1 1 1 1 1 Pontuação 5.00 (4 Votos)

A avaliação da fertilidade do solo

fig4 carencia de ferro nos citrinos
Carência de ferro nos citrinos
fig3 carencia de magnesio na vinha
Carência de magnésio na vinha
fig6 carencia de calcio no tomate
Carência de cálcio no tomate
fig5 carencia de boro no morango
Carência de boro no morango

O solo continua a ser o principal suporte físico e nutritivo das plantas. Como tal, interessa-nos conhecer a sua capacidade em ceder nutrientes, ou seja, a sua fertilidade, para que possam ser realizadas as correções necessárias, de modo a que as culturas tenham um bom desenvolvimento vegetativo.

A fertilidade do solo é um conceito muito amplo, suscetível de sofrer alterações ao longo do tempo, e portanto difícil de ser avaliada, até porque depende de vários fatores.

A sua avaliação incide na determinação das características relacionadas com o cálculo da fertilização. Com este objetivo pode recorrer-se às análises de terra, de plantas ou mesmo à observação do aspeto das culturas, tendo em conta a sua coloração, a forma e a dimensão das folhas e dos frutos.

As análises de terra, apesar de terem muitas limitações, continuam a ser o meio que mais se recorre para a obtenção de dados que possam ser utilizados para uma correta aplicação de fertilizantes.

As amostras de terra podem ser colhidas em qualquer época do ano, tendo o cuidado de não ter o solo muito húmido ou com fertilizante, estrumes ou ainda corretivos. As amostras depois de devidamente identificadas devem ser enviadas para o laboratório para serem analisadas, pelo menos 2 meses antes da data em que se pretende fazer a adubação. O relatório analítico é uma ferramenta que auxilia na decisão do tipo e quantidade de fertilizante a aplicar, ou quanto à necessidade de correções orgânicas ou da reação do solo.

 
fig1 colheita de amostras de terra
Colheita de amostras de terra
fig2 colheita de folhas de bananeira
Colheita de amostras de folhas de bananeira

Quando as análises de terra não são suficientes para explicar os níveis de nutrientes disponíveis no solo, ou o estado nutricional das culturas, podemos recorrer às análises de plantas.

A avaliação da fertilidade através das análises de plantas, tem como princípio que uma vez que a planta é alimentada pelo solo, a sua composição irá refletir a fertilidade deste. Ou seja, o estado nutricional das plantas é um indicador indireto da disponibilidade dos nutrientes no solo.

Para fazer uma análise de plantas, é essencial trabalhar com material colhido em condições bem definidas. Deve ser colhida a parte da planta de acordo com a espécie em causa e de acordo com a época mais adequada. Os resultados obtidos devem ser comparados com valores padrão.

As análises de plantas devem ser sempre realizadas em simultâneo com as análises de solo.

Para além da quantificação dos elementos químicos, a observação cuidada das plantas também pode dar uma ideia da fertilidade do solo, relativamente à deficiência de nutrientes.

Podemos dizer que nenhum dos critérios que foram referidos permitem avaliar em absoluto a fertilidade do solo. Todas as informações devem ser utilizadas com prudência não esquecendo que a fertilidade do solo é apenas um dos fatores que determina a produção.

Bibliografia consultada:

-Santos. J. Quelhas, Fertilizantes. Fundamentos e aspetos práticos da sua utilização, Lisboa 1983.


Alexandra Azevedo
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Direção Regional de Agricultura

Comentar

Código de segurança
Atualizar