1 1 1 1 1

Sabores da Primavera – mais uma edição dos Cabazes de Primavera nos Mercados dos Agricultores

Há uma teoria, ainda em testes para comprovação científica, de que um número mais ou menos importante de seres humanos terá uma caixinha de música inculcada algures no cérebro. Suspeitam os cientistas que se esforçam em provar esta hipótese, que esse infinitamente pequeno objeto estará embebido no hemisfério cerebral direito, onde efervescem os neurónios responsáveis pelo pensamento simbólico e a criatividade.

Segundo os estudos daqueles pares do departamento Philip K. Dick da Universidade Isaac Asimov, aqueles equipamentos produtores de música adquirem formas e qualidades específicas consoante o detentor não havendo, pelos sinais analisados em superpotentes computadores, dois que sejam iguais.

O chefe da equipa de neurocientistas dedicada a tempo inteiro a estas investigações, em entrevista recente referiu que «sempre se soube que muitas pessoas têm a sensação que, em determinados momentos e contextos, começa-lhes uma música no interior da cabeça, um misterioso gira-discos que, de súbito e autonomamente, se põe a tocar um qualquer disco».

Cofiando o bigode einsteinoniano, aquele especialista prosseguiu «o disco que roda pode debitar músicas já conhecidas ou, em casos muito mais raros, peças completamente originais. Essas músicas têm, portanto, qualidades diversas, e quem esteja do lado de fora só as pode ouvir em manifestações de verbalização ou, claro, de reprodução através de instrumentos que processem notas musicais. Aqui teremos o que designamos como compositores».

Na entrevista em causa, o académico da escola financiada pelo autor de "Blade Runner" mais referiu que «bons exemplos da expressão daquela música interior podem ser encontrados no chamado "canto do duche", onde além do seu caráter original ou não, também facilmente se pode perceber a distinta qualidade da fonte sonora: naquele meio reservado podemos registar, na maior parte das observações, meros grunhidos quiçá herança dos neandertais e, muito mais raramente, o mais sublime bel canto». Voltando a remexer na grandiloquente bigodaça esbranquiçada, no que seria a prova de um declarado tique, o cientista continuou «depois, há outras interações que estamos a estudar, e que é a influência ambiental sobre as caixinhas de música cerebrais. Veja, estamos agora na Primavera, e eu, por exemplo, quando estou encafuado no meio dos relatórios e gráficos, o meu cd mental, sem que eu tenha exercido qualquer influência para tal, começa a tocar a partitura respetiva das "4 estações" de Vivaldi».

A Primavera, na verdade, despoleta e desperta tantas e tantas emoções e sensações. Se pode detonar uma música alegre que nos acompanhe em exclusivo, também é capaz de nos acordar sabores (talvez um projeto a propor aos nossos imaginários neurocientistas: investigar a também certa existência entre os 100 biliões de neurónios que carregamos, alguns que se organizem para constituir uma microcozinha pessoal e intransmissível). Depois do muito menos simpático Inverno, esta estação com nome feminino, apropriado pelo que remete para maternidade, tem a varinha de condão de, entre muitas outras habilidades, fazer (re)nascer a natureza. Não é só o tempo de mais e belas flores a colorir ou inebriar os jardins, são também os campos agricultados mais verdes e fartos de cultivos. E são estes que o leitor pode encontrar todos os domingos, na sua máxima frescura e pujança de aromas e sabores, nos Mercados dos Agricultores.

 

Para celebrar precisamente a Primavera, no que esta traz de renovada riqueza e diversidade à agricultura, está em curso, desde dia 16 de março e até 25 de maio, mais uma edição do "Sorteio de Cabazes de Primavera" nos Mercados dos Agricultores dos Prazeres e dos Canhas (2 cabazes a sortear em cada estabelecimento).

Esta iniciativa, que se realizou pela primeira vez na Primavera de 2010, tem a seguinte mecânica: os clientes têm de realizar compras num valor mínimo de 5€, o que lhes dá direito a um cupão de participação; se comprarem 10€ recebem dois cupões e assim sucessivamente, até um máximo de cinco cupões quando adquirem 25€ ou um valor superior de produtos.

A nossa sugestão é o leitor convocar a família para um merecido passeio pela nossa belíssima ilha agora vestida de Primavera, e aproveitar para fazer as suas compras de vegetais e frutas da época, pão caseiro e outras deliciosas iguarias regionais, num daqueles Mercados dos Agricultores, com a vantagem acrescida de ainda poder vir a ser premiado por isso. O primeiro sorteio é já no próximo dia 13 de abril, e o segundo a 25 de maio.

sorteio primavera 2014 cartaz

 

Paulo Santos
Direção Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural

Tem alguma questão? Coloque-a aqui:

Código de segurança
Atualizar