1 1 1 1 1

O "valor" da fruta regional

A recente evolução dos mercados agrícolas é caracterizada por uma grande volatilidade dos preços dos produtos base do setor alimentar.

Neste contexto, o consumidor, no momento da compra, tem especial atenção ao fator preço dos bens alimentares que consome. Porém, a crescente presença de produtos agroalimentares regionais nas cadeias de distribuição a operar na Região, permite ao consumidor madeirense avaliar, para além do preço, a qualidade dos produtos de diferentes proveniências.

Ainda assim, e no caso das frutas frescas, há a ideia generalizada de que a fruta regional é mais cara que a de outras origens, apesar de se verificar uma crescente preferência pela fruta de produção regional, devido à sua frescura e qualidade, e, em especial, ao seu sabor particular.

Deste modo, torna-se importante fazer uma abordagem comparativa à média das cotações de 5 frutas (limão, maracujá roxo, morango, papaia e tomate arbóreo) de origem regional e externa, transacionadas nas cadeias retalhistas, durante todo o ano de 2013.

quadro-fruta

 

graf frutaNuma análise comparativa às médias das cotações apresentadas, verifica-se que as frutas regionais apresentam uma cotação média anual de 3,39 €/kg e os de origem externa de 3,44 €/kg, sendo, portanto, mais barata 0,05 € (em média -1,5%).

Deste modo, constata-se que a fruta regional é comercializada, em média, a preços inferiores aos de origem externa, porquanto é fundamental que os consumidores madeirenses tenham uma verdadeira perceção desta realidade, de modo a privilegiar cada vez mais a "nossa" fruta.

Assim, nesta época de dificuldades económicas consumir o que é nosso resultará em mais produção, menos importações e mais valor económico para a Região.

 

Lucília Lourenço
Direção Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural

Tem alguma questão? Coloque-a aqui:

Código de segurança
Atualizar