1 1 1 1 1

Melhores de 2013 da Revista Wine-Essência do Vinho – 3 Prémios para a Madeira

vinhos1A EV-Essência do Vinho, é uma empresa especializada em comunicação e divulgação de vinhos. Uma das suas principais atividades é a produção de eventos enogastronómicos, distinguindo-se por disponibilizar soluções "all in one", podendo executar as diferentes etapas que estas realizações envolvem, desde a logística à proposta de programação, criação de imagem, marketing e assessoria mediática.

Nos seus dez anos de atividade, já desenvolveu várias ações de promoção para instituições e empresas, em países como o Brasil, Angola, França, Suíça, Holanda, Dinamarca e Estados Unidos.

A EV dinamiza igualmente os projetos Essência do Vinho TV (televisão online), a Escola Essência do Vinho (cursos de cozinha e vinho), como também a revista mensal Wine - A Essência do Vinho, publicação especializada em vinho, gastronomia e enoturismo.

Ora a Wine, no passado dia 31 de janeiro, na cidade do Porto, procedeu à entrega dos prémios correspondentes aos "Melhores do Ano" de 2013, em duas grandes áreas: vinhos e gastronomia.

Segundo o diretor da revista, dias antes do anúncio dos premiados, «o principal objetivo destes prémios é conferir um justo reconhecimento a protagonistas que representam uma mescla de experiência e novos valores, em duas áreas que cada vez mais deverão ser consideradas estratégicas na economia nacional. Como em qualquer exercício do género, chegar a um leque de quatro nomeados por cada uma das 12 categorias não foi tarefa fácil e mais complexo é o processo que estamos agora a finalizar, de eleição dos vencedores».

De facto a escolha abarcou 12 categorias, cada uma das quais com quatro nomeados, a fazer lembrar, salvaguardadas as devidas distâncias, um tipo de eleição mais comum nos prémios da sétima arte (o "tio" Óscar, a propósito, já está a preparar a célebre passarela vermelha....): "Vinho do Ano", "Personalidade do Ano no Vinho", "Produtor do Ano", "Produtor Revelação do Ano", "Enólogo do Ano" e "Sommelier do Ano", no capítulo dos vinhos; "Personalidade do Ano na Gastronomia", "Chefe de Cozinha do Ano", "Restaurante Gastronómico do Ano", "Restaurante com Melhor Serviço de Vinhos" e "Destino Gastronómico do Ano", no capítulo da gastronomia. O 12º prémio destinou-se a eleger a "Personalidade do Ano no Brasil", distinção justificada pelo facto da revista também ser distribuída no mercado brasileiro.

Dos 12 troféus em disputa, 3 vieram para a Madeira, a saber:

Produtor do Ano, conferido à Barbeito pelo Vinho Madeira (que disputou com Caves Transmontanas - Douro, Ermelinda Freitas - Península de Setúbal e Filipa Pato - Bairrada), por ser considerada «uma das casas mais importantes para a renovação do Vinho Madeira» e por produzir «vinhos ásperos e cheios de arestas, tensos, de temperamento exacerbado e espírito forte»;

Restaurante Gastronómico do Ano, atribuído ao "Il Gallo D'oro", sob a batuta do chef Benoît Sinthon (que competiu com Belcanto - Lisboa, Largo do Paço- Casa da Calçada - Amarante e Tia Alice - Fátima), não só por deter desde 2009 uma estrela Michelin, mas «pelo seu papel no incentivo à produção e promoção dos produtos locais: peixe, hortícolas, ervas aromáticas e frutas», e ser «um dos restaurantes que todos nós, os portugueses, devem conhecer»;

 

vinhos2

e o título Enólogo do Ano, concedido a Francisco Albuquerque (que ombreou com António Luis Cerdeira, Francisco Olazabal e João Paulo Gouveia), por «ter sido responsável por alterações de vulto, mudanças que se mostraram decisivas para o despertar internacional pelo Vinho Madeira» e eleito «por 3 anos consecutivos enólogo do ano de vinhos generosos no prestigiado International Wine Challenge» e ter ganho «o troféu Len Evans, que premeia a consistência da qualidade na produção de cinco anos consecutivos», galardão que «poucos enólogos no mundo se podem gabar de possuir».

Os restantes prémios, com uma grande preponderância do eixo Porto-Douro, foram para:

Paul Symington (Personalidade do Ano no Vinho); Mateus Nicolau de Almeida, da Muxagat (Produtor Revelação); Noval Nacional Vintage 2011 (Vinho do Ano); DOP, de Rui Paula (Restaurante com Melhor Serviço de Vinhos); cidade do Porto (Melhor Destino Gastronómico) e Vítor Matos (Chefe de Cozinha do Ano). Para sul foi o título Melhor Sommelier, para Licínio Pedro Carnaz do Hotel Ritz, e para Manuel Chicau, da Adega Alentejana, o galardão de Personalidade do Ano no Brasil.

Por último, foi distinguido como Personalidade Gastronómica do Ano, o decano dos críticos gastronómicos portugueses, José Quitério, conhecido por, além de avesso ao computador, preservar algum secretismo em relação à sua pessoa, raramente dando entrevistas, e aceitar convites para eventos públicos e, menos, qualquer prémio. Neste caso aceitou-o, o que só conferirá maior brilho aos troféus da EV, tendo o original comentador das artes do garfo e faca justificado o facto afirmando que «não basta atribuir um prémio a alguém, é preciso que essa pessoa o queira receber - e a revista Wine é uma entidade idónea».

É certo que estes prémios devem-se principalmente à elevada qualidade e distinção do trabalho dos seus ganhadores, na área agroalimentar verdadeiros alquimistas dos tempos modernos, o que só vem corroborar o que um dia escreveu o filósofo suíço Jean-Jaques Rousseau, ou seja, «Sejamos bons e depois seremos felizes. Ninguém recebe o prémio sem primeiro fazer por isso».

Mas tais reconhecimentos seriam provavelmente mais difíceis de obter, se, a montante, não existissem agricultores com uma sabedoria secular e, prosseguindo o caminho ao amago das coisas, excelentes e inigualáveis produções agrícolas e, claro, uma terra magnânima, fértil e caprichosa, onde tudo tem o princípio, a Madeira.

 

Paulo Santos
Direção Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural

Tem alguma questão? Coloque-a aqui:

Código de segurança
Atualizar