1 1 1 1 1

Meteorologia agrícola
A informação técnica semanal ao seu dispor!

apuramentos meteorologicos (LEGENDA)

CLIMATOLOGIA

Estão previstos para a próxima semana dias de céu limpo em toda a costa sul. Os aguaceiros, a acontecer, serão de forma muito esporádica e apenas no norte da ilha, assim como alguma nebulosidade. E é precisamente no norte que dever-se-á manter os cuidados redobrados nas plantações de morango e vinha e, provavelmente, fazer intervenções contra a botrytis (podridões cinzenta), o míldio e o oídio.

A frequência das regas terá necessariamente que ser maior em toda a ilha, de acordo com as necessidades das culturas.

De acordo com as previsões, as condições do estado do tempo serão boas a sul e a norte, o que permite o desenvolvimento de atividades diversas na exploração agrícola, nomeadamente práticas culturais que permitam diminuir as populações das principais pragas e evitar a aplicação sistemática de produtos fitofarmacêuticos, tais como a monda de frutos, a eliminação de focos de pragas, a substituição periódica do atrativo nas garrafas mosqueiras ou a recolha e destruição de frutos caídos no solo.

TRATAMENTOS FITOSSANITÁRIOS

Na aquisição dos produtos fitofarmacêuticos deve informar-se claramente das finalidades dos mesmos, assim como quais as culturas para os quais estão homologados, ou seja, para as quais está autorizada a sua aplicação. Não esquecer, até porque é uma obrigação, de registar no caderno de campo as utilizações dos produtos fitofarmacêuticos.

Respeite também o Intervalo de Segurança (IS), ou seja, o número de dias que decorre entre a aplicação e a colheita. Para o efeito, consulte sempre o rótulo do produto fitofarmacêutico.

Dever-se-á continuar a observar as culturas, por forma a detetar precocemente quaisquer sinais ou sintomas de pragas ou doenças, como tem sido recomendado nas semanas anteriores.

- Frutícolas

Com as boas condições do estado do tempo na costa sul, irá verificar-se com certeza o aumento na atividade da mosca da fruta (Ceratitis capitata), daí recomendar-se a colocação de garrafas mosqueiras (armadilhas de captura massiva) para todos os pomares vulneráveis à mesma e proceder à substituição periódica (de 15 em 15 dias) do atrativo nas garrafas mosqueira, como medida complementar. Em média, deve colocar uma armadilha por cada três árvores.

- Bananeiras

Concedida a extensão de autorização de utilização em usos menores ao produto fitofarmacêutico Spintor DOW/(Spinosade) para aplicação em bananeira no combate ao thrips (thrips exilicomis e hercinothrips bicinctus), deverá proceder ao tratamento, logo ao aparecimento da praga, pulverizando o cacho desenvolvido, efetuando no máximo dois tratamentos separados por 14 dias, numa concentração de 0,02l/hl.

-Pomoides e prunoideas

Prossiga com os tratamentos preventivos e curativos contra as doenças do pedrado das macieiras e das pereiras e ainda da lepra dos pessegueiros. O risco de aparecimento de infeções secundárias mantém-se elevado, pelo que se recomenda a proteção com um produto de contacto mas apenas nos pomares onde existam manchas de pedrado. No Modo de Produção Biológico podem ser utilizados fungicidas anti-pedrado à base de cobre e de enxofre.

Face às elevadas temperaturas registadas recomenda-se a vigilância dos pomares no aparecimento do aranhiço vermelho. Observe 100 folhas do terço médio do ramo (2 folhas x 50 plantas) e, se registar 50 a 75% de folhas ocupadas com formas móveis deste ácaro, deve realizar um tratamento com um acaricida homologado.

- Anoneiras

Monitorize as anoneiras, na tentativa de detetar a presença da cochonilha algodão e, caso se verifique a sua presença, poderá aplicar o Imidan 50 WP (fosmete) numa concentração de 60g/hl.

- Abacateiro

É conveniente nesta altura do ano estar atento também à atividade do percevejo do abacateiro – Pseudacysta perseae e, aos primeiros sinais da sua presença, atue de imediato com a aplicação de Confidor O-TeQ (imidaclopride) numa concentração de 50ml/hl.

Neste momento, as condições climáticas e fenológicas do abacateiro são favoráveis ao ataque do aranhiço branco ou cristalino do abacateiro - Oligonychus perseae nas folhas. O ataque provoca a queda prematura das folhas, comprometendo a futura produção e expondo tanto os frutos como os ramos a queimaduras pelo sol.

Assim, recomenda-se pulverizar os mesmos, molhando toda a copa, preferencialmente as páginas inferiores das folhas, devendo utilizar para tal o Vertimec 018 EC, numa concentração de 150ml/hl e no máximo de 2 aplicações, nos seguintes moldes:

 

previsoes meteorologicas (NOTA)

1.º tratamento - ao aparecimento dos primeiros sintomas
2.º tratamento - três semanas depois, sendo14 dias o intervalo de segurança.

De salientar que dever-se-á regar as plantas um dia antes da aplicação do produto.

- Citrinos

As cochonilhas (Cochonilha-negra, Cochonilha-virgula, Cochonilha-algodão, etc.) são pragas frequentes em pomares de citrinos e que causam prejuízos diretos ao sugarem a seiva das plantas e indiretos pela melada que excretam e pela fumagina que aí se desenvolve. A excreção de meladas pelas cochonilhas também atrai formigas, mas que apenas vão em busca de alimento e não prejudicam as árvores.

Cuidados culturais como podas, adubações, regas equilibradas e a aplicação de métodos de luta que protejam os insetos auxiliares (a exemplo das joaninhas, diminuem o risco de desenvolvimento de grandes populações de cochonilhas nos citrinos. Por sua vez, o tratamento com Óleo de Verão é eficaz, mas só deve ser realizado se os frutos tiverem o tamanho superior ao de uma noz. Na véspera do tratamento, deve fazer uma rega abundante e a sua aplicação deve ser feita fora das horas de maior calor.

- Vinha

A vinha encontra-se numa fase de desenvolvimento particularmente sensível ao oídio e o tempo tem estado favorável ao seu desenvolvimento. Aconselha-se, por isso, a manter a vinha protegida até ao fecho do cacho, utilizando um produto penetrante. Se, em alternativa, e se o estado do tempo o permitir, utilizar enxofre em pó, procure não fazer esse tratamento com temperaturas elevadas – acima dos 32º C - e com a planta molhada, para evitar riscos de fitotoxidade (queima). Em qualquer caso, procure orientar a vegetação e fazer uma cuidada desfolha, de maneira a permitir um bom arejamento da planta e facilitar a penetração do produto utilizado.

Respeite cuidadosamente o período de persistência de ação dos fungicidas utilizados. Nas vinhas em que surjam sintomas ou com historial da doença, a proteção deve ser mantida até ao pintor. Nos casos de ataques intensos da doença, os tratamentos deverão ser efetuados com enxofre, como já referido, ou, em alternativa, meptildinocape.

Apenas se recomenda a renovação do tratamento contra o míldio nas vinhas que ainda não atingiram o “fecho do cacho” (cacho compacto) ou naquelas em que os sintomas da doença têm persistido, devido à sucessão de infeções secundárias.

Relembra-se ainda a importância da correta orientação da vegetação, no sentido de favorecer o arejamento na zona dos cachos e a boa penetração do tratamento fungicida.

No modo de produção biológico podem ser utilizados fungicidas antimíldio à base de cobre e antioídio à base de enxofre e de hidrogenocarbonato de potássio (ARMICARB).

- Hortícolas

Para as hortofrutícolas mais comuns nesta época (morango, tomate, alface, pepino, abobrinha, feijão, milho, etc.) as condições são favoráveis ao aparecimento e proliferação de pragas como aranhiços, trips e afídios. Os agricultores deverão monitorizar com frequência o aparecimento destas pragas e, quando atingido o nível económico de ataque, realizar os tratamentos, utilizando os produtos fitofarmacêuticos menos tóxicos e respeitando as condições de utilização referidas no rótulo. Deverão ter sempre em atenção o respeito pelo intervalo de segurança.

Aos produtores de manjericão (Ocimum basilicum L.), relembra-se que foi concedida a extensão de autorização do produto fitofarmacêutico CUPRITAL SC (cobre)/SAPEC para usos menores no combate ao míldio (Perenospora belbahrii), como já referido em artigos anteriores do DICA.

Poderá desde já efetuar tratamentos preventivos, por forma a evitar o aparecimento do fungo, de acordo com as instruções do rótulo.

OPERAÇÕES CULTURAIS

Na sucessão das culturas hortícolas (rotação), técnica muito utilizada na Região, é de todo conveniente alternar com uma leguminosa, para que haja um equilíbrio de azoto no solo, retardando ao máximo o esgotamento do solo neste nutriente.
Recomenda-se a limpeza das matas e evitar acumulação de resíduos vegetais facilmente combustíveis (madeira e folhagem), a fim de se evitarem eventuais incêndios.

Não se esqueça e tire o máximo partido das matérias fertilizantes produzidas na sua exploração, particularmente estrumes, chorumes e outros, constituindo os adubos minerais apenas o complemento necessário ao défice de nutrientes eventualmente existente.

Através de atitudes sustentáveis melhora-se a economia da família, reduzindo os custos de produção e melhorando a qualidade dos produtos.

 

Para mais informação relativamente à prevenção e/ou tratamento deverá contactar o seguinte serviço da Direção Regional de Agricultura:

Direção de Serviços de Desenvolvimento da Agricultura
Correio eletrónico: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Telefone: 291 214 310

Tem alguma questão? Coloque-a aqui:

Código de segurança
Atualizar