1 1 1 1 1 Pontuação 5.00 (1 Votos)

mecanizDesde o início do povoamento das ilhas da Madeira e Porto Santo, até à década de 70 do século XX, a inexistência de máquinas e caminhos agrícolas assumia-se como uma barreira intransponível à dinamização do setor agrícola regional, dificultando sobremaneira o trabalho diário e a expansão da área de solo arável, disponível neste setor.

Com o advento do processo autonómico regional e posterior emancipação política, administrativa e económica da população madeirense e portosantense abriram-se novas possibilidades e oportunidades em todos os setores da nossa sociedade insular.

No que concerne ao setor agrícola, empreendeu-se na RAM um esforço de expansão e desenvolvimento da atividade agrícola com sucesso. O Governo Regional com equipamento agrícola pesado e ligeiro (retroescavadoras, bulldozers e tratores) ao seu dispor, procedeu à abertura de uma rede de caminhos agrícolas regional, tendo como consequência imediata o aumento da área de terreno acessível e cultivável, em especial na ilha da Madeira. Simultaneamente, a utilização destes equipamentos atenuou as limitações provocadas pelo relevo caraterístico madeirense. Muitas encostas, com terreno arável e boa exposição solar foram transformadas em socalcos, adequados à actividade agrícola. Em outras áreas, a limpeza de terrenos e as novas acessibilidades possibilitaram a expansão da actividade agrícola na RAM.mecaniz1

Posteriormente, em fins da década de 80 e durante a década de 90, a RAM adquiriu um conjunto de 3 retroescavadoras, 5 tratores agrícolas, moto cultivadores, moto enxadas, alfaias agrícolas e equipamento diverso adequados ao contexto da actividade agrícola regional. Esta frota de máquinas e equipamento agrícolas, ao serviço da DRADR, em benefício da agricultura madeirense, sensibilizou o agricultor para as vantagens da utilização de máquinas e equipamento agrícola na sua atividade diária, no aumento da produtividade e rentabilidade da sua exploração agrícola.

Mesmo num contexto financeiro desfavorável, a DRADR mantém um núcleo de prestação de serviços de mecanização agrícola ao agricultor, com capacidade para a realização de lavouras diversas, preparação de áreas de terreno para a atividade agrícola, abertura de caminhos agrícolas e também aconselhamento técnico.

A DRADR foi pioneira, na RAM, no que concerne à introdução do conceito de Exploração Agrícola Mecanizada e mantém a aposta de ajudar e apoiar o agricultor madeirense na sua atividade diária.
Na atualidade, a DRADR é garantia do conceito de Exploração Agrícola Mecanizável.


António Henrique Fernandes Ferreira

Tem alguma questão? Coloque-a aqui:

Código de segurança
Atualizar