação e exposição dos frutos ao sol. Tratamentos do pomar com fungicidas anti-Botrytis têm-se mostrado pouco eficazes, além de serem de difícil execução, sendo mais eficaz a imersão dos frutos em caldas fungicidas antes da entrada na câmara. O retardamento do início da refrigeração por 24 a 72 horas, à temperatura de 12 a 18 ºC, seguida de um gradual abaixamento da temperatura na câmara, induz a resistência dos frutos à infeção pela Botrytis. Esta técnica designada por curing, pode ser complementada pelo tratamento fungicida à entrada da câmara frigorífica.

Além da Botrytis, outros fungos podem desenvolver-se e causar perdas durante o período de conservação na câmara - Phialophora, Penicillium, Botryosphaeria Phomopsis. A rejeição dos frutos muito maduros, os cuidados na colheita e pós-colheita (seleção, calibragem), evitando ferimentos e lesões nos frutos, condições de conservação adequadas (temperatura, humidade e ventilação das câmaras frigoríficas), são essenciais para diminuir os problemas causados pela Botrytis e outros fungos durante a conservação.

 

 

previsoes meteorologicas (NOTA)

Pomóideas (macieira, pereira, nashi e nespereira)

Cancro europeu da macieira (Neonectria galligena)

Recomenda-se a aplicação de uma calda à base de cobre (de preferência, calda bordalesa) durante e no fim da queda das folhas, nos pomares ou parcelas de pomar formados por variedades sensíveis e que apresentem sintomas desta doença.

Medidas preventivas

- Eliminar o mais possível os ramos secos que apresentem feridas de cancro, de modo a evitar a disseminação da doença;
- Retirar a lenha resultante destas operações do pomar, queimar ou guardar em lugar seco e abrigado da chuva, no caso de se destinar a consumo doméstico e;
- Preferir variedades e porta-enxertos menos sensíveis ao cancro europeu na instalação de pomares novos.

Vinha

Caso seja necessário, consultar a ficha técnica dos vários produtos fitofarmacêuticos (herbicidas) existentes no mercado, de forma a escolher o mais adequado para o controlo dos infestantes anuais específicos a cada situação.

OPERAÇÕES CULTURAIS

Sementeira

Pode efetuar a sementeira em alfobres protegidos ou ao ar livre de algumas hortícolas, a exemplo da alface, couve, beterraba, alhos e nabo.

Plantação

Dar continuidade aos procedimentos de preparação das culturas de Primavera/Verão, por exemplo, as batatas, podendo mesmo dar início à plantação precoce nas zonas baixas.

Poda

A poda é recomendável nesta altura do ano, nas figueiras, pessegueiros, cerejeiras e ameixieiras, evitando sempre grandes cortes.

Um mês depois da apanha da tangerina, deverá efetuar uma pequena limpeza do interior da copa, de forma a promover o arejamento e a entrada de luz. Após a poda, é aconselhável uma desinfeção com produtos à base de cobre (desinfetante e cicatrizante) e de óleo mineral (ovicida – eliminando os ovos por asfixia).

Esta é também a época própria para realizar a enxertia de fruteiras de caroço (cerejeira, pessegueiro, ameixeira e damasco), pelo que deverá programar com os serviços oficiais ou com o enxertador particular, para que sejam efetuadas de imediato.

Dever-se-á continuar, caso ainda não tenha sido feito, com a plantação de couves, alfaces, alho, favas, cebola e morangueiro assim como de algumas fruteiras, nomeadamente a cerejeira, o pessegueiro, a macieira e a pereira.
Poderá ainda proveitar as boas condições do estado do tempo para efetuar as mondas nas culturas recentemente plantadas, nomeadamente nas cebolas.

Jardim

As roseiras ainda podem ser podadas, bem como outros arbustos e árvores de jardim que não estejam em flor.

Se for o caso, continuar com a instalação de viveiros de estacaria de roseiras, de aromáticas e de outros arbustos e árvores de jardim.

Nunca é demais lembrar ao Sr. Agricultor que deve manter o registo de utilização dos produtos fitofarmacêuticos atualizado.

 

Para mais informação relativamente à prevenção e/ou tratamento deverá contactar o seguinte serviço da Direção Regional de Agricultura:

Direção de Serviços de Desenvolvimento da Agricultura
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Telef.: 291 214 310

Tem alguma questão? Coloque-a aqui:

Código de segurança
Atualizar