1 1 1 1 1 Pontuação 5.00 (1 Votos)

A epidemiologia da teniose/cisticercose na Europa, uma revisão sistemática da literatura científica da Europa Ocidental

A Taenia solium e Taenia saginata são parasitas zoonóticos de importância para a saúde pública. Os dados sobre a ocorrência em humanos e animais na Europa Ocidental estão incompletos e fragmentados. Neste estudo, pretendeu-se atualizar o conhecimento existente sobre a epidemiologia desses parasitas na Região.

Realizou-se uma revisão sistemática da literatura científica e cinzenta, publicada de 1990 a 2015 sobre a epidemiologia de T. saginata e T. solium em humanos e animais. Além disso, os dados sobre a ocorrência da doença foram efetivamente recolhidos, contactando especialistas locais nos diferentes países.

Foram encontrados casos de teniose em doze dos dezoito países da Europa Ocidental, não tendo sido identificados casos na Islândia, Irlanda, Luxemburgo, Noruega, Suécia e Suíça.

Para a Dinamarca, Países Baixos, Portugal, Eslovénia, Espanha e Reino Unido, foram relatados casos de teniose anualmente e o número de casos detetados por ano variou entre 1 e 114. As prevalências detetadas variaram de 0,05 a 0,27%, enquanto as prevalências estimadas variaram de 0,02 a 0,67%. A maioria dos casos de teniose foram relatados como Taenia spp. ou T. saginata, embora a T. solium tenha sido reportado na Dinamarca, França, Itália, Espanha, Eslovénia, Portugal e no Reino Unido.

Os casos de cisticercose humana foram relatados em todos os países da Europa Ocidental, com exceção da Islândia, com o maior número proveniente de Portugal e Espanha. A maioria dos casos de cisticercose humana foi suspeita de ter adquirido a infeção fora da Europa Ocidental.

 

Casos de T. solium em porcos foram encontrados na Áustria e em Portugal, mas apenas os dois casos de Portugal foram confirmados com métodos moleculares. Alemanha, Espanha e Eslovénia relataram cisticercose suína, contudo, não fizeram distinção da espécie de Taenia.

A cisticercose bovina foi detetada em todos os países, com exceção da Islândia, com uma prevalência baseada na inspeção da carne de 0,0002 a 7,82%.

A deteção e notificação de teniose na Europa Ocidental devem ser melhoradas.

A existência de portadores de ténia de T. solium, de suspeitas de casos autóctones de cisticercose humana e falta de confirmação de casos de cisticercose suína merecem atenção adicional. Os casos suspeitos de T. solium em suínos devem ser confirmados por métodos moleculares. Tanto a teniose como a cisticercose humana devem ser notificáveis e a vigilância em animais deve ser melhorada.

Para ler o artigo completo sobre este tema e que foi publicado no jornal “online” “Parasites & Vectors”, pode clicar aqui.

Mariana Afonso
Divisão de Proteção Veterinária e Pecuária
Direção Regional de Agricultura

Comentar

Código de segurança
Atualizar