1 1 1 1 1

O comércio de flores, folhagens e plantas ornamentais na RAM

inqflores1

A Região Autónoma da Madeira tem um conjunto de recursos e vantagens que lhe permite desenvolver cada vez mais a fileira das flores e plantas ornamentais e conquistar, com sustentabilidade, uma posição mais competitiva nos mercados, afirmando os atributos de qualidade intrínseca que já hoje são reconhecidos, quer por consumidores quer por operadores, internos e externos.

É, pois, com o objetivo de caracterizar este setor no momento atual, de analisar a sua evolução, no contexto de uma globalização dos mercados, e de continuar a promover uma cada vez mais estreita ligação entre a produção local e a distribuição, de modo a que a quota de produtos florícolas de origem regional de qualidade assuma uma crescente expressão na oferta global, que procedemos, no ano transato, ao levantamento dos quantitativos efetivos no ano de 2012 das entradas e saídas de e para a RAM de produtos florícolas.

Porém, a baixa percentagem de resposta das empresas do setor apenas permitiu ter uma noção das espécies mais adquiridas fora da Região, facto que reduz significativamente o conhecimento da realidade do setor.

Todavia, e com base nos dados recolhidos, o total das importações efetuadas de produtos florícolas em 2012, foi de 966.962 unidades.

 

graficoflores

Das flores, folhagens e plantas ornamentais adquiridas fora da Região, salienta-se que o crisântemo foi a flor mais importada, com 256.677 unidades, seguida da planta do crisântemo, com 172.885 unidades. Das restantes aquisições, destaca-se o cravo com 99.330 unidades, o feto real com 97.800 unidades e a rosa com 71.540 unidades.

Por conseguinte, importa realçar que esta pequena análise permitiu, ainda que preliminarmente, ter uma noção das espécies mais adquiridas fora da Região e bem assim, das necessidades no mercado regional. Como tal, é fundamental desenvolver, de forma sustentada, o ajustamento da oferta à procura, incrementando na Região, a produção destas culturas em função das exigências do mercado. 

Contudo, o mercado de flores e plantas ornamentais é caracterizado por grande concorrência, razão pela qual é fundamental que os produtores regionais desenvolvam a sua atividade de forma mais flexível, em função das oportunidades de mercado, apresentando bons índices de produtividade e qualidade, para tornarem-se mais competitivos e afirmarem-se junto das grandes cadeias de distribuição.

Lucília Lourenço
Direção Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural

Tem alguma questão? Coloque-a aqui:

Código de segurança
Atualizar